Efeito da flexibilidade nos níveis de força máxima dinâmica do exercício clean nos praticantes de crossfit / Effect of flexibility on maximum dynamic strength levels of the clean exercise on crossfit practitioners

Leandro Servo, Cezar Grontowski Ribeiro, Tahyza Boss Ferreira, Márcio Flávio Ruaro, Renato Salla Braghin, Gesiliane Aparecida Lima Kreve, Kleber Farinazo Borges, Diogo Bertella Foschiera, Marcos Antônio Cezar

Abstract


Introdução: O Crossfit tem se destacado nos últimos anos pelo grande crescimento de adeptos. A metodologia utiliza movimentos constantemente variados e de alta intensidade, corridas, saltos, movimentos ginásticos e levantamento de peso olímpico (LPO). O movimento CLEAN é uma das estratégias desse tipo de treinamento, baseado em agachamentos profundos e cargas elevadas. Objetivo: Avaliar o efeito de um treinamento de flexibilidade no nível de força máxima dinâmica do movimento CLEAN do LPO. Método: Foi realizado um teste de força máxima de 1RM pré e pós intervenção. O estudo foi composto por dois grupos de participantes. O grupo de intervenção (GI = 7) realizou um protocolo de alongamentos para flexores e extensores de quadril, joelho e tornozelo duas vezes por semana, durante seis semanas, associado com seu programa de treino. O grupo controle (GC = 6) realizou o teste e continuou seu programa de treino.  O GI realizou um protocolo de alongamentos para flexores e extensores de quadril, joelho e tornozelo duas vezes por semana durante seis semanas. Resultados: Verificou-se que o GI ampliou os níveis articulares envolvidos, além de um ganho médio no nível de força máxima de 4,2%, o que não foi observado no GC. Conclusão: O trabalho de flexionamento parece auxiliar na melhoria da amplitude articular e no aumento dos níveis de força máxima.


Keywords


Crossfit. Mobilidade. Flexibilidade.

References


BATISTA, ES; NAVARRO, F; SILVA FILHO, L. Influência do alongamento na força máxima através do teste de 1RM. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 7(42): 467-473, nov/dez 2013.

BOTTCHER, LB. Atividade física como ação para promoção da saúde. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, Ed. Especial:98-111, 2019.

BROWN, LE; WEIR, JP. Procedures recommendation I: Accurate assessment of muscular strength and power. Journal of Exercise Physiology, 4(3):1-21, 2001.

CORREIA, MA; MENÊSES, AL; LIMA, AHRA; CAVALCANTE, BR; RITTI-DIAS, RM. Efeito do treinamento de força na flexibilidade: uma revisão sistemátiva. Rev Bras Ativ Fis e Saúde. Pelotas/RS, 19(1):3-11, jan/2014.

DOMINSKI, FH; SIQUEIRA, TC; SERAFIM, TT; ANDRADE, A. Perfil de lesões em praticantes de Crossfit: revisão sistemática. Fisioter Pesqui. 25(2):229-239, 2018.

EVERETT, G. Levantamento de peso olímpico nos esportes. São Paulo: Phorte, 2015.

FLECK, SJ; KRAEMER, WJ. Fundamentos do treinamento de força muscular. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FRAY, AC; HOUSH, TJ; HUGUES, RA; EYFORD, T. Stature and flexibility variables as discriminators of foot contact during the squat exercise. Journal of Applied Sport Science Research. 2(2):103-365, 1988.

GLASSMAN, G. Guia de treinamento de nível 1. [S.I]. CrossFit, 2018. Disponível em: http://library.crossfit.com/free/pdf/CFJ_L1_TG_Portuguese.pdf. Acesso: 10 de abril de 2019.

HUBLEY-KOZEY, CL. Testing flexibility. In: MacDougall JC, Wenger HA, Green HJ (eds.) Physiological testing of the high-performance athlete. 2ª ed., Champaign: Human Kinetics, p.309-59, 1990.

MANFFRA, EF; GREGO, AN. Influência do volume de alongamento estático dos músculos isquiotibiais nas variáveis isocinéticas. Rev Bras Med Sport. 15(2): 104-109, 2009.

NAHAS, MV. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 3ª ed. Londrina: Midiograf, 2003.

PRATI, JELR; MACHADO, SEC; JACOB SOBRINHO, AH; CARVALHO, MCGA; DANTAS, EHM. Efeito agudo do flexionamento passivo sobre a força máxima: um estudo experimental. Fitness & Performance Journal. 5(5): 311-317, set-out 2006.

SANT’ANNA, PCF. Pico de força das articulações do membro inferior e ativação muscular da coluna dorso-lombar durante o manuseio de carga com estilo livre. Dissertação de Mestrado. Escola de Engenharia. Mestrado Profissionalizante em Engenharia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2003.

SILVA, BVC; et al. Os benefícios do levantamento de peso olímpico. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 11(66):377-385, 2017.

TIBANA, RA; ALMEIDA, LM; PRESTES, J. Crossfit® riscos ou benefícios? O que sabemos até o momento? Revista Brasileira de Ciência e Movimento. 23(1):182-185, 2015.

WINCHESTER, JB; McBRIDE, JM; MAHER, MA; MIKA TRP; ALLEN, BK; KLINE, DE; et al. Eight weeks of ballistic exercise improves power independently of changes in strength and muscle fiber type expression. Journal of Strength and Conditioning Research, 22(6):1728-1734, 2008.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-138

Refbacks

  • There are currently no refbacks.