Avaliação da eficácia de quatro reveladores para a análise forense de impressões labiais invisíveis / Effectiveness evaluation of four developers for forensic analysis of invisible lip print

Morgana Ducatti Alves, Luiz Fernando Lolli, Mariucha Ramella Marcon Nemer, Isabela Hrecek Freitag, Isabela Regina Grilo Silva, Amanda Penha Mathias, Gisselly Maria Campos da Silva, Najara Barbosa da Rocha

Abstract


Esta pesquisa objetivou comparar a eficácia de quatro reveladores na investigação forense de impressões labiais latentes. Foi realizado um estudo observacional, cego, exploratório, quantitativo e descritivo. Foram selecionados 30 acadêmicos do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Maringá/PR para compor 4 grupos de 10 indivíduos cada. Todos tiveram um registro labial prévio com batom vermelho em papel sulfite branco. Os reveladores Pó Fluorescente e Fumete de Iodo foram testados na superfície Papel e o Reagente de Micropartículas Magnéticas e uma mistura experimental de Pó Carvão/Toner foram testados em Vidro. Cada impressão latente revelada foi comparada aos registros prévios. Os critérios comparativos foram: disposição morfológica da imagem, sobreposição no programa PhotoScape® e o método Suzuki e Tsuchihashi (1971). Os resultados demonstraram que nenhum dos 4 reveladores foi eficaz para identificar o dono da impressão. O pó fluorescente permitiu confirmar 7 dos 10 suspeitos, Fumete de Iodo selecionou apenas 4, o reagente de micropartículas magnéticas e o pó carvão/toner selecionaram cada 6 dos 10 suspeitos. Conclui-se que nenhum dos reveladores foi eficaz na identificação dos suspeitos, entretanto, apresentaram eficácia variada de investigação forense pela exclusão de indivíduos e seleção de suspeitos, com maior eficácia para o pó fluorescente.


Keywords


Odontologia legal, impressões labiais, identificação humana.

References


ÁLVAREZ, F. J. Diccionario de criminalística: los secretos de lãs investigaciones de la policía científica. Barcelona: Planeta, 2003.

ÁLVAREZ, M. Avances cosméticos y criminalística: la queiloscopia de huellas generadas por lápices de lábios permanentes. 115 f. [Tese de Doutorado]. Valencia: Facultat de Medicina i Odontologia de la Universitat de Valencia, 1999.

AUGUSTINE, J.; BARPADEN, S. R.; TUPKARI, J. V. Cheiloscopy as an adjunct to forensic identification: a study of 600 individuals. Journal Forensic Odontostomastol. v. 26, n. 2, p. 44-52, 2008.

BALL, J. The current status of lip prints and their use for identification, Journal Forensic Odontostomatol. v. 20, n. 2, p. 43–46, 2002.

BARROS, G. B. Queiloscopia: Uso da Técnica na Investigação Forense. 160 f. [Dissertação de Mestrado] - Odontologia Social, Faculdade de Odontologia da USP, São Paulo, 2006.

CALDAS, I. M.; MAGALHÃES, T.; AFONSO, A. Establishing identity using cheiloscopy and palatoscopy. Journal Forensic Science Int. v. 165, n. 1, p .1-9, 2007.

CASTELLÓ, A.; ÁLVAREZ, M.; VERDÚ, F. A. Use of fluorescent dyes developing lip prints. Colaboration Tecnology. v. 120, n. 4, p. 184-187, 2004.

CHEMELLO, E. Ciência Forense: Química Virtual. Disponível em: . Acesso em: 15 de agos. de 2018.

FIGINI, A. R. L.; SILVA, J. R. L.; JOBIM, L. F.; SILVA, M. Identificação humana. 2 ed. Campinas: Mellennium, 2003.

FRANÇA, G. V. Medicina Legal. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

HERRERA, L. M.; FERNANDES, C. M. S.; SERRA, M. C. Human identification by means of conventional and digital Cheiloscopy: a study of the literature. RGO - Rev. Gaúcha Odontol., Porto Alegre, v.61, n.1, p. 113-120, jan./mar., 2013.

INTERPOL. Disaster Victim Identification Guide. Disponível em: < https://www.interpol.int/INTERPOL-expertise/Forensics/DVI> . Acesso em: 08 de nov. de 2018.

ISHAQ, N.; MALIK, A.; AHMAD, Z.; ULLAH, S. E. Determination of sex by cheiloscopy as an aid to establish personal identity. Annals of King Edward Medical University. v. 24, n. 1, p. 29-33, 2018.

KAUSHAL, B.; MITTAL, S.; AGGARWAL, I. Association of Lip Print Patterns with Saggital Malocclusions in District Solan Population. International Journal of Research in Health and Allied Sciences. Índia, v. 4. Jan.-Feb., 2018.

KAUTILYA, D. V.; BODKHA, P.; RAJAMOHAN N. Efficacy of Cheiloscopy in Determination of Sex Among South Indians. Journal of Clinical and Diagnostic Research: JCDR. v.7, n. 10, p. 2193-2196, 2013.

KNOWLES, A. Aspects of physicochemical methods for the detection of latent fingerprints. Journal of Physics E: Scientific Instruments. v. 11, n. 8, p. 713, 1978.

LUZ, F. V. V. Determinação Médico-Legal do Dimorfismo Sexual através da Queiloscopia numa População Portuguesa. [Dissertação de Mestrado] - Medicina dentária, Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Dentária, Lisboa. 2015.

MATHIAS, A. P. Avaliação dos Métodos de Queiloscopia Forense e Dactiloscopia na Identificação Humana a partir de Impressões Latentes. [Trabalho de Conclusão de Curso] – Odontologia, Universidade Estadual de Maringá. Maringá/PR. 2017.

MOLANO, M. A.; GIL, J. H.; JARAMILLO, J. A.; RUIZ, S. M. Estudo queiloscópico en estudiantes de la facultad de odontologıa de la Universidad de Antıoquia. Rev. Fac. Odontol. Univ. Antioquia. v. 14, n. 1, p.26–33, 2002.

OLIVEIRA, A. R. L. M. Identificação humana pelas características labiais. [Dissertação de Mestrado] - Medicina dentária, Universidade Fernando Pessoa. Faculdade de Ciências da Saúde, 2012.

PEREIRA, C. P. Medicina Dentária Forense. 1 ed. Lisboa: LIDEL- Edições Técnicas, 2012.

PEREIRA, C. B. C. A Utilização da Química Forense na Investigação Criminal. [Trabalho de Conclusão de Curso] – Química industrial, Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis. Fundação Educacional do Município de Assis. Assis-SP, 2010.

PONCE, A. C.; SEGUÍ, M. A.; PASCUAL, F. A. V. Luminous lip prints as criminal evidence. Forensic Sci. Int. v. 155, p.185-187, 2005.

SARASWATHI, T. R.; MISHRA, G.; RANGANATHAN, K. Study of lip prints. Journal Forensic Dent. Sci. v. 1, n. 1, p. 28-31, 2009.

SERRA, M. C.; HERRERA, L. M.; FERNANDES, C. M. S. Importância da correta confecção do prontuário odontológico para identificação humana. Relato de caso. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent. São Paulo, v. 66, n. 2, jun. 2012.

SODHI, G.; KAUR, J. Powder method for detecting latent fingerprints: a review. Forensic Science International. v. 120, n. 3, p. 172-176, 2001.

SUZUKI, K.; TSUCHIHASHI, Y. Personal identification by means of lip prints. Journal Forensic Med. v. 17, p. 52-57, 1970.

SUZUKI, K.; TSUCHIHASHI, Y. A new attempt of personal identification by means of lip print. Can Soc Forensic Science. v. 4, p. 154‑158, 1971.

TEMPLETON, J. E. L.; TAYLOR, D.; HANDT, O.; LINACRE, A. Typing DNA profiles from previously enhanced fingerprints using direct PCR. Forensic Science International: Genetics 2017. Disponível em: . Acessado em: 01 de outubro de 2018.

TROZZI, T. A.; SCHWARTZ, R. L.; HOLLARS, M. L. Processing guide for developing latent prints. US Dept. of Justice, FBI.. p.20-26, 2000.

VAN HOOFSTAT, D. E; DEFORCE, D. L.; HUBERT, I. P. P.; VAN DEN EECKHOUT, E. G. DNA typing of fingerprints using capillary electrophoresis: effect of dactyloscopic powders. Electrophoresis. v. 20, n. 14, p. 2870-2876, 1999.

VENKATESH, R.; DAVID, M. P. Cheiloscopy: An aid for personal identification. Journal of Forensic Dental Sciences. v. 3, n. 2, p. 67, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-088

Refbacks

  • There are currently no refbacks.