Contribuições das políticas públicas para qualificação da mão de obra no setor da conefcção: Uma análise do munincípio de São Bernardo do Campo (2009 a 2014) / Contributions of public policies for the qualification of the work that is not established for the connection: An analysis of the municipality of São Bernardo do Campo (2009 to 2014)

Sérgio Ricardo Gaspar, Alessandra Santos Rosa, Leandro Campi Prearo, Débora Sierra Gouveia

Resumo


Este artigo descreve as políticas públicas realizadas pelo município de São Bernardo do Campo por meio de planos, programas e projetos, focados na qualificação da mão de obra de trabalhadores no setor da confecção. O trabalho está dividido em quatro seções à saber, a seção 1 apresenta a introdução que orienta o entendimento do problema de pesquisa e o desenvolvimento da pesquisa empírica, além da fundamentação teórica, apresentando-se o tema qualificação da mão de obra, descrevendo os principais conceitos e classificação de qualificação e, seus conceitos de oferta e demanda. A segunda seção por sua vez, relata os procedimentos metodológicos utilizados na pesquisa: tipo de pesquisa, base de dados, levantamento de dados e descrição da amostra. Na terceira seção é descrito o Grande ABC, o município de São Bernardo do Campo, e a importância de ambos na industrialização da Região. Posteriormente é apresentada a indústria da confecção no país e no município estudado, assim como sua importância no mundo do trabalho. Por fim, relata-se a escassez da mão de obra, especialmente na indústria de transformação e como objetivo principal deste artigo, no item três é descrito as políticas públicas municipais para a formação desta mão de obra e possíveis resultados. A quarta e última apresenta a análise e a discussão dos resultados onde foram realizadas entrevistas com empresários e uma educadora do EJA para verificar os objetivos na formação desta mão de obra quanto à pesquisa realizada. Ao fim das análises conclui-se que os objetivos são diferenciados gerando conflitos entre o setor público e privado, o que provoca uma formação de trabalhadores, mas não reduz a escassez da mão de obra na indústria.


Palavras-chave


políticas públicas, qualificação profissional, indústria da confecção

Texto completo:

PDF

Referências


ANTERO, S. A. Articulação de Políticas Públicas a Partir dos Fóruns de Competitividade Setoriais: a experiência recente da cadeia produtiva têxtil e de confecções. Revista de Administração Pública-RAP, v. 40, n. 1, p. 57-79, 2006.

ABIT. Relatório Setorial da Indústria Têxtil Brasileira 2014. IEMI (Inteligência de Mercado).São Paulo, v. 14, n. 14, ago. 2014.

______. Relatório Setorial da Indústria Têxtil Brasileira 2015. IEMI (Inteligência deMercado). São Paulo, v. 15, n. 15, out. 2015.

BRASIL. Decreto Federal n° 5154/2004.Disponível

em:. Acesso em: 02 set. 2017.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei n° 9.394/1996. Disponível

em: . Acesso em: 25 jun. 2017.

BRASIL. Lei Federal n° 12513/2011. Disponível em:. Acesso em: 14 abr. 2017.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Programa de Disseminação das Estatísticasdo Trabalho - RAIS. Disponível em: .Acesso em: 05 jan. 2016.

CAMPAIGN, Clecm Clothes. Stitched Up: poverty wages for garment workers in Eastern Europe and Turkey. 2014.

CASTIONI, R. Planos, Projetos e Programas de Educação Profissional: agora é a vez do Pronatec. Sociais e Humanas, Santa Maria, v. 26, n. 1, jan.-abril, 2013.

CONCEIÇÃO, J. J. et.al. A Cidade Desenvolvimentista: Crescimento e diálogo social em São Bernardo do Campo 2009-2015. Fundação Perseu Abramo. São Paulo, 2015.

COSTA, A. C. R.; ROCHA, É. R. P. Panorama da Cadeia Produtiva Têxtil e de Confecções e a Questão da Inovação. BNDES Setorial, n. 29, p. 159-202, 2009.

DRUCKER, P. F. Administrando em Tempos de Grandes Mudanças. 3. ed. São Paulo. Pioneira, 1996.

FLEURY, A. Estratégias Empresariais e Formação de Competências: um quebra cabeça caleidoscópio da indústria brasileira. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

GAMBI, M. O. Introducción. In: Cómo se formulan las políticas públicas en Chile? Tomo 1. La modemización de la gestión pública. Santiago: Editorial Universitária, 2012.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2012.

GLOBAL DIALOGUE FORUM. Wages and Working Hours in the Textiles, Clothing, Leather andFootwear Industries. International Labour Office. Geneva, set. 2014.

KON, A.; COAN, D. C. Transformações da Indústria Têxtil brasileira: a transição para a modernização. Revista de Economia Mackenzie, v. 3, n. 3, 2009.

LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LLORENS, F. A. Desenvolvimento Econômico Local: caminhos e desafios para a construção de uma nova agenda política. Braga, A. R. P. (trad.). Rio de Janeiro: BNDES, 2001.

MANFREDI, S. M. Trabalho, Qualificação e Competência Profissional: das dimensões conceituais e políticas. Educação & Sociedade, Campinas, v.19, n. 64, p. 13-49, 1999.

NEVES, M. A.; PEDROSA, C. M. Gênero, Flexibilidade e Precarização: o trabalho a domicílio na indústria de confecções. Sociedade e Estado, v. 22, n. 1, p. 11-34, 2007.

NETO, J. A. A Influência do Capital Humano e do Capital Intelectual no Desenvolvimento de Aglomerações de Empresas e Redes de Cooperação Produtiva. J. Technol Manag. Innov, v.3, special issue, 2008.

PIKETTY, T. O Capital no Século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

PINHEIRO, V. G. Ana Paula. A Mão de Obra como Barreira ao DesenvolvimentoEmpresarial. 2004.Dissertação (Mestrado em Administração) - Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 2004.

PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Sumário de Dados 2012: ano base 2011, 2012.

QUINTINI, G. Over-Qualified or Under-Skilled: areview ofexisting literature. OECD Social, Employment andMigration Working Papers, n. 121, Paris, 2011.

RAMALHO, J. R. et al. Reestruturação industrial, sindicato e território - alternativas políticas em momentos de crise na região do ABC em São Paulo. Brasil. Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 85, jun. 2009, p. 147-167.

RAMOS, C. A. Economia do Trabalho: modelos teóricos e o debate no Brasil. Paraná: CRV, 2012.

SABOIA, J. Descentralização Industrial no Brasil na Década de Noventa: um processo dinâmico e diferenciado regionalmente. Nova Economia, v. 11, n. 2, 2001.

SABÓIA, J. Tendências na Qualificação da Força de Trabalho. Rio de Janeiro: UFRJ, Instituto de Economia, 2009.

SALM, C. Escola e Trabalho. São Paulo: Brasiliense, 1980.

SINDICATO DOS PROFISSIONAIS EM CONFECÇÃO DO GRANDE ABC. Circular Informativa Campanha Salarial 2015/2016, Santo André, 2016.

SOUZA, C. et al.Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, v. 8, n. 16, p. 20-45, 2006.

SPARREBOOM, T.; TARVID, A. Skills Mismatch in Europe: statistics brief. International Labour Office, Department of Statistics. Geneva, 2014.

SUMÁRIO DE DADOS 2012 DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Ano Base 2011. Prefeitura de São Bernardo do Campo. 2012

THELEN, K. How Institutions Evolve:the political economy of skills in comparative- historicalperspective. New York: Cambridge University Press,2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.