Viabilidade econômica na produção de calçados por meio da simulação de monte carlo / Economic feasibility in footwear production through monte carlo simulation

Ilana Renata Lizi Panzenhagen, Matheus Binotto Francescatto, Cristiano Roos

Resumo


O setor calçadista do Brasil apresenta-se no ranking mundial como um dos maiores produtores e consumidores de calçados. Neste sentido, o objetivo desta pesquisa é identificar qual cenário entre os estados do Rio Grande do Sul e do Ceará se mostra mais promissor para a instalação de uma fábrica de calçados para uma determinada empresa. A classificação metodológica deste trabalho é de natureza aplicada, de abordagem quantitativa e com objetivos descritivos. Ainda, tem como procedimento técnico inicial a revisão bibliográfica, seguido da modelagem e simulação. A partir da revisão de literatura foi possível estruturar os cenários. Após, foi realizada a coleta de dados e os fluxos de caixa e cálculos de VPL, TIR, Payback Simples e Payback Descontado foram feitos. Assim, foram realizadas Simulações de Monte Carlo. Para complemento do estudo e comparação com os resultados obtidos na simulação, foram estruturados cenários a partir de alterações manuais em planilha eletrônica. Ambas as formas de análise demonstraram a garantia de lucratividade na instalação de uma fábrica em qualquer um dos cenários. Entretanto, o Ceará apresenta maior atratividade por promover um retorno do investimento de forma mais rápida e gerar um lucro maior ao final dos períodos analisados.


Palavras-chave


Viabilidade Econômica, Produção de Calçados, Simulação de Monte Carlo, Fluxo de Caixa.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRICH, Emir et al. Finanças corporativas. Análise de demonstrativos contábeis e de investimentos. 1. ed. Curitiba, PR: Intersaberes, 2014. 159 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE CALÇADOS. Relatório Setorial Indústria de Calçados. 2017. Disponível em: < https://drive.google.com/file/edit?id=0B0WGSAb1N6BiV0FzZEVsS2FacVE />. Acesso em 10 nov. 2020.

BECK, Tais.; ANZANELLO, Michel. J.; KAHMANN, Alessandro. Análise da gestão de estoques utilizando Simulação de Monte Carlo. Revista Gestão Industrial, v. 11, n. 4, p. 190-207, 2015.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Lei 11.638/2007, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei Nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei Nº 6.385, de 07 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Legislação Federal do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 28 dez. 2007. Disponível em: . Acesso em 29 mar. 2020.

CAMPETTI, Marco.; ANZANELLO, Michel.; ETCHEVERRY, Guilherme. Programação de produção via seleção de variáveis e Simulação de Monte Carlo. Revista Produção Online, v.14, n. 2, p. 764-788, abr./jun. 2014.

FERREIRA, Marcelo. Engenharia Econômica descomplicada. 1. ed. Curitiba, PR: Intersaberes, 2017. 186 p.

GUIA TRIBUTÁRIO. Informações fiscais e tributárias. Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (TIPI) – 2017. 2016. Disponível em: < https://guiatributario.files.wordpress.com/2016/12/tipi-20171.pdf>. Acesso em 15 set. 2020.

FRANCISCO FILHO, Valter Pereira. (Org). Finanças. 1. ed. São Paulo, SP: Pearson Education do Brasil, 2015. 108 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Classificação por Grandes Categorias Econômicas. 2013. Disponível em: . Acesso em 22 abr. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Comissão Nacional de Classificação - Classificações estatísticas nacionais. 2017. Disponível em: < http://concla.ibge.gov.br/busca-online-cnae.html?view=secao&tipo=cnae&versaosubclasse=9&versaoclasse=7&secao=C >. Acesso em 22 abr. 2020.

LUZ, Érico. (Org). Gestão financeira e orçamentária. São Paulo, SP: Pearson Education do Brasil, 2016. cap. 4, p. 77-96.

MAGNI, Carlo Alberto. Capital depreciation and the underdetermination of rate of return: A unifying perspective. Journal of Mathematical Economics, v. 67, p. 54-79, 2016.

OLIVEIRA, Ronildo Jorge.; PAMPLONA, Edson. A volatilidade de projetos industriais para uso em análise de risco de investimentos. Gestão & Produção, v. 19, n. 2, p. 337-345, 2012.

RITTER, Filipe et al. Utilização do método Monte Carlo para avaliação econômica de policultivos de jundiás, carpas e tilápias-do-nilo como uma alternativa de modelo de cultivo de peixes para pequenas propriedades. Revista Produção Online, v.14, n. 4, p. 1292-1315, out./dez. 2014.

SATURNINO, Valéria et al. Análise de viabilidade da opção real de requalificação de um engenho em Pernambuco: uma aplicação da Simulação de Monte Carlo. In: XVI LATIN-IBERO-AMERICAN CONFERENCE ON OPERATIONS RESEARCH / XLIV BRAZILIAN SYMPOSIUM ON OPERATIONS RESEARCH - CLAIO/SBPO, 16.,44., 2012, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2012. Disponível em: < http://ws2.din.uem.br/~ademir/sbpo/sbpo2012/pdf/arq0505.pdf>. Acesso em 20 mai. 2020.

SCHMEIDER, Camila.; MARQUES, Leandro. Métodos para reduzir incertezas na elaboração do orçamento de caixa. Revista Científica do Alto Vale do Itajaí, v. 3, n. 3, p. 01-04, 2014.

SHAFFIE, Siti.; JAAMAN, Saiful. Monte Carlo on Net Present Value for Capital Investment in Malaysia. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 219, p. 688-693, 2016.

SILVA, Breno.; NOGUEIRA, Sergio.; REIS, Ernando. Determinação do momento ótimo para substituição de equipamentos sob as óticas da gestão econômica e da engenharia econômica. Revista de Administração e Contabilidade, v. 7, n. 1, p. 35-52, mai./ago. 2015.

SVIECH, Vinicius.; MANTOVAN, Edson. Análise de investimentos: controvérsias na utilização da TIR e VPL na comparação de projetos. Revista Eletrônica Percurso, v. 13, n. 1, 2013. Paginação irregular.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv3n4-020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.