Análise da organização do trabalho na produção de queijo muçarela em um laticínio localizado na mesorregião do Alto Paranaíba / Analysis of the organization of work in the production of mozzarella cheese in a dairy located in the mesoregion of Alto Paranaíba

Gustavo Alves de Melo, Maria Gabriela Mendonça Peixoto, Samuel Borges Barbosa, Maria Cristina Angélico Mendonça

Resumo


O presente artigo contempla o estudo da organização do trabalho na produção da muçarela em uma empresa do setor lácteo localizada na região do Alto Paranaíba. Nele foram levantadas questões de como a presença ou não de ferramentas, métodos ou até mesmo hábitos que organizem a maneira de como as tarefas executadas na fabricação do queijo influenciam no funcionamento da empresa, analisando os reflexos que o mesmo causa. O objetivo do estudo foi descrever os métodos que são utilizados pela empresa para a organização do trabalho, e como isso afeta na fabricação do queijo muçarela, na produtividade da linha e no desempenho e adequação da forma em que as tarefas são realizadas pelos colaboradores. Com ele conseguimos ter a visão desta organização do trabalho dentro dessa linha produtiva da empresa e explicitar os benefícios e gaps que são deixados quando a mesma existe ou não.  

 


Palavras-chave


Organização do Trabalho, Laticínio, Muçarela.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHÃO, Júlia Issy; TORRES, Camila Costa. Entre a organização do trabalho e o sofrimento: o papel de mediação da atividade. Revista Produção, v. 14, n. 3, p. 67-76, 2004.

ALVES, Ana Elizabeth Santos. INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS: ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E QUALIFICAÇÃO-Doi: http://dx. doi. org/10.5212/PublicatioHum. v. 16i2. 277287. Publicatio UEPG: Ciências Sociais Aplicadas, v. 16, n. 2, 2009.

ALVES, AESA. Organização do trabalho na indústria de laticínios. Encontro de estudos e pesquisa em história, trabalho e educação, v. 6, 2007.

ARAUJO, L. C. G. Organização, sistemas e métodos e as tecnologias de gestão organizacional: arquitetura organizacional, benchmarketing, empowerment, gestão da qualidade total, reengenharia. Vol.1. 3° ed. São Paulo: Atlas, 2007

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DUARTE, Rosália. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar em revista, v. 20, n. 24, p. 213-225, 2004.

EISENHARDT, K.M. Building theories form case study research. Academy of Management Review. New York, New York, v. 14 n. 4, 1989

FARIA, G. R. et al. Análise ergonômica do posto de trabalho em uma empresa de laticínios. 13 p. – Universidade do Estado de Minas Gerais, 2017.

FARINA, Elizabeth Q. M.; ZYLBERSZTAJN, Décio. Relações Tecnológicas e Organização dos Mercados do Sistema Agroindustrial de Alimentos. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v.8, n. 1/3, p. 9-27, 1991.

FORMIGONI, Ivan. Indústria de lácteos brasileira: crescimento e importância! . 2017. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.

GUINATO, P. Sistema Toyota de Produção: Mais que simplesmente Just in Time. Production. Vol.5, p.169-189, 1995

IBGE. Anuário Estatístico. Dados Gerais, v.65, 2005. p 4-13.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicativos agropecuários. Disponível em: . Acessado em 9 de novembro de 2018.

KOVÁCS, Ilona. Novas formas de organização do trabalho e autonomia no trabalho. Sociologia, problemas e práticas, n. 52, p. 41-65, 2006.

KOWARICK, L. Capitalismo e marginalidade na AméricaLatina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

MUSSNUG, K. J; HUGHEY, A. W. A Verdade sobre as equipes. HSM Management, maio-junho, 1998

NASSU, Renata T. et al. Diagnóstico das condições de processamento e caracterização físico-química de queijos regionais e manteiga no Rio Grande do Norte. Embrapa Agroindústria Tropical, 2003.

NEELY, A; GREGORY, M. Performance masurement system design. International Journal of Operations & Produary Management. Vol 15, 1995. Disponível em: Acesso em: 28 nov. 2018.

OLIVEIRA, F. A economia brasileira: crítica à razão dualista.Estudos CEBRAP, n. 2, p. 3-82, 1972.

PIRES, Eginardo; BIELSCHOWSKY, Ricardo. Estrutura Industrial e Progresso Técnico na Produção de Laticínios. FINEP- Centro de Estudos e Pesquisas, Rio, set, 1977.

REBOUÇAS, D. P. Sistema, organização e métodos: uma abertura gerencial. São Paulo: Atlas, 2009

REZENDE, D; WILKINSON, J; REZENDE, C. F. Coordenação da qualidade em cadeias produtivas de alimentos: O caso dos queijos finos no Brasil. Econômica, R.J., v.7, n.2, p.233.253, dez, 2005. Disponível em: www.uff.br/cpgeconomia/economica.

RODRIGUES, L. B. A.; CAMAROTTO, J. A. Ergonomia e organização do trabalho: uma revisão bibliográfica. 15 p – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP. 2018.

SALERNO, Mario Sergio. Da rotinização à flexibilização: ensaio sobre o pensamento crítico brasileiro de organização do trabalho. Gestão & produção, v. 11, n. 1, p. 21-32, 2004.

SILEMG-Sindicato da Industria de Laticínios do Estado de Minas Gerais.Disponível em: . Acessado em 09 de novembro de 2018.

TAMAYO, A; PASCHOAL, T. A relação da Motivação com as Metas do Trabalhador. Revista de Administração Contemporânea. Vol. 7, p-34-36, 2003

SANTOS, G. Sobreira dos. A reforma da educação profissional e o ensino médio integrado: tendências e riscos. São Paulo, 2006.

Yin, R.K. Case study research, design and methods (applied social research methods). Thousand Oaks. California: Sage Publications, 2009




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv3n4-018

Apontamentos

  • Não há apontamentos.