Inovação estratégica de valor: o caso Nintendo Wii / Value strategy innovation: the Nintendo Wii´s case

Daniel Estima de Carvalho

Resumo


A inovação toma força como uma das soluções possíveis para que as organizações prosperem em um mercado turbulento e acirrado. O mercado de videogames, fortemente ligado às novidades tecnológicas, é altamente competitivo e movimenta bilhões de dólares a cada ano. A Nintendo liderou o mercado mundial de videogames, com os consoles NES e SuperNintendo. No entanto, seus lançamentos posteriores não foram suficientes para manter a liderança do passado frente a novos concorrentes como o Playstation (Sony) e o Xbox (Microsoft). A sua liderança de mercado só foi retomada após o lançamento do console Wii, com sua inovadora formar de jogar, que ocasionou recordes em vendas e o surgimento de um público consumidor nunca antes interessado neste tipo de produto. O objetivo deste artigo é estudar, sob o ponto de vista da inovação, quais elementos contribuíram para o sucesso do console Nintendo Wii e que devolveram a Nintendo ao posto de número 1 no mundo dos videogames.


Palavras-chave


Inovação. Estratégia. Tecnologia. Nintendo. Videogame.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDREASSI, Tales. Gestão da Inovação Tecnológica. São Paulo: THOMSON LEARNING, 2007.

BOYD, W. Marketing research: text and cases. Illinois: Richard D. Irwin, Inc. 1985.

BUSINESS WEEK RANKINGS. The 50 Most Innovative Companies. Disponível em: http://www.businessweek.com/magazine/toc/09_16/B4127innovative_companies.htm. Acesso: 13 jan. 2010.

CASTRO, C. A prática de marketing: um auxílio à decisão. São Paulo: Briefing, v.4 n.43, p.20-22, abr. 1982.

CORAL, E. & OGLIARI, A. & ABREU, A.F. Gestão Integrada da Inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo: Atlas, 2008.

CRUZ JÚNIOR, João Benjamim da; BAUMGARTEN, Marcelo Zepka; PEREIRA, Mauricio Fernandes. As melhores práticas de estratégia: o caso da Nintendo Co. Revista da FAE. Curitiba, v. 11, n.2, p. 1-14. Jul/dez 2008.

DAVILA, Tony; EPSTEIN, Marc; SHELTON, Robert. As regras da inovação. São Paulo: Bookman, 2007.

EXAME. A Nintendo está no jogo. Disponível em: http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0892/tecnologia/m0128007.html Acesso: 13 jan. 2010.

GIOVINAZZO, R. Focus Group em Pesquisa Qualitativa. Artigo, Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP. 2001.

TV IG. Wii faz sucesso entre idosos franceses. Disponível em: http://tvig.ig.com.br/203678/wii-faz-sucesso-entre-idosos-franceses.htm. Acesso: 11 jan. 2010.

INFO WESTER. Mais de um século de inovação e sucesso. Disponível em: http://www.infowester.com/colnintendo1.php. Acesso: 11 jan. 2010.

KIM, W. Chan; MAUBORGNE, Renee. A Estratégia do Oceano Azul. São Paulo: CAMPUS, 2005.

MUNDO DAS MARCAS. Nintendo. Disponível em: http://www.mundodasmarcas.blogspot.com/2006/06/nintendo-who-are-you.html Acesso: 14 jan. 2010.

NINTENDO BLAST. Análise: Wii Sports Resort. Disponível em: http://www.nintendoblast.com.br/2009/09/analise-wii-sports-resort-wii.html. Acesso: 11 jan. 2010

O’GORMAN, Patricio. Wii: Creating a Blue Ocean. Palermo Business Review. n. 2, 2008.

INFO. Wii: muito além do jogo. São Paulo: Abril, Ed. 66-69, Abril 2009.

TIDD, Joe; BESSANT, John; PAVITT, Keith. Gestão da Inovação. Porto Alegre: BOOKMAN, 2008.

Times On Line. Wii are swimming in a clear blue ocean. Nintendo president talks about reinventing the gaming industry. 12 julho de 2007. Disponível em: http://business.timesonline.co.uk/tol/business/industry_sectors/technology/article2063714.ece Acesso em: 15/11/2009.

UOL JOGOS. Wii chega à liderança do mercado de videogames. Disponível em: http://jogos.uol.com.br/wii/ultnot/2007/09/12/ult4097u955.jhtm. Acesso: 12 jan. 2010.

YIN, R. Estudo de Caso: Planejamento e Método. Porto Alegre: Bookman. 2004.

ZAWISLAK, Paulo Antônio; ANDRADE, Alexandre Maçada; LARENTIS, Fabiano; MACHADO, Cassio Bobsin. Inovação, Curva-S e as ações da firma: imporessões a partir do setor de videogames no Japão. XXV Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica. Brasília, 22-24 outubro 2008.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv3n4-012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.