Viabilidade econômica de microgeradores eólicos para residências unifamiliares / Economic feasibility of wind microgenerators for single-family residences

Uriel Wizniewsky de Oliveira, Matheus Binotto Francescatto, Cristiano Roos

Resumo


No Brasil, a utilização da energia eólica vem crescendo e sua participação aumentando na diversificação da matriz energética. Ela se mostra uma das principais fontes de energia limpa e sustentável. Porém, a maioria dos projetos e produtos no mercado têm ênfase em geração eólica com potência elevada, o que requer muito investimento. Tendo isso em vista, o objetivo deste trabalho é realizar uma análise técnica e econômica da utilização de microgeradores eólicos grid tie comerciais para atender a demanda energética de uma residência unifamiliar na cidade de Santa Vitória do Palmar, no Rio Grande do Sul, utilizando dados atuais e reais de taxas e encargos. Na elaboração deste trabalho foram simulados 16 cenários com  diferentes tipos de aerogeradores de acordo com o sistema de bandeiras tarifárias vigente da ANEEL. Para a análise econômica, foram utilizados os métodos de Valor Presente Líquido, Taxa Interna de Retorno, Payback Simples e Payback Descontado, juntamente com a metodologia LCOE para comparar a relação custo-eficácia dos geradores. Para a análise técnica foi levado em consideração as velocidades mínima, nominal e máxima de cada aerogerador, bem como a potência e a energia elétrica gerada a partir da curva de potência, a demanda energética da residência, a distribuição de probabilidade de Weibull, a velocidade e a direção dos ventos na cidade. Em conclusão, este trabalho alcançou seus objetivos mostrando seis cenários viáveis técnica e economicamente, sendo quatro cenários ideais, com uma residência de maior consumo, e dois cenários reais.


Palavras-chave


Engenharia econômica, Sistema eólico, Aerogerador.

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Relatórios de Consumo e Receita de Distribuição. Brasília, 2019. Disponível em: http://www.aneel.gov.br/relatorios-de-consumo-e-receita

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Sobre a Conta Bandeiras. Brasília, 2018. Disponível em: http://www.aneel.gov.br/informacoes-tecnicas/-/asset_publisher/CegkWaVJWF5E/content/conta-bandeiras/654800?inheritRedirect=false&redirect=http%3A%2F%2Fwww.aneel.gov.br%2Finformacoes-tecnicas%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_CegkWaVJWF5E%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_s

AHMED, A. S. Wind energy characteristics and wind park installation in Shark El-Ouinat, Egypt. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 82, n. September 2017, p. 734–742, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.rser.2017.09.031

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA EÓLICA. CCEE: Geração eólica cresce 16% no primeiro semestre. São Paulo,15 ago. 2018c. Disponível em: http://abeeolica.org.br/noticias/ccee-geracao-eolica-cresce-16-no-primeiro-semestre.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA EÓLICA. Dia mundial do vento: Eólicas já abastecem mais de 22 milhões de residências por mês no Brasil. São Paulo, 15 jun. 2018b. Disponível em: http://abeeolica.org.br/noticias/dia-mundial-do-vento-eolicas-ja-abastecem-mais-de-22-milhoes-de-residencias-por-mes-no-brasil/.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Calculadora do Cidadão. 2019. Disponível em: https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/exibirFormCorrecaoValores.do?method=exibirFormCorrecaoValores

BLANK, L. T.; TARQUIN, A. Engineering economy. 7. ed. New York: McGraw-Hill, 2012.

BRANKER, K; PATHAK, M.J.M; PEARCE, J.M. A review of solar photovoltaic levelized Cost of Electricity. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 15, p. 4470–4482, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.rser.2011.07.104

BRASIL. Lei Nº 12.703, de 7 de agosto de 2012. Conversão da Medida provisória nº 567, de 2012. Brasília, 2012.

BRUCK, M.; SANDBORN, P.; GOUDARZI, N. A Levelized Cost of Energy (LCOE) model for wind farms that include Power Purchase Agreements (PPAs). Renewable Energy, v. 122, p. 131–139, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.renene.2017.12.100

CAMARGOS, M. Matemática Financeira: aplicada a produtos financeiros e à análise de investimentos. 1 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

CASAROTTO FILHO, N.; KOPITTKE, B. H. Análise de investimentos. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

CHANG, B.; STARCHER, K. Evaluation of wind and solar energy investments in Texas. Renewable Energy, v. 132, p. 1348–1359, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.renene.2018.09.037

COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. CEEE - Rio Grande do Sul. Disponível em: http://www.ceee.com.br/pportal/ceee/Component/Controller.aspx?CC=1755

CUSTÓDIO, R. S. Energia eólica para produção de energia elétrica. Rio de Janeiro: Synergia Editora, 2013.

EHRLICH, P. J; MORAES, E. A. Engenharia econômica: avaliação e seleção de projetos de investimentos. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Consumo mensal de energia elétrica por classe. Disponível em: http://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/Consumo-mensal-de-energia-eletrica-por-classe-regioes-e-subsistemas

HARSH, S. B.; HAMILTON, L.; WITTENBERG, E. Small wind on the farm: a capital budgeting case study. Agricultural Finance Review, v. 70, n. 2, p.201-213, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1108/00021461011065247

HIRSCHFELD, H. Engenharia Econômica e Análise de Custos. 6. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

LEE, D. H. Cost-benefit analysis, LCOE and evaluation of financial feasibility of full commercialization of biohydrogen. International Journal of Hydrogen Energy, v. 41, n. 7, p. 4347–4357, 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijhydene.2015.09.071

LIMA, L. A.; FILHO, C. R. B. Wind energy assessment and wind farm simulation in Triunfo - Pernambuco, Brazil. Renewable Energy, v. 35, n. 12, p. 2705–2713, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.renene.2010.04.019

MACEDO, C. A. A.; ALBUQUERQUE, A. A. de; MORALLES, H. F. Análise de viabilidade econômico-financeira de um projeto eólico com simulação Monte Carlo e avaliação de risco. Gestão & Produção, v. 24, n. 4, p. 731–744, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-530x3439-16

MILLER, L. et al. Evaluating the link between LCOE and PPA elements and structure for wind energy. Energy Strategy Reviews, v. 16, p. 33–42, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.esr.2017.02.006

NASCIMENTO, L. Brasil é o oitavo país do mundo em produção de energia eólica. Agência Brasil, Brasília, 15 fev. 2018. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2018-02/brasil-e-o-oitavo-pais-do-mundo-em-producao-de-energia-eolica

NETTO, A. S. Estudo de viabilidade de microgeração de energia eólica no campus da UTFPR de Guarapuava. Curitiba, 2017.

PRATES, W. R. Qual a diferença entre Payback simples e descontado? 2016. Disponível em: https://www.wrprates.com/qual-e-a-diferenca-entre-Payback-simples-e-descontado/

SAFARI, B. Modeling wind speed and wind power distributions in Rwanda. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 15, n. 2, p. 925–935, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.rser.2010.11.001

THUESEN, G. J.; FABRYCKY, W. J. Engineering Economy. 9. Ed. New Jersey: Prentice Hall, 2001.

WIND SOLAR ALLIANCE. About Wind. Washington, 2018. Disponível em: https://windsolaralliance.org/wind/

ZANON, A.; GENNARO, M. D.; KÜHNELT, H. Wind energy harnessing of the NREL 5 MW reference wind turbine in icing conditions under different operational strategies. Renewable Energy, v. 115, p. 760-772, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.renene.2017.08.076




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv3n4-006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.