Avaliação dos indicadores de implementação e gestão das Unidades de Conservação estaduais do Amapá no período de 2013 a 2018 / Evaluation of implementation and management indicators of state protected areas of Amapá from 2013 to 2018

Marcos dos Santos Côrtes, Maurício Oliveira de Souza, Carina Baia Rodrigues, Dacicleide Sousa Cunha Gatinho

Resumo


O presente trabalho analisa a implementação das políticas de conservação da biodiversidade em nível estadual nas Unidades de Conservação (UCs) localizadas no Estado do Amapá. Justifica-se a investigação mediante a crescente necessidade de atuação dos Tribunais de Contas no controle externo ambiental, considerando ser o meio ambiente patrimônio público a ser protegido. Este trabalho foi realizado através de informações levantadas durante auditoria operacional nas UCs do Estado. Metodologicamente, utilizou-se de pesquisa documental, questionários eletrônicos, entrevistas e visitas às unidades estaduais. O trabalho mostra a importância do uso de indicadores para a verificação da governança nas unidades e revela que as unidades avaliadas encontraram-se desde baixo até médio grau de implementações e gestão, portanto não estão atingindo plenamente os objetivos para os quais foram criadas.


Palavras-chave


Indicadores. Unidades de Conservação. Governança.

Texto completo:

PDF

Referências


ACHACAR. Azor El. Auditoria Ambiental Pública: Instrumento para efetivação do direito fundamental ao meio ambiente ecologicamente equilibrado. 2007. Disponível em http://www.controlepublico.org.br/files/artigos_tecnicos/auditoria_ambiental_publica.pdf. Acesso em: 19 abr. 2019.

AMAPÁ. Governo do Estado do Amapá. Amapá lança edital para transformar potencial madeireiro em desenvolvimento econômico. Disponível em: https://www.portal.ap.gov.br/noticia/0206/amapa-lanca-edital-para-transformar-potencial-madeireiro-em-desenvolvimento-economico. Acesso em:20/08/2019

AMAPÁ. Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Boletim do desmatamento do Estado do Amapá: Biênio 2017/2018. Macapá: Sema/CGTIA, 2019.

ARAÚJO, Fábio França Silva et. al. Contribuição das unidades de conservação brasileiras para a economia nacional: sumário executivo. Brasília: UNEP-WCMC, 2011.

ARAÚJO, ELIS; BAIMA, SARA; BARRETO, PAULO; GOMES, MAYARA. Quais os planos para proteger as Unidades de Conservação vulneráveis da Amazônia? Belém: Imazon, 36 p., 2016.

ATLAS das Unidades de Conservação do Estado Amapá. Texto de José Augusto Drummond, Teresa Cristina Albuquerque de Castro Dias e Daguinete Maria Chaves Brito. Macapá: MMA/IBAMA, AP; GEA/SEMA, 2008.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federal do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Decreto Legislativo nº 2, de 1994. Aprova o texto do Convenção sobre Diversidade Biológica, assinada durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada na Cidade do Rio de Janeiro, no período de 5 a 14 de junho de 1992. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decleg/1994/decretolegislativo-2-3-fevereiro-1994-358280-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 25 ago. 2019.

BRASIL. Decreto nº 4.340, de 22 de agosto de 2002. Regulamenta artigos da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4340.htm. Acesso em: 25 ago. 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.758, de 13 de abril de 2006.Institui o Plano Estratégico Nacional de Áreas Protegidas - PNAP, seus princípios, diretrizes, objetivos e estratégias, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5758.htm. Acesso em: 21 ago. 2019.

BRASIL. Lei 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9985.htm. Acesso em: 25 ago. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Áreas Protegidas, Cadastro Nacional de Unidades de Conservação.Brasília,19 jul. 2018. Disponível em: https://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs. Acesso em: 25 ago. 2019.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Relatório da auditoria coordenada em unidades de conservação no bioma Amazônia. Brasília: TCU, 2013. Disponível em: http://www.terrabrasilis.org.br/ecotecadigital/pdf/relatorio-da-auditoria-coordenada-em-unidades-de-conservacao-no-bioma-amazonia-.pdf. Acesso em: 25 ago. 2019.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Relatório de auditoria: AC-3101-46/13-P, 20 nov. 2013a. Disponível em: https://www.socioambiental.org/sites/blog.socioambiental.org/files/nsa/arquivos/auditoria_tcu_uc_bioma_amazonia_2013.pdf. Acesso em: 25 ago. 2019.

FISCHER, Jéssica; DIAS, Tanize; ANELLO, Lúcia de Fátima Socoowski. A importância da auditoria ambiental como ferramenta de gestão ambiental. Competência, Porto Alegre, v.6, n.2, p. 135-147, jul./dez. 2013.

INTOSAI – Organização Internacional de Entidades Fiscalizadoras Superiores. Comitê de Normas Profissionais. ISSAI 300: norma para auditoria operacional. Brasília: TCU, 2017.

MACHADO, Diego Pereira. Direitos Humanos. Bahia: Juspodivm: 2017.

O QUE são as Metas de Aichi. ((o)) eco, Rio de Janeiro, 24 out. 2014. Disponível em: https://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/28727-o-que-sao-as-metas-de-aichi/. Acesso em: 25 ago.2019.

TRANSFORMANDO nosso mundo: a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. ONU Brasil, Rio de Janeiro, 13 out. 2015. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/. Acesso em: 25 ago. 2019.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Referencial básico de governança aplicável a órgãos e entidades da administração pública / Tribunal de Contas da União. Versão 2 - Brasília: TCU, Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, 80 p., 2014.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv3n2-044

Apontamentos

  • Não há apontamentos.