Escritório de projetos em organizações públicas: análise do desempenho e da aderência à estratégia empresarial / Project office in public organizations: analysis of performance and adherence to business strategy

Guilherme Luiz Martins Fonseca

Resumo


Este trabalho teve como objetivo analisar o desempenho em gerenciamento de projetos após a implantação do Escritório de Projetos nas empresas públicas federais avaliando a aderência desta prática à estratégia organizacional face à natureza destas instituições. Foi realizada pesquisa de campo em 04 empresas públicas federais. O método utilizado foi o estudo de casos múltiplos e a análise de conteúdo com abordagem qualitativa. Ao final da análise dos dados foi possível verificar que o desempenho em gerenciamento de projetos e seu nível de maturidade, após a implantação do EP apresenta uma melhora substancial, entretanto, constata-se também que alguns fatores, como burocracia e projetos fracassados e não concluídos, merecem atenção. É razoável dizer ainda que, apesar dos fatores inerentes às organizações do primeiro setor, como substituição governamental constante, resistência dos funcionários públicos à mudança e necessidade de cumprimento à legislação, esta estrutura possui aderência à estratégia empresarial das empresas públicas federais.


Palavras-chave


Escritório de Projetos, Gerenciamento de Projetos, Nível de maturidade, Gestão Pública

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, J. B. Jr. Gerenciamento de projetos em TI: uma análise sobre a possibilidade de aplicação da estrutura motivacional sugerida pelo Project Management Body of Knowledge – PMBOK – em uma empresa pública. Dissertação de mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2008.

ARCHIBALD, R. PRADO. D. Relatório de Maturidade 2014. Disponível em: . Acesso em 10/05/2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BERNSTEIN, S. Project Offices in Practice. Project Management Journal, v. 31, n. 4, p. 4-6, Dec. 2000.

BLOCK, T.; FRAME, J. The Project Office. Menlo Park: Crisp Learning, 1998.

BRASIL, Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação. Metodologia de Gerenciamento de Projetos do SISP. Brasília: MP, 2011. Disponível em:

arq_down/publicação/silt_mgp-sisp_versao_1.pdf>. Acesso em 22 mai. 2014.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Reforma do Estado para a Cidadania. Editora 34, São Paulo, 1998.

CALDERINI, M.; CANTAMESSA, M. Innovation paths in product development: an empirical research. International Journal of Production Economics, v. 51, n.1-2, p.1-17, 1997.

CRAWFORD, L. The strategic project office: A guide to improving organizational performance. New York: Marcel Dekker, 2002.

DAI, C.X.; WELLS, W. G. An Exploration of Project Management Office Features and their Relationship to Project Performance. International Journal of Project Management, v.22, n.7, p. 523-532, Oct. 2004.

DEAN, J.P.; EICHHORN, R.L. Limitations and Advantages of unstructured methods. In:

DESOUZA, K. C.; EVARISTO, J.R. Project Management Offices: A case of knowledge-based archetypes. International Journal of Information Management, v.26, n.5, p.414-423, Oct. 2006.

ENGLUND. R. L.; GRAHAN, R. J.; DINSMORE, P.C. Creating the Project Office – A Manager´s Guide to Leading Organizational Change. San Francisco: Jossey-Brass, 2003.

FARNHAM, D.; HORTON, S. Managing the new public services. London: Macmillan, 1992.

HOBBS, B.; AUBRY, M. A Multi-Phase Research Program Investigating Project Management Offices (PMOs): The Results of Phase 1. Project Management Journal, v. 38, p. 74-86, 2007.

HOBBS, B.; AUBRY, M.; THUILLIER, D. A new framework for understanding organizational project management the PMO. International Journal of Project Management, v.25, n. 4, p.328-336, may 2007.

HOBBS, B.; AUBRY, M. The PMO A Quest for Understanding. Newtown Square, Pennsylvania: Project Management Institute, 2010.

HOLANDA, M.C.; ROSA, A.L.T. Gestão pública por resultados na perspectiva do Estado do Ceará. Fortaleza: IPECE, 2004 (Nota Técnica n. 11).

IT GOVERNANCE INSTITUTE. Cobit 4.0: Control Objectives, Management Guidelines, Maturit Models. Rolling Meadows, 2005.

JIANG, J. J.; KLEIN, G.; PICK, R. A. The impact of IS department organizational environments upon project team performances. Information & Management, v. 40, n. 3, p. 213-220, Jan. 2003.

KENDALL, G.I.; ROLLINS, S.C. Advanced project portfolio management and the PMO. Boca Raton, Flórida: J. Ross, 2003.

LOPES, R. Projetos: Deliberados ou Emergentes: As Práticas em Gerenciamento de Projetos e a Estratégia empresarial, Dissertação de mestrado. Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2009.

MENEZES, L. Gestão de Projetos. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

MILOSEVIC, D.; PATANAKUL, P. Standardized project management may increase development projects success. International Journal of Project Management, v. 23, n. 3, p. 181-192, Apr. 2005.

MORAES, R. O. Condicionantes de desempenho dos projetos de software e a influência da maturidade em Gestão de Projetos, Tese de doutorado. FEA/USP. São Paulo. 2004.

MOZZATO, A; GRZYBOVSKI, D. Análise de Conteúdo como Técnica de Análise de Dados Qualitativos no campo da Administração: Potencial e Desafios. RAC, Curitiba, v. 15, n. 4, pp. 731-747, Jul./Ago. 2011.

OLIVEIRA, O.J.; MELHADO, S. B. O papel do projeto em empreendimentos públicos: Dificuldades e possibilidades em relação à qualidade. São Paulo: PUC-SP, 2001, p. 2-3.

PATAH, L.A; Alinhamento estratégico de estrutura organizacional de projetos: uma análise de múltiplos casos. Dissertação de Mestrado. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – São Paulo, 2004.

PMI, Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK®) 5ª edição. Project Management Institute, Four Campus Boulevard, Newtown Square, PA 19073-3299 EUA, 2013.

PRADO, D. Maturidade em Gerenciamento de Projetos. vol. 7. Nova Lima: INDG Tecnologia e Serviços Ltda, 2008.

PETERS, G. B. Os Dois futuros do ato de governar: processos de descentralização e recentralização no ato de governar. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 59, n. 3, p. 289/307, jul./set. 2008. Disponível em:. Acesso em: 10 nov. 2014.

RAD, P. F. Is your organization a candidate for Project Management Office (PMO)2001.

RODRIGUES, I; RABECHINI, R; CSILLAG, J. Os Escritórios de projetos como indutores de maturidade em gestão de projetos. Revista de Administração da USP, v.41, n.3, p.273-287, Jul/Ago/Set. 2006.

SPELTA, A.; ALBERTIN, A. O contexto da Criação de Escritórios de Projetos nas Áreas de TI: Dois Estudos de Caso, Journal of Information Systems and Technology Management, v.6, n 3, p. 413-436. Fev/Jun 2009.

VALERIANO, L. Gerenciamento Estratégico e Administração por Projetos. Makron Books, São Paulo, 2001.

VARGAS, R. Manual prático do plano de projeto: utilizando o PMBOK Guide. 3. ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2009.

WREN, D. The evolution of management thought. New York: John Wiley, 1987.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv3n2-020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.