Práticas sustentáveis no shopping RioMar em Fortaleza/CE / Sustainable practices at shopping RioMar in Fortaleza / CE

Inácio Ferreira Façanha Neto, Josanne Cristina Ribeiro Ferreira Façanha, Irlane Regina Moraes Novaes

Resumo


A questão ambiental no Brasil tem se intensificado nas últimas décadas, após o momento de crescimento urbano na década de 60. As expressões “desenvolvimento sustentável”, “sustentabilidade” e “gestão ambiental” surgiram por meio de estudos realizados pela Organização das Nações Unidas acerca das mudanças climáticas, como uma resposta para a crise social e ambiental na segunda metade do século XX. A busca por alternativas sustentáveis que melhorem a qualidade de vida da população tem permeado as ações de diversas empresas, em especial os shoppings centers. Deste modo, o presente artigo realiza um estudo de caso acerca do sistema de gestão ambiental (SGA) adotado pelo shopping RioMar, localizado na cidade de Fortaleza/CE. A coleta de dados foi realizada por meio de pesquisa documental e bibliográfica. As práticas sustentáveis vão desde a construção do referido shopping, tendo o mesmo recebido inclusive a Certificação Aqua, além do consumo de água até 70% menor nos banheiros, devido ao uso de sistema de descarga a vácuo, torneiras com sensor e arejadores, chuveiros com fechamento automático e mictórios economizadores. Este estudo contribui para o avanço das pesquisas da área, especificamente no setor de shoppings centers.


Palavras-chave


A questão ambiental no Brasil tem se intensificado nas últimas décadas, após o momento de crescimento urbano na década de 60. As expressões “desenvolvimento sustentável”, “sustentabilidade” e “gestão ambiental” surgiram por meio de estudos realizados pela

Texto completo:

PDF

Referências


ABRASCE - Associação Brasileira de Shopping Centers. Números do setor. Disponível em . Acesso em: 20 ago. 2017.

AFONSO, C. M. Sustentabilidade: caminho ou utopia? São Paulo, Annablume, 2006.

ALIGLERI, L. M. A adoção de ferramentas de gestão para a sustentabilidade e a sua relação com os princípios ecológicos nas empresas. Tese de Doutorado em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2011. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-21062011-163621/

ARAÚJO, A. G.; SANTOS, A. W. B. Responsabilidade social: uma estratégia política de reordenamento nos planos de ação das empresas. RACE-Revista da Administração, v. 1, n. 1, P. 1-17, 2016.

ARANTES, Elaine. Investimento em Responsabilidade social e sua relação com o desempenho econômico das empresas. Conhecimento Interativo, v.2, n.1, p.3-9, 2006.

AZEVEDO, F. A. Shopping Center – Centro de Consumo Totêmico: pressão de risco à sustentabilidade. Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade, v. 4, n. 3, p. 215-255, 2011.

BARBIERI, J. C. Gestão ambiental empresarial: conceitos modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2011.

BARBIERI, José Carlos; CAJAZEIRA, Jorge Emanuel Reis Responsabilidade social e empresa sustentável: da teoria à prática. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

BRASIL ENGENHARIA. Disponível em: . Acesso em: 07 set. 2017.

CABESTRÉ, Sonia Aparecida; GRAZIADEI, Tania Maria; POLESEL FILHO, Pedro. Comunicação estratégica, sustentabilidade e responsabilidade socioambiental: um estudo destacando os aspectos teórico-conceituais e práticos. Revista Conexão – comunicação e cultura. Caxias do Sul, v. 7, n. 13, p. 39-58, 2008.

CALLADO, A. L. C. Modelo de mensuração de sustentabilidade empresarial: uma aplicação em vinícolas localizadas na serra gaúcha. Tese de Doutorado em Agronegócios, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2010.

CARVALHO, André Pereira; BARBIERI, José Carlos. Inovações socioambientais em cadeias de suprimento: um estudo de caso sobre o papel da empresa focal. RAI Revista de Administração e Inovação, v. 10, n. 1, p. 232-256, 2013.

Domenico, D. Características das empresas de capital aberto e os indicadores da Contabilidade de Gestão Ambien-tal (CGA). Dissertação de Mestrado em Ciências Contábeis, Universidade Regional de Blumenau, Santa Catarina, SC, 2012. Disponível em http://bu.furb.br/consulta/novaConsulta/recuperaMfnCompleto.php?menu=esconde&CdMFN=352991

ELKINGTON, J. Towards the sustainable corporation: Win-win-win business strategies for sustainable development. California Management Review, v. 36, n. 2, p. 90-100, 1994.

GERN, Taine Graziela; BEILER, Graziele. Marketing ambiental: uma ferramenta estratégica. In: Convibra Administração, 8., 2011, Anais... [s/l], 2011.

GONÇALVES, R.; CASTRO, A.; CAPATAN, A.; CAPATAN, D. C. Uma discussão da sustentabilidade e inovação como variáveis para o crescimento e desenvolvimento econômico sustentável. Brazilian Journal of Development, v. 2, n. 1, p. 16-27, 2017.

GUIMARÃES, Thayse Machado; PEIXOTO, Fernanda Maciel; CARVALHO, Luciana. Sustentabilidade Empresarial e Governança Corporativa: Uma Análise da Relação do ISE da BM&FBOVESPA com a Compensação dos Gestores de Empresas Brasileiras. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 11, n. 2, p. 134-149, 2017.

HAMEL, G.; PRAHALAD, C.K. Strategic Intent. Harvard Business Review, v.67, n.3, p.63-78, 1989.

INSTITUTO ETHOS EMPRESAS E RESPONSABILIDADES SOCIAL. Como as empresas podem (e devem) valorizar a diversidade. São Paulo: 2001.

IRVING, Maria de A. Azevedo; OLIVEIRA, Elizabeth. Sustentabilidade e transformação social. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2012.

LIMA, M. A. S. Modernização econômica, social e o desenvolvimento regional: as transformações socioeconômicas e as possibilidades para as regiões. Revista Movendo Ideias, v. 14, n. 2, p. 79-91, 2009.

LUGOBONI, L. F.; SILVA, G. S.; SOUZA, J. S.; CHIARETO, J.; ZITTEI, M. V. M. Ações de sustentabilidade em transportadoras de cargas rodoviárias. REVISTA ENIAC PESQUISA, v. 6, n. 1, p. 44-58, 2017.

MACHADO, D. P.; OTT, E. Estratégias de legitimição social empregadas na evidenciação ambiental: um estudo à luz da teoria da legitimidade. Revista Universo Contábil, v. 11, n. 1,

p. 136-156, 2015.

MARCONI, M. de A. E LAKATOS, E.A. Técnicas de Pesquisa. 5ª Ed. São Paulo: Atlas S.A, 2002.

MASCARENHAS, Mariana Pessoa; SILVA, Wendel Alex Castro. Triple bottom line da sustentabilidade uma análise em empresas nacionais produtoras de óleos e gorduras vegetais e animais. Revista Reunir, v. 3, n. 1, p. 62-79, 2013.

MUNCK, L.; SOUZA, R. B. Responsabilidade social empresarial e sustentabilidade organizacional: a hierarquização de caminhos estratégicos para o desenvolvimento sustentável. REBRAE, v. 2, n. 2, P. 185-202, 2009.

NOBRE, F. S.; RIBEIRO, R. E. M. Cognição e sustentabilidade: estudo de casos múltiplos no índice de sustentabilidade empresarial da BM&FBOVESPA. RAC-Revista de Administração Contemporânea, v. 17, n. 4, p. 499-517, 2013.

O ESTADO DO CEARÁ. Virou necessidade - shoppings estão cada vez mais preocupados com a sustentabilidade. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.

RABELO, Laudemira. Indicadores de sustentabilidade: a possibilidade do desenvolvimento sustentável. Fortaleza: PRODEMA-UFC, 2008.

RAMOS, M. C. P. Ambiente, educação e interculturalidade. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 5, n. 8, p. 27-39, 2012.

ROGERS, Tony; MARTIN, Vanessa. Eventos: planejamento, organização e mercado. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

ROSSETTI, Regina. Categorias de inovação para os estudos em comunicação. Comunicação & Inovação, v. 14, n. 27, p. 63-72, 2013.

SAMBIASE, M. F.; FRANKLIN, M. A.; TEIXEIRA, J. A. Inovação para o desenvolvimento sustentável como fator de competitividade para as organizações: um estudo de caso Duratex. RAI Revista de Administração e Inovação, v. 10, n. 2, p. 144-168, 2013.

SANTOS, H. L. Contabilidade Ambiental: Percepção dos profissionais contábeis da cidade de Alta Floresta. Revista Eletrônica da Faculdade de Alta Floresta, v. 3, n. 2, p.146-164, 2014.

SANTOS, Gleberson de Santana dos. Modelo para implementação de sistema integrado de gestão sustentável para a indústria de shopping centers. 2015. 250f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração) – Universidade do Oeste de Santa Catarina, Chapecó.

SANTOS, P. M. F.; PORTO, R. B. A gestão ambiental como fonte de vantagem competitiva sustentável: contribuições da visão baseada em recursos e da teoria institucional. Revista de Ciências da Administração, v. 15, n. 35, P. 152-167, 2013.

SERAFIM, Luiz. O poder da inovação – como alavancar a inovação na sua empresa. São Paulo: Saraiva, 2011.

SILVEIRA, M. P.; ALVES, J. N.; FLAVIANO, V. Os desafios da implantação de um Sistema de Gestão Ambiental: estudo de caso em uma indústria de laticínios. R. gest. sust. ambient., Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 88 – 106, out.2013.

SOUZA, M. T. S.; RIBEIRO, H. C. M. Sustentabilidade Ambiental: uma Meta-análise da Produção Brasileira em Periódicos de Administração/Environmental Sustainability: a Meta-Analysis of Production in Brazilian Management Journals. Revista de Administração Contemporânea, v. 17, n. 3, p. 368-396, 2013.

TRIBUNA DO NORTE. Fortaleza tem maior PIB do Nordeste e 9º do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 11 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

VOGT, Andréa Inês; et al. Importância do sistema de gestão ambiental na empresa – estudo de caso. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 18., 1998, Niterói, Rio de Janeiro. Anais... Niterói, 1998.

YIN, R.K. Case study research: design and methods. 3 rd ed. Thousand Oaks: Sage, 2003.

ZANELLA, Liane Carly Hermes. Metodologia de estudo e de pesquisa em administração. – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/ UFSC. [Brasília]: CAPES: UAB, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n4-016

Apontamentos

  • Não há apontamentos.