Postura ontológica da pesquisa em contabilidade gerencial / Ontological posture of research in management accounting

Sayuri Unoki de Azevedo, Josilene da Silva Barbosa, Silvia Consoni, Márcia Maria dos Santos Bortolocci Espejo

Resumo


O objetivo deste estudo consiste em verificar empiricamente que pressupostos ontológicos norteiam as pesquisas desenvolvidas no campo da contabilidade gerencial nos Programas de Pós-Graduação (PPGs) Stricto Sensu do Brasil. Esta pesquisa possui abordagem empírico-analítica, de delineamento descritivo. O percurso metodológico foi guiado por uma análise de conteúdo das dissertações na linha de pesquisa em contabilidade gerencial do triênio de 2009 a 2011, com base no modelo dos quatro paradigmas de Burrel e Morgan (1979): funcionalismo, interpretativismo, humanismo radical e estruturalismo radical. Os resultados obtidos permitiram identificar que 60% das dissertações em contabilidade gerencial possuem postura ontológica realista e, 40% nominalistas, com predominância de estudos sob o paradigma funcionalista. Em relação aos PPGs, o funcionalismo predomina particularmente nas pesquisas desenvolvidas pela UNB e UFSC, sendo estas as que possuem a maior parte de dissertações com foco gerencial em relação a amostra. Salienta-se que as instituições PUC-SP e USP-SP possuem a maioria das dissertações desenvolvidas na área com ênfase no paradigma interpretativista, sendo que apenas na USP-SP estas predominam em relação aquelas com ênfase no paradigma funcionalista.


Palavras-chave


Paradigma, Ontologia, Contabilidade Gerencial.

Texto completo:

PDF

Referências


AHRENS, Thomas. Overcoming the subjective–objective divide in interpretive management accounting research. Accounting, Organizations and Society, v.33, p. 292-297, 2008.

AHRENS, Thomas; CHAPMAN, Christopher S. Doing qualitative field research in management accounting: positioning data to contribute to theory. Accounting, Organizations and Society, v.31, p. 819-841, 2006.

BAKER, Charles Richard; BETTNER, Mark. Interpretive and critical research in accounting: a commentary on its absence from mainstream accounting research. Critical Perspectives on Accounting, v.8, n.4, p. 293-310, 1997.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Editora 70, 1977.

BAXTER, Jane; CHUA, Wai Fong. Alternative management accounting research-whence and whither. Accounting, Organizations and Society, v.28, n.2-3, p. 97-126. 2003.

BEUREN, Ilse Maria; ERFURTH, Alfredo Ernesto. Pesquisa em contabilidade gerencial com base no futuro realizada no Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, v.13, n.1, p. 44-58, jan./abr., 2010.

BURREL, Gibson; MORGAN, Gareth. Sociological paradigms and organizational analysis. London: Heinemann, 1979.

CALDAS, Miguel Pinto. Paradigmas em estudos organizacionais: uma introdução à série. Revista de Administração de Empresas, v.45, n.1, p. 53-57, 2005.

CRESWELL, John, W. Qualitative inquiry and research design: choosing among five traditions. Thousand Oaks: Sage Publications, 1998.

FREZATTI, Fábio. Agrupamentos dos perfis da contabilidade gerencial no Brasil. UnB Contábil Brasília, v. 8, n. 1 p. 9-39, jan./jun., 2005.

FREZATTI, Fábio.; NASCIMENTO, Artur Roberto do; JUNQUEIRA, Emanuel. Desenvolvimento da pesquisa em contabilidade gerencial: as restrições da abordagem monoparadigmática de Zimmerman. Revista Contabilidade e Finanças, v.20, n.49, p. 6-24, jan./abr., 2009.

GIOIA, Denis. A.; PITRE, Evelyn. Multiparadigm perspectives on theory building. The Academy of Management Review, v.15, n.4, out., 1990.

GLASER, Barney. G.; STRAUSS, Anselm. L. The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. Chicago: Aldine Pub., 1967. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2013.

HOPPER, Trevor; POWELL, Andrew. Making sense of research into the organizational and social aspects of management accounting: a review of its underlying assumptions. Journal of Management Studies, v.22, n.5, p. 429-465, sep., 1985.

HOOPWOOD, Antony. If there only were simple solutions but there aren’t: some reflections on Zimmerman’s critique on empirical accounting research. European Accounting Review, v.11, n.2, p. 777-785, 2002.

ITTNER, Christopher; LARCKER, David. Assessing empirical research in managerial accounting: a value based management perspective. Journal of Accounting and Economics, v.32, n.1/3, p. 349-410, 2001.

________. Empirical management accounting research: are we just describing management consulting practice? European Accounting Review, v.11, n.2, p. 787-794, 2002.

JONKER, Jan; PENNINK, Bartjan. The essence of research methodology: a concise guide for master and PhD students in management science. London: Springer, 2010.

KAKKURI-KNUUTTILA, Marja-Liisa; LUKKA, Kari.; KUORIKOSKI, Jaakko. Straddling between paradigms: A naturalistic philosophical case study on interpretive research in management accounting. Accounting, Organizations and Society, v.33, n.2-3, p. 267-291, 2008.

LAUGHLIN, Richard. Empirical research in accounting: alternative approaches and a case for ‘middle-range’ thinking. Accounting, Auditing and Accountability Journal, v.8, n.1, p. 63-87, 1995.

LUFT, Joan, SHIELDS, Michael. Zimmerman’s contentious conjectures: describing present and prescribing the future of empirical accounting research. European Accounting Review, v.11, n.2, p. 795-803, 2002.

LUKKA, Kari. The roles and effects of paradigms in accounting research. Management Accounting Research, v. 21, p. 110-115. 2010.

LUKKA, Kari; MOURITSEN, Jan. Homogeneity or heterogeneity of research in management accounting. European Accounting Review, v. 11, n. 2, p. 805–811, 2002.

MALMI, Teemu. Reflections on paradigms in action in accounting research. Management Accounting Research, v.21, p. 121-123, 2010.

MARTINS, Gilberto de Andrade. Editorial: epistemologia da pesquisa contábil. Revista de Contabilidade e Finanças, v.19, n.48, p. 1-5, 2008.

MENDONÇA NETO, Octavio Ribeiro de; RICCIO, Edson Luiz; SAKATA, Marici Cristine Gramacho. Dez anos de pesquisa contábil no Brasil: análise dos trabalhos apresentados nos Enanpads de 1996 a 2005. Revista de Administração de Empresas, v.49, n.1, p. 62-73 jan./mar., 2009.

MOREIRA, Daniel Augusto. O método fenomenológico na pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

MORGAN, Gareth. Accounting as reality construction: towards a new epistemology for accounting practice. Accounting Organizations and Society, v.13, n.5, p. 477-485, 1988.

NASCIMENTO, Artur Roberto do; JUNQUEIRA, Emanuel; MARTINS, Gilberto de Andrade. Pesquisa acadêmica em contabilidade gerencial no Brasil: análise e reflexões sobre teorias, metodologias e paradigmas. Revista de Administração Contemporênea, v.14, n.6, p. 1113-1133, nov./dez., 2010.

NOSSA, Silvania Neris; TEIXEIRA, Aridelmo José Campanharo; FIORIO, Simone Luiza. Uma abordagem epistemológica da pesquisa contábil sobre balanço social e demonstração do valor adicionado. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v.1, n.2, p. 71-93, mai./ago., 2007.

OTLEY, David. Did Kaplan and Johnson get it right? Accounting, Auditing &

Accountability Journal, v.21 n.2, p. 229-239, 2008.

PARKER, L. D. Qualitative management accounting research: Assessing deliverables and relevance. Critical Perspectives on Accounting, v.23, n.1, p. 54-70, 2012.

ROCHA-PINTO, Sandra Regina; FREITAS, Angilberto Sabino; MAISONNAVE, Paulo, Roberto. Métodos Interpretativistas em Administração: Implicações para Pesquisadores. R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte , v.9, n.1, p. 115-127, jan./mar., 2010.

SHAH, Sonali; CORLEY, Kevin. Building better theory by bridging the quantitative-qualitative divide. Journal of Management Studies, v. 43, n.8, p. 1821-1835, 2006.

SILVA, Franklin Carlos Cruz; ALBUQUERQUE, Kátia Silene Lopes de Souza; GOMES, Sônia Maria da Silva. Discussão sobre a controvérsia do paradigma econômico na pesquisa empírica em Contabilidade Gerencial. Revista Contabilidade Vista & Revista, v.20, n.4, p. 87-107, out./dez., 2009.

TEIXEIRA, Maísa Gomide; ALBUQUERQUE FILHO, José Bonfim. Qualidade é interpretacionismo: proposta de superação do possível viés contra pesquisas qualitativas em estratégia. BASE – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v.8, n.1, p. 20 -33, jan./mar., 2011.

THEÓPHILO, Carlos. Renato. Uma abordagem epistemológica da pesquisa em contabilidade. 2000, 141 f. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Contabilidade e Atuária da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEAUSP), São Paulo, 2000.

THEÓPHILO, Carlos Rentao; IUDÍCIBUS, Sérgio de. Uma análise crítico-epistemológica da produção científica em contabilidade no Brasil. UnB Contábil, v.8, n.2, p. 147-175, 2005.

VERGARA, Sylvia Constant; CALDAS, Miguel Pinto. Paradigma Interpretacionista: Em busca da superação do objetivismo funcionalista dos anos 1980 e 1990. In: CALDAS, Miguel Pinto; BERTERO, Carlos Osmar. Teoria das organizações. São Paulo: Atlas, 2007. p. 223-234.

WAHYUNI, Dina. The research design maze: understanding paradigms, cases, methods and methodologies. Journal of Applied Management Accounting Research, v.10, n.1, 2012.

ZIMMERMAN, Jerold. L. Conjectures regarding empirical managerial accounting research. Journal of Accounting and Economics, v.32, n.1–3, p. 411–427, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n3-071

Apontamentos

  • Não há apontamentos.