Práticas e controles de finanças pessoais: comportamento dos agentes econômicos / Personal finance practices and controls: economic agent behavior

Gabriela Lippert Vettorello, Rosane Maria Seibert

Resumo


Este artigo trata das finanças pessoais e tem como objetivo identificar o perfil financeiro e as principais práticas e controles financeiros adotados pelos adultosem idade economicamente ativa, bem como se os mesmos organizam sua vida financeira no dia a dia. A pesquisa foi feita por meio de questionário eletrônicoo qual obteve um total de 460 respostas. O questionário foi enviado por diversas redes sociais e os participantes foram escolhidos de forma aleatória. Os resultados indicam que a maioria das pessoas tem conhecimento sobre as finanças, se utilizam de controles financeiros mais simples, tentam controlar suas dívidas e fazer investimentos, pois buscam tranquilidade financeira. Destaca-se que a pesquisa se limitou ao estudo das pessoas que estão em idade economicamente ativa. Sugere-se outras pesquisas mais detalhadas sobre o assunto, como crianças e oportunidade de traçar um perfil mais detalhado sobre os respondentes.


Palavras-chave


Este artigo trata das finanças pessoais e tem como objetivo identificar o perfil financeiro e as principais práticas e controles financeiros adotados pelos adultosem idade economicamente ativa, bem como se os mesmos organizam sua vida financeira no dia a

Texto completo:

PDF

Referências


ARCURI N. Me poupe, 10 passos para nunca mais faltar dinheiro no seu bolso. Rio de Janeiro: Sextante, 2018.

ASSAF NETO, A; LIMA G. F. Fundamentos de Administração Financeira. São Paulo: Atlas 2ª edição 2014.

BACEN – Banco Central do Brasil. Caderno de Educação Financeira – Gestão de Finanças Pessoais. Brasília: BCB,2013. 72 p. Disponível em:

BACEN – Banco Central do Brasil. 2019. Disponível em: 10.02.2019

BENARTZI, S.; THALER, R. H. Naive diversification strategies in defined contribution saving plans. American Economic Review, [s. l.], v. 91, n. 1, p. 79–98, 2011. Disponível em:

CAVALCANTI, R. B.; CALIXTO, P; PINHEIRO, M. M. K. Análise de conteúdo: Considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Info: Estudo, v. 24, n. 1, p. 13-18, 2014.

CERBASI, G. Como organizar sua vida financeira. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2015.

CERBASI, G. Casais Inteligentes Enriquecem Juntos. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2014.

CHEROBIM, A. P. M. S.; ESPEJO, M. M. dos S. B. (Orgs). Finanças pessoais: conhecer para enriquecer. São Paulo: Atlas, 2010.

CLEMEN, R.T. Making hard decisions: an introduction to decision analysis. Duxbury Press: Pacific Groove, 1996.

CNC - Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. 2017. Disponível em: Acesso em 12.11.2018

COSTA, T. A. Dissertação Novas Finanças: um estudo sobre a fragilidade da Hipótese de Mercado Eficiente. São Paulo. 2008.

CUSINATO, R. T.; PORTO JÚNIOR, S. A teoria da decisão sob incerteza e a hipótese da utilidade esperada. UFRG, 2005.

FAMÁ, R; CIOFFI, P. L.M.; COELHO, P. A. R. Contexto das Finanças Comportamentais: Anomalias e Eficiência do Mercado de Capitais Brasileiro. Revista de Gestão USP, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 65-78, abril/junho 2007.

GAVA, F. W. As finanças pessoais: entendendo os problemas financeiros e balanceando o orçamento doméstico. 54 f. Monografia-Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

GAVA, A. M.; VIEIRA, K. M. Tomada de decisão em ambiente de risco: uma avaliação sob a ótica comportamental. Read, ed. 49, v. 12, n. 1, jan.-fev. 2006.

GITMAN, L. J. Princípios de administração financeira. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

GRUSSNER, P. M. Administrando as finanças pessoais para criação de patrimônio. [s. l.], 2007.

HALFELD, M. Investimentos: como administrar melhor seu dinheiro. São Paulo: Fundamento Educacional, 2006.

HEATH, C.; O’CURRY, M. S. Mental accounting and consumer spending, Advances in consumer research, v.21, p.119, 1994

HOLANDA, A. B. Dicionário Aurélio. Editora Positiva, 1975. Disponível em: acesso em: 19.06.2018

HALFELD, M; TORRES, F F. L. Finanças comportamentais: aplicações no contexto brasileiro. RAE-Revista de Administração de Empresas, [s. l.], v. 41, n. 2, p. 64–71, 2001.

KAHNEMAN, D.; TVERSKY, A. Prospect theory: an analysis of decision under risk. Econométrica. v. 47, n. 2, p. 263-291, 1979.

KAHNEMAN, D. l.; THALER, R. H. Anomalies: Utility Maximization and Experienced Utility. Ssrn, [s. l.], v. 20, n. 1, p. 221–234, 2006.

KEYNES, J. M. A Teoria geral do Emprego do Juro e da Moeda. São Paulo, Nova Cultural, 328p.1936.

MACEDO JUNIOR, J. S. Teoria do prospecto: uma investigação utilizando simulação de investimentos. 2003.173 p. (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, 2003.

MILANEZ, D. Y. Finanças Comportamentais no Brasil. Universidade de São Paulo, [s. l.], p. 53, 2003. Disponível em:

PIRES, V. Finanças Pessoais, fundamentos e dicas. 1ª ed., Piracicaba: Equilíbrio, 2007.

ROSA, C. S. M. O livro da Economia. São Paulo; Globo, 2013.

ROSS, S. A.; WESTERFIELD, R. W.; JAFFE F. Administração financeira. São Paulo: Amgh, 2015.

THALER, R. Toward a positive theory of consumer choice. Journal of Economic Behavior and Organization, p. 39-60, 1980.

VASCONCELLOS FILHO, P. V.; PAGNONCELLI, D. Construindo Estratégias para vencer. Rio de Janeiro. Campus 2011.

YAMAMOTO, R. K. Estudo dirigido de estatística descritiva. São Paulo: Érica, 2009




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n3-058

Apontamentos

  • Não há apontamentos.