Gabriela Mazepa: projetando a partir dos excessos da Moda / Gabriela Mazepa: projecting from fashion excesses

Thais Leticia Pinto Vieira, Cristina de Araújo Seixas, Priscilla Ramalho Lepre

Resumo


Este artigo tem como objetivo registrar a trajetória da designer de moda Gabriela Mazepa, que por meio de sua experiência e formação, tornou-se uma das pioneiras no Brasil a criar, produzir e estimular o uso de roupas dentro de uma perspectiva para uma moda mais sustentável. Sua vasta atuação abrange desde a produção industrial, aos projetos individuais ressignificando peças de roupas exclusivas, tanto no Brasil como em outros países como França, Inglaterra e Sri Lanka. A estilista criou a marca Re-roupa e difunde novas práticas em relação à moda, fazendo e ensinando a fazer, transformando roupas não mais valorizadas em produtos que se tornem objeto de desejo novamente. Cria moda levando em conta os três principais aspectos da sustentabilidade: sociais, econômicos e ambientais. Para garantir um registro coerente e relevante foram coletados dados por meio de revisão da literatura, publicações na web e entrevista com a própria profissional.


Palavras-chave


Gabriela Mazepa, Moda sustentável, Upcycling, Indústria da Moda, Re-roupa

Texto completo:

PDF

Referências


BLOMSMA, F., BRENNAN, G. (2017). The Emergence of Circular Economy: a New Framing Around Prolonging Resource Productivity. Journal of Industrial Ecology, v.21, n.3, 2017, p.603-614.

CAPETO, Isabela. A marca. 2018. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2018.

DE CARLI, Ana Mery Sehbe; MANFREDINI, Mercedes Luisa (Org.). Moda em sintonia. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2010.

DELMAS, M.A; BURBANO, V.C. The drivers of greenwashing, California Management Review, 54(1), 64- 87, 2011.

ELLEN M’ARTHUR FOUNDATION. A New Textiles Economy: Redesigning Fashion’s Future. 2017.Disponível em: http://www.ellenmacarthurfoundation.org/ publications). Acesso em: 10 mar. 2019.

FARM. Natureza Feminina: é lançamento! farmrio. Jul. 2018. Disponível em: https://www.farmrio.com.br/br/categoria/categorias-re-roupa/_/N-xunc52?Nrpp=5. Acesso em: 25 jul. 2018.

FARM/ DIVULGAÇÃO. Farm e Re-Roupa: coleção possui 200 peças únicas, com estampas novas e antigas da Farm. Estado de São Paulo. 22 jul. 2018. Disponível em: https://emais.estadao.com.br/fotos/moda-e-beleza,farm-e-re-roupa,823237. Acesso em: 25 jul. 2018.

FIRJAN (Rio de Janeiro). Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Org.). Moda + Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Senai Moda Design, 2013. 96 p.

FLETCHER, Kate; GROSE, Linda. Moda & sustentabilidade: design para mudança. São Paulo: Senac São Paulo, 2011.

HAN, Sara L. C. et al. Standard vs. Upcycled Fashion Design and Production. Fashion Practice, [s.l.], v. 9, n. 1, p.69-94, 8 nov. 2016. Informa UK Limited.

IED RIO (Brasil). Workshop Re-roupa no IED Rio. 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 jan. 2019.

INSTITUTO ALINHA (São Paulo). Quem somos. 2019. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2019.

INSTITUTO E. Sobre. 2019. Disponível em: . Acesso em: 8 jan. 2019.

INSTITUTO FASHION REVOLUTION BRASIL. Empresas brasileiras de moda sustentável: uma linha do tempo. Fashion Revolution Forum, São Paulo, n. 1, p.23-25, 8 abr. 2018.

LEPRE, Priscilla R.; SANTOS, Aguinaldo dos. Implicações da Sustentabilidade no Escopo de Atuação do Design. Estudos em Design v. 16, n. 2, 2008.

LEWIS, Helen; GERTSAKIS, John; et al. Design + Environmental: A Global Guide to Designing greener goods. Sheffield: Greenleaf Publishing Limited, 2001.

MAIA, Bibiana. Como a Re-Roupa usa a moda criada a partir de resíduos para provocar a própria indústria. Draft. 4 set. 2017. Disponível em: https://projetodraft.com/como-a-re-roupa-usa-a-moda-criada-a-partir-de-residuos-para-provocar-a-propria-industria/. Acesso em: 17 jun. 2018.

MALHA (Rio de Janeiro). História. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2019.

MANZINI, Ezio; VEZZOLI, Carlo. Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis: requisitos ambientais dos produtos industriais. São Paulo: Edusp, 2002.

MAZEPA, Gabriela. Entrevista concedida a Cristina Seixas e Thais Vieira. Rio de Janeiro, 10 jun. 2017

MAZEPA, Gabriela. LinkedIn Corporation. 2013. Disponível em: https://www.linkedin.com/in/gabriela-mazepa-67809140/?locale=pt_BR. Acesso em: 17 jan. 2019.

OSKLEN (Rio de Janeiro). ASAP: As sustainable as possible. 2018. Disponível em: . Acesso em: 5 jan. 2019.

EUROPEAN COMMISSION-EC. Sustainability of Textiles. Retail Forum for Sustainability. Disponível em: http://ec.europa.eu/environment/industry/retail/ pdf/issue_paper_textiles.pdf. Acesso em: 7 mar.2019.

RE-FARM, RE-ROUPA: TRANSFORMAR É URGENTE! FARM. 5 dez. 2017. Disponível em: https://www.farmrio.com.br/br/adorofarm/post/re-farm-re-roupa-transformar-e-urgente/_/A-blogPost-17000004.ptbr. Acesso em: 21 jul. 2018.

RE-ROUPA (Brasil). Roupa feita de roupa. 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2019.

REROUPA. Instagram. 21 jul. 2018. Disponível em: https://www.instagram.com/p/BlawRiSg9N6/. Acesso em: 24 jul. 2018.

SALCEDO, Elena. Moda ética para um futuro sustentável. Tradução de Denis Fracalassi. São Paulo: GG BR - Gustavo Gili, 2014. Coleção GG Moda.

VAN DER VELDEN; Natascha M.; KUUSK, Kristi; KÖHLER, bAndreas R..Life cycle assessment and eco-design of smart textiles: The importance of material selection demonstrated through e-textile product redesign. Materials & Design. Volume 84, 5 November 2015, Pages 313-324. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/ article/pii/S0264127515300174. Acesso em: 10 mar. 2019.

VIEIRA, Thais Leticia Pinto. O design para inovação social e sustentabilidade e as novas formas de consumo de roupas. 2015. 211 f. Tese (Doutorado) - Curso de Engenharia de Produção, Gestão da Inovação, COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n3-037

Apontamentos

  • Não há apontamentos.