Ética profissional e competência moral dos acadêmicos de ciências contábeis de uma IES na região amazônica / Professional ethics and moral competence ofaccounting sciences’ academics of a higher education institution in the amazon region

Angelina Maria de Oliveira Licório, Felipe Figueira Silva, Juliana Gonçalves Sturzenegger, Rádeo Sousa Silva

Resumo


O estudo tem por objetivo avaliar a competência moral, por meio da aplicação do Moral Judgment Test (MJT), de Kohlberg, entre os estudantes do curso de Ciências Contábeis de uma IES da Região Amazônica do Brasil. O MJT é um instrumento desenvolvido por Kohlberg onde são apresentados alguns dilemas morais aos entrevistados. O desenvolvimento moral é medido a partir das respostas obtidas na entrevista. Esta pesquisa comparou todas as turmas da graduação, aplicando o instrumento em 30% dos alunos de cada período. Sobre o desenvolvimento moral, foram avaliados fatores como gênero, influência por períodos iniciais e períodos finais, e os acadêmicos do curso de modo geral. Os resultados foram obtidos a partir do percentual C-index, que classifica o desenvolvimento moral em: baixo (1 a 9 pontos), médio (10 a 29 pontos), alto (30 a 49 pontos) e muito alto (maior que 50 pontos). Nesta pesquisa alguns acadêmicos ficaram abaixo dessa classificação, não atingindo nenhum dos níveis estabelecidos. O fato de haver muitos acadêmicos concentrados no nível médio de competência moral deve ser motivo de alerta para os professores e coordenadores, de modo a buscar estratégias que modifiquem esse quadro.


Palavras-chave


Competência Moral, Moral Judgment Test (MJT), Ética Profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, M. C. C.; WHITAKER, M. do C.; RAMOS, J. M. R. Fundamentos de Ética Empresarial e Econômica. 2ª Edição. Editora Atlas. São Paulo. 2003.

BATAGLIA, P. U. R. A validação do Teste de Juízo Moral (MJT) para diferentes culturas: o caso brasileiro. Psicologia: reflexão e crítica, Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 83-91, 2010.

BATAGLIA, P. U. R.; SHIMIZU, A. M.; LEPRE, R. M. A teoria de Kohlberg sobre o desenvolvimento do raciocínio moral e os instrumentos de avaliação de juízo e competência moral em uso no Brasil. Estudos de Psicologia, Natal, v. 15, p. 25-32, 2010.

BRASIL, Conselho Federal de Contabilidade. Resolução 803/1996. Código de Ética Profissional do Contabilista. Brasília, 1996. Disponível em: < http://www.cfc.org.br/sisweb/sre/docs/RES_803.doc> Acesso em 11 out. 2014.

CAMPOS, M.; GREIK, M.; VALE, T. do. História da Ética. Revista CienteFico. Ano 2, vol. 1. Salvador, agosto-dezembro. 2002. Disponível em: < http://www.ricardoalmeida.adm.br/Historia_da_Etica.pdf> Acesso em 16 de abril de 2014.

COIMBRA, J.de A. A. Fronteiras da Ética. São Paulo: SENAC, 2002.

CORTINA, A; NAVARRO E.M. Ética. Edições Loyola. São Paulo. Brasil. cap. 1, p. 9-26. 2005.

DUSKA, R; WHELAN, M.O desenvolvimento Moral da Idade Evolutiva: Um guia a Piaget e Kohlberg. São Paulo: Loyola, 1994.

EGG, R. F. R. Ética nas Organizações. Curitiba: IESDE, 2012.

FEITOSA, H. N.; REGO, S.; BATAGLIA, P. U. R.; REGO, G.; RUI, N. Competência de Juízo Moral dos Estudantes de Medicina: um Estudo Piloto. Revista Brasileira de Educação Médica.Manguinhos, p. 5-14. 2013. Disponível em: Acesso em: 15 set. 2014.

FERREIRA, A. B. de H. Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 5ª ed. Curitiba. Editora Positivo. 2272 p. 2010.

FREITAS, A. C.; DIEHL, C. A.; MACAGNAN, C. B. A percepção de ética de curso de graduação em ciências contábeis. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade.Brasília, v.5, n. 1, p. 21-49. Jan/abr. 2011. Disponível em: Acesso em: 20 set. 2014.

INEP, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior. Dados apontam aumento do número de matrículas. Brasília, 2015, dez. Disponível em: Acesso em 5 dez. 2015.

KRAERMER, M. E. P. Ética, sigilo e o profissional contábil. Contabilidade Vista e Revista.Belo Horizonte, v.12, n.2, p.33-48. Ago. 2001. Disponível em: http://web.face.ufmg.br/face/revista/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/175/ 169 Acesso em: 15 set. 2014.

LIMA, O.das C. Auditoria. Curitiba: IESDE, 2012.

MACHADO, V. S. de A.; NOVA, S. P. de C. Análise comparativa entre os conhecimentos desenvolvidos no curso de graduação em contabilidade e o perfil do contador exigido pelo mercado de trabalho: uma pesquisa de campo sobre educação contábil. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade.Brasília, v.2, n.1, p.1-23. Jan/abr. 2008. Disponível em: http://www.repec.org.br/index.php/repec/article/viewArticle/19 Acesso em: 15 set. 2014.

PELEIAS, I.R.; SILVA, G.P. da; SEGRETI, J.B.; CHIROTTO, A.R. A evolução do ensino da contabilidade no Brasil: uma análise histórica. Revista de Contabilidade. São Paulo. p.19-32, junho de 2007. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rcf/v18nspe/a03v18sp.pdf> Acesso em: 15 set. 2014.

PIAGET, J. A epistemologia genética: sabedoria eilusões na filosofia: problemas de psicologia genética. 2.ed. São Paulo: abril Cultural, 1983.

RESENDE, M. M. Jeitinho brasileiro tem jeito? O efeito do jeitinho brasileiro e da identidade moral no comportamento ético nas organizações.2015, 115 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações). Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações. Instituto de Psicologia. Universidade de Brasília, Brasília.

SÁ, L. de. Ética Profissional. 5ª Edição. Editora Atlas. São Paulo. 2004.

SIENA, O. Metodologia da pesquisa científica: elementos para elaboração e apresentação de trabalhos acadêmicos. Porto Velho, GEPES/CDR/UNIR, 2007. ISBN 978-85-7764-023-2. Disponível em . Acesso em 16 de abril de 2014.

SOUSA, C. P.; DOS SANTOS, C. de M.; SILVA, L. B. V. A moralidade pública e a contabilidade: o papel social desse profissional fundamentado na responsabilidade ética, civil e penal. Revista Jurídica Eletrônica da UFPI, Teresina, v. 2, n. 01,2016.

STUKART, H. L. Ética & Corrupção: os benefícios da conduta ética na vida pessoal e empresarial. São Paulo: Nobel, 2003.

VELTER, F.; MISSAGIA, L. Auditoria Para Concursos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

WELLS, B.; SPINKS, N. Ética de cima para baixo. HSM Management. São Paulo, p. 142-146. Mar/abr. 1998.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n3-030

Apontamentos

  • Não há apontamentos.