Psicologia organizacional e do trabalho - Plataforma da gestão do conhecimento / Organizational and work psychology - Knowledge management platform

Adelcio Machado dos Santos

Resumo


A Psicologia Organizacional e do Trabalho se ocupa, especificamente, do como e o porquê fazer, nas organizações e no trabalho em geral, busca especializar-se na persecução das pessoas apropriadas para alimentar o crescimento e treiná-las para exercer fainas necessárias à organização. Por fim, esta disciplina desempenha papel estratégico para a excelência organizacional, fundamental para afrontar desafios competitivos, tais como a globalização, o uso das novas tecnologias e do capital intelectual. A articulação da Sociologia Organizacional com a Gestão do Conhecimento pode melhorar o atendimento aos clientes e o relacionamento com os stakeholders, aumentar a autonomia dos empregados, atrair e reter os melhores colaboradores, facilitar a obtenção da informação e a criação de novos conhecimentos. Em resultado, utiliza a inteligência dispersa na organização, adota decisões de melhor qualidade, cria processos operacionais e promove a integração das ilhas do conhecimento existentes na organização. A Psicologia Organizacional e do Trabalho auxilia o indivíduo e a organização a superarem barreiras para o desenvolvimento individual e grupal através da aprendizagem, possibilitando o ajustamento laboral e social exigido pelas organizações e pela sociedade.


Palavras-chave


Sociologia Organizacional, Interação, Gestão do Conhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


ADOLFO, L. G. S. Globalização e estado Contemporânea. São Paulo: Memória Jurídica, 2001.

AGUIAR, M. A. F. Psicologia aplicada à administração: uma abordagem multidisciplinar. São Paulo: Saraiva, 2005.

BARBOSA, Alexandre de Freitas. O mundo globalizado. São Paulo: Contexto, 2001.

BERGAMINI, C. W. Psicologia aplicada à administração de empresas: psicologia do comportamento humano na empresa. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1981.

BOCK, A. M. B.; TEIXEIRA, M. L. T.; FURTADI, O. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. 13. ed. reform. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2002.

CABRAL, A.; NICK, E. (org.). Dicionário técnico de psicologia. 14. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

COMIN-SCORSOLINI, F.; INOCENTE, D. F,; MIURA, I. K. Aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento: pautas para a gestão de pessoas. Revista Brasileira de Orientação Profissional, Porto Alegre, v.12, n. 2, p. 227-239, Jul/Dez 2011. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbop/v12n2/10.pdf. Acesso em: 20 maio 2020.

CÓRIA-SABINI, M. A. Fundamentos de Psicologia. 2 ed. São Paulo: Ática, 1990.

CUNHA, M. V. Psicologia da educação. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

FIORELLI, J. O. Psicologia para administradores: integrando teoria e prática. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

FLEURY, A. & FLEURY, M.T.L. Aprendizagem e inovação organizacional - as experiências de Japão Coréia e Brasil. São Paulo: Atlas, 1997.

PASOLD, C. L. Metodologia da pesquisa jurídica: teoria e prática. 15. ed. Florianópolis: Conceito Editorial, 2015.

RUAS, R. Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In: RUAS, R.; ANTONELLO, C. S.; BOFF, H. Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. São Paulo: Bookman, 2005.

SORDI, J. O. Gestão por Processos: uma abordagem da moderna administração. São Paulo: Saraiva, 2005.

SOUZA, J. A.G. S. Práticas avaliativas: reflexões. Universidade Federal de Juiz de Fora. 2010.

Disponível em: http://www.ufjf.br/virtu/files/2010/04/artigo-2a17.pdf . Acesso em: 20 maio 2020.

TELES, M. S. O que é Psicologia. 19. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

ZANELLI, J. C. O psicólogo nas organizações de trabalho. Porto Alegre: Armed, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n3-023

Apontamentos

  • Não há apontamentos.