Regionalismo versus multilateralismo: um estudo da integração da associação das nações do Sudeste asiático (ANSEA) / Regionalism versus multilateralism: a study of the association of Southeast asia nations (ASEAN)

Daiana Leandro

Resumo


A participação da Ásia no mercado internacional, através dos fluxos de exportação e importação, tornou a região responsável por grande parte do dinamismo da economia mundial. Com o fracasso das rodadas multilaterais de comércio, no âmbito da OMC, muitos países começaram a fazer acordos regionais de comércio. Neste contexto, a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ANSEA) se destaca pela forma inusitada de integração. Ao contrário da maior parte das integrações regionais, os países-membros da ANSEA possuem mais diferenças do que semelhanças em âmbito, cultural, linguístico, econômico e político. Apesar das diversidades encontradas entre os países-membros o bloco tem progredido por meio da forte cooperação e busca por segurança regional. A ANSEA tem planejado o aprofundamento da integração econômica com o intuito de se tornar uma união econômica e monetária, no entanto, o fator agravante para que se possa dar sequência neste plano é a criação de um órgão supranacional. O aprofundamento da integração econômica não tem o ganho certo de bem-estar, podendo ocorrer o desvio de comércio. O objetivo deste trabalho foi descrever o regionalismo após o fracasso das rodadas multilaterais de comércio, dando enfoque a ANSEA. Esta pesquisa foi viável devido ao material encontrado em livros, artigos científicos, sites governamentais, e outras publicações correlatas. O presente estudo possui abordagem de caráter qualitativo, cujos fins foram descritivos.

 


Palavras-chave


Regionalismo, Multilateralismo, ANSEA.

Texto completo:

PDF

Referências


ADBI, Asian Development Bank Institute. ASEAN 2030: toward a bordless economic community. Tóquio, 2014. Disponível em: . Acesso em: 02 abr 2018.

ALMEIDA, P. R. O Mercosul no contexto regional e internacional. São Paulo: Edições Aduaneiras, 1993.

______. Integração regional: uma introdução.1. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

ARIC, Asia Regional Integration Center. 2017. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2018.

ASEAN Secretariat. About ASEAN. 2018. Disponível em: < http://asean.org/asean/about-asean/history/>. Acesso em: 02 abr 2018.

BALASSA, B. Teoria da integração econômica. Lisboa: Clássica Editora, 1961.

BAUMAN, R.; CANUTO, O.; GONÇAVES, R. Economia internacional: teoria e experiência brasileira. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BELLI, B. Interdependência assimétrica e negociações multilaterais: o Brasil e o regime internacional de comércio (1985 a 1989). 1994. f. 142. Dissertação apresentada como requisito para a obtenção do título de mestre em Ciência Política, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1994.

BHAGWATI, J. Regionalism and multilateralism: an overview. In: DE MELO, J.; PANAGARIVA, A. New dimensions in regional integration. Word Trade Organization, Geneva: Cambridge University Press, 116-134, 1993.

CAPANNELLI, G. The ASEAN economy in the regional context: Opportunities, challenges, and policy options. ADB working paper series on regional economic integration, no. 145. Dezembro. Manila: Asian Development Bank, 2014.

CARVALHO, M. A.; SILVA, R. L. Economia internacional. São Paulo: Saraiva, 2006.

CAVUSGIL, S. T.; KNIGHT, G.; RIESENBERGER, J. R. Negócios internacionais: estratégia, gestão e novas realidades. São Paulo: Pearson, 2010.

CIA. Central Intelligence Agency. World factbook. 2018. Disponível em: < https://www.cia.gov/library/publications/resources/the-world-factbook/>. Acesso em: 05 maio 2018.

CORREA, G. L. Integração monetária e financeira na ASEAN: contexto atual e perspectivas. 2015. f. 91. Monografia apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de bacharel em Economia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

DAINEZ, V. I.; MORINI, C.; SIMÕES, R. C. F. Economia e negócios internacionais. 2. ed. Campinas: Alínea, 2012.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa: o planejamento da pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

GIL, C. A. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas,

GONÇALVES, B.O. Regionalismo: o acordo de livre-comércio China-ASEAN. 2015. f. 42. Monografia apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de bacharel em Relações Internacionais, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

HILL, H; MENON, J. ASEAN economic integration: features, fulfillments, failures and the future. ADB working paper series on regional economic integration, n. 69, December. Manila: Asian Development Bank, 2010.

IMF, International Monetary Found. World economic outlook database, April 2018. 2018. Disponível em: . Acesso em: 02 abr 2018.

KOHLI, H.S.; ASHOK, S.; ANIL, S. Asia 2050: Realizing the Asian century. Nova Delhi: Sage Publications, 2011.

KRUGMAN, P. R.; OBSTEFELD, M. Economia internacional: teoria e política. 4. ed. São Paulo: Makron Books, 1999.

KRUGMAN, P. R.; OBSTEFELD, M; MELITZ, M. J. Economia internacional. 10. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2015.

LEIPNITZ, D. S. Regionalismo vs. multilateralismo: evidências de regionalismo aberto no mercosul. 2010. f. 108. Monografia apresentada como requisito obrigatório para a obtenção do título de bacharel em Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

LUPI, A. L. P. B. Soberania, OMC e Mercosul. 1. ed. São Paulo: Aduaneiras, 2001.

LUZ, R. T. Relações econômicas internacionais: teoria e questões. 2. ed. rev. Rio de Janeiro: Elsevier: 2008.

MATIAS-PEREIRA, J. Manual de metodologia da pesquisa científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

POMFRET, R. W. T. Regionalism in East Asia: why has it flourished since 2000 and how far will it go? Singapura: World Scientific Publishing, 2011.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SIMÕES, L. C. Integração regional no leste asiático: ASEAN, ASEAN+3 e a disputa pela liderança regional. 2012. f. 277. Dissertação apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de mestre em Relações Internacionais, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

STUDWELL, J. How Asia works: success and failure in the world’s most dynamic region. Londres: Groove Press, 2013.

THORSTENSEN, V. Os acordos regionais e as regras da OMC. In: AMARAL JÚNIOR, A. (Coord.). OMC e o comércio internacional. São Paulo: Aduaneiras, 2002. p. 161-204.

WITS, World Integrated Trade Solution. Development indicator. 2016. Disponível em: < https://wits.worldbank.org/countrystats.aspx?lang=en>. Acesso em: 02 mar 2018.

WORLD BANK. Agriculture, value added (% of GDP). 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 mar 2018.

______. Development indicators. 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 mar 2018.

______. Industry, value added (% of GDP). 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 mar 2018.

______. Service, value added (% of GDP). 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 mar 2018.

WTO, World Trade Organization. Trade Profile 2017. 2017a. Disponível em: . Acesso em: 30 mar 2018.

______. World Trade Statistical Review 2017. 2017b. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2018.

UN, United Nations. Human development reports. 2008. Disponível em: . Acesso em: 02 mar 2018.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n3-016

Apontamentos

  • Não há apontamentos.