Múltiplos de ações e indicadores financeiros para seleção de carteiras: uma análise para o mercado acionário brasileiro / Stock Multiples and Financial Indicators for Portfolio Construction: an Analysis for the Brazilian Stock Market

Vítor Martins Peralva

Resumo


Este estudo analisa a utilização de múltiplos de ações e indicadores financeiros para construção de carteiras de ações com o objetivo de apresentar desempenho superior ao índice Ibovespa, além de identificar o método mais adequado para a determinação dos pesos dos ativos das carteiras. Para isso, foram formados portfólios com base nos maiores e menores índices Preço/Lucro, Preço/Valor Patrimonial, Enterprise Value/EBITDA, Enterprise Value/Receita, Dívida Total/Patrimônio Líquido, Dívida de Curto Prazo/Dívida Total, Liquidez Corrente, Giro do Ativo e Retorno sobre o Patrimônio Líquido das ações de empresas listadas na BM&FBovespa no período de 2004 a 2014. Construiu-se carteiras de variância mínima, igualmente ponderada e de acordo com o valor do múltiplo em questão. Os resultados mostraram que os índices Preço/Lucro, Preço/Valor Patrimonial, Enterprise Value/EBITDA, Enterprise Value/Receita, Liquidez Corrente, Giro do Ativo e Retorno sobre o Patrimônio Líquido direcionam a construção de carteiras capazes de superar o Ibovespa e que as carteiras de variância mínima obtiveram os melhores resultados em termos de risco e retorno.

 


Palavras-chave


análise fundamentalista, ações, múltiplos de ações, indicadores financeiros, otimização de carteiras.

Texto completo:

PDF

Referências


Araújo, R. L. F., & Maia, S. F. (2011). O papel da análise fundamentalista na formação de uma carteira de ações para investimentos: Um estudo empírico nas empresas que compõem o índice imobiliário na BM&FBOVESPA, Anais do XIII Encontro de Extensão - UFPB, Joao Pessoa, PB.

Assaf Neto, A. (2006). Mercado Financeiro (7a ed.), São Paulo: Atlas.

Basu, S. (1977). The investment performance of common stocks in relation to their price to earnings ratio: A test of the efficient markets hypothesis, The Journal of Finance 32(3): 663- 682.

Cordeiro, R. A., & Machado, M. A. V. (2013). Estratégia de valor ou de crescimento? Evidencias empíricas no Brasil, Revista Brasileira de Gestão de Negócios 15(46): 91-111.

Costa Jr, N. C. A., & Neves, M. B. E. (2000). Variáveis fundamentalistas e os retornos das ações, Revista de Economia Brasileira 54(1): 123-137.

Damodaran, A. (1997). Avaliação de Investimentos: Ferramentas e Técnicas para Determinação do Valor de Qualquer Ativo, Rio de Janeiro: Qualitymark.

Fama, E. F., & French, K. R. (1992). The cross-sections of expected stock returns, The Journal of Finance 47(2): 427-465.

Fritzen, M. (2004). Fatores determinantes do preço das ações em mercados ineficientes - Um estudo do mercado acionário brasileiro no período de 1995 a 2003. Dissertação de Mestrado,

Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Galdi, F. C. (2008). Estratégias de investimento em ações baseadas na análise de demonstrações contábeis: É possível prever o sucesso? Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Gewehr, D. H. (2007). Avaliação relativa de ações baseada em múltiplos de mercado projeta- dos e passados: Um estudo comparativo de performance na Bovespa. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Graham, B., & Dodd, D. L. (1934). Security Analysis, New York: McGraw-Hill.

Hazzan, S. (1991). Desempenho de ações da Bolsa de Valores de São Paulo e sua relação com o índice preço-lucro. Tese de Doutorado, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, SP, Brasil.

Markowitz, H. (1952). Portfolio selection, The Journal of Finance 7(1): 77-91.

Mellone Jr, G. (1999). Evidencia empírica da relação de cross-section entre retorno e earnings to price ratio e book to market ratio no mercado de ações do Brasil no período de 1995 a 1998, Anais do 23 ENANPAD, Foz do Iguaçu, PR.

Rostagno, L., Soares, R. O., & Soares, K. T. C. (2006). Estratégias de valor e crescimento em ações na Bovespa: Uma análise de sete indicadores relacionados ao risco, Revista Contabilidade & Finanças 17(42): 370-402.

Rubesam, A., & Beltrame, A. L. (2013). Carteiras de variância mínima no Brasil, Revista Brasileira de Finanças 11(1): 81-118.

Rycheski, L. M. (2013). A importância das demonstrações contábeis na elaboração de uma carteira de investimentos: E possível aplicar com segurança? Trabalho de Conclusão de Curso, Graduação em Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Salgueiro, G. C. (2007). Comparação das filosofias de investimento de Benjamin Graham e Warren Buffett: Aplicação no mercado brasileiro. Monografia, Graduação em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Shen, K., & Tzeng, G. (2015). Combined soft computing model for value stock selection based on fundamental analysis, Applied Soft Computing 37: 142-155.

Silva, A., Neves, R., & Horta, N. (2015). A hybrid approach to portfolio composition based on fundamental and technical indicators, Expert Systems with Applications 42: 2036-2048.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n3-012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.