Ferramenta de gestão baseada nos princípios da economia de comunhão (EdC): uma proposta para arranjos produtivos locais (APLs) / Management tool based on the principles of economy of communion (EOC): a proposal for local productive arrangements

Pedro Tadeu Bertto, Fernando Celso de Campos

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar uma proposta de ferramenta de gestão baseada nos princípios da economia de comunhão (EdC) como uma possível alternativa de gestão a ser aplicado à micro, pequenas e médias empresas (MPME), principalmente em arranjos produtivos locais (ou APLs). A economia de comunhão na liberdade nasceu em 1991, pela iniciativa de Chiara Lubich, também fundadora do movimento dos focolares (MF), do qual herdou sua espiritualidade. As empresas que operam vinculadas a EdC têm por base a cultura da partilha e a comunhão e, embora operem na economia de mercado, se caracterizam por um estilo de gestão mais humanizado, no qual o lucro (sem ser desconsiderado) cede lugar ao ser humano que passa a ocupar o lugar central. O método desse trabalho partiu de uma revisão bibliográfica e um processo de pesquisa de campo narrado em Bertto (2014). Como resultado apresentou-se uma macrovisão de um framework para gestão de empresas em APLs sob princípios da EdC e uma ferramenta de gestão para acompanhamento nas 7 (sete) dimensões prescritas. Assim, o presente estudo, procura identificar as características que possam servir como inspiração e contribuir para a gestão de quaisquer outras empresas, mesmo que não vinculadas ao projeto formal da EdC. Aplicações em pesquisas futuras envolvendo empresas de APLs buscarão a confirmação dessa visão.

Palavras-chave


economia de comunhão, gestão, cultura da partilha, framework, ferramenta.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. A.; LEITÃO, S. P. Empresas de economia de comunhão e razão substantiva. Revista de Administração Pública, v. 37, n. 6, p. 1145-1170, nov./dez. 2003.

AMATO NETO, J. Gestão de Sistemas Locais de Produção e Inovação. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

ARAÚJO, V. Economia de comunhão e comportamentos sociais. In: COSTA, Rui. et al. Economia de Comunhão. São Paulo: Cidade Nova, 1998.

BERTTO, P.T.. A ECONOMIA DE COMUNHÃO COMO UM MODELO ALTERNATIVO DE GESTÃO E COOPERAÇÃO EM ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS. TESE. (DOUTORADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) – UNIMEP. SANTA BÁRBARA D’OESTE, S.P.. 2014.

BERTTO; P.T.; CAMPOS, F.C.. A ECONOMIA DE COMUNHÃO COMO UM MODELO ALTERNATIVO DE CONSTITUIÇÃO, GESTÃO E COOPERAÇÃO EM ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS. CURITIBA: ED. APPRIS, 2016.

BRANDALISE, L.A.; A finalidade do lucro para as empresas da Economia de Comunhão. Tese (Doutorado). USP São Paulo, 2003.

BRUNI, L. Economia de Comunhão – Uma cultura econômica em várias dimensões. Vargem Grande Paulista: Editora Cidade Nova, 2002.

. Comunione e Le nuove parole dell’economia (Comunhão e as novas palavras em economia) – Tradução de José Eustáquio Rosa. Editora Cidade Nova. São Paulo.2005.

CARVALHO, M. L. Economia de Comunhão: Representações Sociais e Ideologia de uma nova proposta de responsabilidade social. Tese. (Doutorado). Pontifícia Universidade Catórica do Rio Grande do Sul, 2006.

FERNANDES, V. A dimensão ambiental em organizações produtivas: uma análise da racionalidade da Economia da Comunhão (EdC). Tese. (Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, 2007.

FERRUCCI, A.. Linhas para a gestão de uma empresa de Economia de Comunhão. Noticiário da EdC nº 28. Dezembro de 2008. Disponível em . Acesso em 15/10/2013.

GONÇALVES, H. H. A. B. Q.; MEDEIROS, M. G. & ROCHA M. G. Engenharia de Produção e Economia de Comunhão: Trabalhar é Preciso. Anais do XII Simpep. Bauru, 2005.

GONÇALVES, H. H. G. Descortinando persperctivas para um novo agir ético: geografando e corporificando a cultura da partilha na Economia de Comunhão. Tese. (Doutorado). Universidade Federal Fluminense, 2009.

———; LEITÃO, S. P. Empresas de economia de comunhão: o caso Femaq. Revista de Administração Pública, v. 35, n. 6, p. 33-60, nov./dez. 2001.

LEIBHOLZ, R. Projeto ESPRI 2010. In: Movimento dos Focolares. Economia de Comunhão - Congresso Nacional 2002.São Paulo, 2002.

LEITÃO, S.P.; SPINELLI, Renée Assayag. Economia de comunhão no Brasil: a produção acadêmica em administração de 1991 a 2006. RAP, Rio de Janeiro, v. 42, n. 3, p. 451-69, mai./jun. 2008. Disponível em: http://www.ebape.fgv.br/academico/asp/dsp_rap_artigos.asp?cd_edi=52. Acesso em: set/2011.

LEITE, KELEN CHRISTINA. Economia de Comunhão: Uma Mudança Cultural E Política Na Construção Do Princípio da Reciprocidade nas Relações Econômicas. Tese. (Doutorado). Universidade Federal de São Carlos, 2005.

LUBICH, Chiara. Economia de comunhão: História e profecia. Tradução Irami B. Silva e Humberto L. S. Almeida. Vargem Grande Paulista: Editora Cidade Nova, 2004.

LUCAS, A.D.P.; BARBOSA FILHO, A.N. Economia de Comunhão: um modelo de gestão responsável. Anais do XXVI Enegep. Fortaleza, 2006.

MACHADO, A.M.M.; DESIDERI, P.E.S. Projeto de Economia de Comunhão: uma porta para repensar a gestão empresarial. Anais do XXIII Enegep. Ouro Preto, 2003.

MACHADO, A.M.M.; MELO, A.C. & DESIDERI, P.E.S. Economia de Comunhão: Razão Substantiva na Gestão? Anais do XXIV Enegep. Florianópolis, 2004.

MACHADO, A.C.M. Economia de Comunhão: elementos para uma teoria organizacional. Tese. (Doutorado). Pontifícia Universidade Católica. 2006.

MARQUES, D. S.P.; MERLO, E. M.; NAGANO, M. S. Economia de comunhão e redes de empresas: estudo de caso e análise de conteúdo Rev. FAE, Curitiba, v.10, n.2, p.115-129, jul./dez. 2007

MARTINS, C.H.; FRANCO, D. D. & SILVA, J.M. Desenvolvimento sustentável no contexto do desenvolvimento econômico e a contribuição da Economia de Comunhão. Anais do XIII Simpep. Bauru, 2006.

MEDRANO, J. A. V. Comunicação organizacional integrada: Alicerce intrínseco da Economia de Comunhão. Tese. (Doutorado). USP de São Paulo, 2007.

MELO, M.O.B.C.; CAVALCANTI, G.A., SANTOS, A.S.; VERGOLINO, J.R. Gestão De Empresas na Economia De Comunhão: Estudo De Caso No Nordeste Do Brasil. Revista Gestão Industrial, V. 04, N. 04: p. 76- 91, 2008.

PINTO, M. C.; LEITÃO, S. P. Economia de Comunhão: empresas para um capitalismo transformado. Rio de Janeiro. Editora FGV, 2006.

SAMPAIO, M. A. L.; LEITÃO, S.P. Economia de Comunhão e organizações de aprendizagem: compatibilidades conceituais. RAP Rio de Janeiro 41 (3) p. 419-42, Mai/jun.2007.

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa. Disponível em . Acesso em 15/02/2014.

SERAFIM, M.C. A Ética no Espaço de Produção: Contribuições da Economia de Comunhão. Dissertação. (Mestrado). Universidade Federal de Sergipe, 2001.

SIQUEIRA, E.S.; SPERS, V.R.E. Religião e Organizações: antagonismo aparente, proximidade latente. Uma reflexão sobre a economia de comunhão. Revista Impulso, Piracicaba, 19 (48): 73-84, jul. – dez. 2009.

SILVA, A. P. Proposta de Aplicação da Inteligência Competitiva em uma Rede de Cooperação. 2012. 117f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção). Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo da Universidade Metodista de Piracicaba. Santa Bárbara D’Oeste: São Paulo. 2012.

SILVA, Guido Vaz.; LACERDA, Danel Pacheco. Relações de Poder no Projeto Economia de Comunhão. Rev. Adm. UFSM, Santa Maria, v. 3, p. 76-93, jan./abr. 2010.

SOUZA, M. C. Modelo para viabilização de ações de cooperação entre micro e pequenas empresas no Arranjo Produtivo Local de Vila Velha (ES). 2010. 180f. Tese. UNIMEP. Santa Bárbara D’Oeste: São Paulo. 2010.

SOUZA, M.C.; Campos, F. C; Oliveira, R. D; Vasconcelos, R. M. A cooperação em arranjo produtivo local: uma proposta para estruturação das ações nas empresas. Inter Science Place, 22ª Edição-Julho/Setembro. 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.