O meio ambiente e o desenvolvimento regional em uma instituição pública de educação profissional e tecnológica brasileira / The environment and regional development in a public institution of professional and technological education in Brazil

Hudson Santos da Silva, Maria Gracinda Carvalho Teixeira

Resumo


O objetivo desse artigo é analisar como as influências dos atores que interagem com uma instituição de pública de educação profissional e tecnológica brasileira, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), interferem no seu compromisso com o desenvolvimento regional das localidades onde atua. Para tal, realizou-se uma pesquisa de natureza qualitativa, do tipo interpretativa, com fontes documentais e orais. Privilegiou-se a abordagem institucional por ter amplo reconhecimento, pelo campo das ciências sociais como capaz de oferecer explicações aos processos que conectam as relações sociais, por preocupar-se com o que há de consolidado na sociedade no que diz respeito a valores, ações, padrões e normas que são construídos e legitimados a partir das inter-relações entre os diversos atores organizacionais. Os resultados da pesquisa confirmam a suposição inicial de que as influências de determinadas instituições ocorrem de forma desigual e provocam entraves na consecução do novo papel assumido pelo IFRJ com o desenvolvimento regional e o meio ambiente, dificultando o diálogo com novos atores que permitiriam incrementar a articulação no campo organizacional.O objetivo desse artigo é analisar como as influências dos atores que interagem com uma instituição de pública de educação profissional e tecnológica brasileira, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), interferem no seu compromisso com o desenvolvimento regional das localidades onde atua. Para tal, realizou-se uma pesquisa de natureza qualitativa, do tipo interpretativa, com fontes documentais e orais. Privilegiou-se a abordagem institucional por ter amplo reconhecimento, pelo campo das ciências sociais como capaz de oferecer explicações aos processos que conectam as relações sociais, por preocupar-se com o que há de consolidado na sociedade no que diz respeito a valores, ações, padrões e normas que são construídos e legitimados a partir das inter-relações entre os diversos atores organizacionais. Os resultados da pesquisa confirmam a suposição inicial de que as influências de determinadas instituições ocorrem de forma desigual e provocam entraves na consecução do novo papel assumido pelo IFRJ com o desenvolvimento regional e o meio ambiente, dificultando o diálogo com novos atores que permitiriam incrementar a articulação no campo organizacional.

Palavras-chave


Teoria institucional, Desenvolvimento regional, Meio ambiente, Instituição pública de educação profissional e tecnológica.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUER, M. W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: Bauer, Martin W.; Gaskell, George. Pesquisa qualitativa com textos, imagens e som: um manual prático. 3ª ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2002.

BESSA, E. da S. O lugar dos homens na natureza social: uma proposta reflexiva sobre o meio ambiente. Dissertação de Mestrado. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR). UFRJ. 1993. 152p.

BRASIL. LEI 6.938 de 31 de agosto 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6938.htm. Acesso em 14/10/2011.

_________. Constituição da República Federativa do Brasil: texto compilado. Brasília, 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ConstituicaoCompilado.htm. Acesso em 14/10/2011.

_________. Decreto Nº 6.047, de 22 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Regional - PNDR e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6047.htm. Acesso em 31/05/2012

_________. Ministério da Educação. Concepção e diretrizes: Instituto Federal de Educação, Ciência e tecnologia. Brasília: Setec, jun. 2008a.

_________. LEI 11.892 de 29 de 29 de dezembro de 2008b. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. 2008. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em 14/10/2011.

CARVALHO, C. A.; VIEIRA, M. M. F. Contribuições da perspectiva institucional para a análise das organizações: possibilidades teóricas, empíricas e de aplicação. In: CARVALHO,

________. _________ Introdução — sobre organizações, instituições e poder. In: VIEIRA, M. M.; CARVALHO, C. A. (Orgs.). Organizações, instituições e poder no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

CARVALHO, C. A.; VIEIRA, M. M. F., GOULART, S. A trajetória conservadora da teoria institucional. RAP. Rio de janeiro 39 (4): p. 849-874, jul./ago. 2005.

DEMMO, P. Metodologia para quem quer aprender. Atlas, São Paulo, 2008.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. Introduction. In: DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The New Institutionalism in Organizational Analysis. London: University of Chicago Press, 1991.

________.; ________.. A gaiola de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 45, n. 2, p. 74-89, abr./jun. 2005.

FONSECA, V., S. A abordagem institucional nos estudos organizacionais: bases conceituais e desenvolvimentos contemporâneos. In: VIEIRA, M. M. F.; CARVALHO, C. A. (Orgs.). Organizações, instituições e poder no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, p. 47-66, 2003.

GOULART, S. Uma Abordagem ao Desenvolvimento Local Inspirada em Celso Furtado e Milton Santos. ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 4, 2006, Porto Alegre, Anais...Porto Alegre: EnEO, 2006.

IFRJ. PDI - PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL. 2009 – 2013. Rio de Janeiro, Julho de 2009a.

_________. ESTATUTO Rio de Janeiro, 18 de agosto 2009b.

MACHADO-DA-SILVA, C.; GONÇALVES, S. A. Nova Técnica: a teoria institucional. In: CLEGG, S. R; HARDY, C.; NORD, W., R. (Orgs.). Handbook de Estudos Organizacionais: modelos de análise e novas questões em estudos organizacionais. Atlas: São Paulo, 1999. V. 1. p. 220 - 226.

MEYER, J.; BOLI, J.; THOMAS, G. M. Ontology and rationalization in the western cultural account. In: SCOTT, Richard W; MEYER, John W. (Orgs.) Institutional Environments and Organizations. London: Sage Publications, 1994.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Agenda 21. Disponível em: http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/agenda-21 Acesso em 30/09/2012.

_____. Agenda 21 brasileira: ações prioritárias / Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Nacional. 2. ed. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. 158 p.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia Científica. 5ª Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MAY, T. Pesquisa social: questões, métodos e processos. 3ªed. Trad. Carlos A. Silveira. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ROCHA NETO, J. M. R.; BORGES, D. F. As assimetrias entre as políticas setoriais e a política de planejamento regional no Brasil. RAP — Rio de Janeiro 45(6):1639-54, nov./dez. 2011

QUINTAS, J. S. Introdução à gestão ambiental pública – 2ªed. Brasília: IBAMA, 2006.

RICHARDSON, R. J. et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3ª. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SACHS, I. Desenvolvimento: includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro. Garamond, 2004.

SANTOS, M. Metamorfose do espaço habitado, fundamentos Teórico e metodológico da geografia. Hucitec. São Paulo 1988.

__________. O retorno do território. In: Territorio y movimientos sociales. OSAL. ano VI nº 16 enero-abril 2005. p.250 – 261.

__________. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4ª. ed. São Paulo: Edusp, 2006.

SCOTT, W. R. The adolescence of institutional theory. Administrative Science Quarterly, v.32, n.4, p.493-511, 1987.

_________. Institutions and organizations. London: Sage Publications, 1995.

SELZNICK, P. A liderança em Administração; uma interpretação sociológica. Rio de Janeiro, FGV, (A obra original Leadership in administration de 1957) 1971.

UDERMAN, S. Políticas de Desenvolvimento Regional no Brasil: Circunscrevendo o Potencial das Novas Iniciativas. ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 21, 2007, Rio de Janeiro, Anais...Rio de Janeiro: EnANPAD, 2007.

VIEIRA, M. M. F. Por uma boa pesquisa (qualitativa) em administração. In: VIEIRA, Marcelo M. F. e ZOUAIN, Débora M. (Orgs.). Pesquisa Qualitativa em Administração. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

VICENTIN, F. O. P.; PASSADOR, J. L. Análise Institucional: um estudo dos programas de pós-graduação Stricto Sensu da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP. ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 32, 2008, Rio de Janeiro, Anais...Rio de Janeiro: EnANPAD, 2008.




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv2n2-046

Apontamentos

  • Não há apontamentos.