Peso ao nascer de caprinos das raças saanen e anglonubiana, no Rio Grande do Sul / Goat’s weight at birth of the saanen and anglonubian breeds, in Rio Grande do Sul

Mélanie Alice Machado Manson, Verônica Schmidt

Resumo


Em criatórios de caprinos, o número de animais nascidos e viáveis ao ano tem influência na viabilidade econômica da atividade, tanto por permitir uma maior pressão de seleção quanto por propiciar maior número de animais para venda. Neste sentido, analisou-se o peso ao nascer de 759 caprinos das raças Saanen e Anglonubiana, nascidos em capris do Rio Grande do Sul. Verificou-se, a parir dos dados dos de registros da Associação de Caprinocultores do Estado (CAPRISUL), que 49% dos partos na raça Saanen foram simples, 45% gemelares, 7% trigemelares e apenas um parto foi quádruplo. O peso ao nascer de caprinos Saanen nascidos vivos variou de 1,2 à5,0 Kge dos Anglonubianos de2,0 a5,0 Kg. O número de crias nascidas por parto e o sexo influenciaram significativamente (p<0,005) o peso ao nascer. Outras variáveis como peso dos pais, ordem de parto, nutrição, sanidade, ambiente e temperamento da mãe são apontadas como importante na determinação do peso ao nascer de caprinos. Verificou-se que os resultados observados no Estado, tanto para peso médio ao nascer quanto aos fatores que exercem influência sobre estes, são semelhantes no país, independentemente das diferenças nos processos produtivos.


Palavras-chave


Cabritos, Raças leiteiras, Peso ao nascer

Texto completo:

PDF

Referências


ABCC – Associação Brasileira de Criadores de Caprinos. Regulamento do serviço de registro genealógico das raças caprinas. Brasília: ABCC, 2001. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2011.

CIFFONI, E.M.G. Estudo fenotípico e genético do peso ao nascimento e ao desmame de caprinos Saanen na região de Curitiba, estado do Paraná, Brasil. Arq. Ciênc. Vet. Zool. UNIPAR, v.2, n.1, 43-52, 1999.

COSTA, W.M. et al. O temperamento de cabras tem efeito no peso ao nascimento até a desmama. In: JORNADA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INIVAÇÃO DAS IFES, 3., 2010. Alegre. Anais. Alegre, ES: IFET - Campus de Alegre, 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2011.

KERN, P.L. Oferta de energia e proteína na dieta de caprinos e sua demanda na produção. 2003. 41p. Monografia (Graduação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre.

LÔBO, R.N.B. Melhoramento Genético de Caprinos e Ovinos: Desafios para o Mercado. Sobral: Embrapa Caprinos 2002. 36 p. (Série Documentos, 39).

MEDEIROS, L.F.D. et al. Avaliação de alguns aspectos de desempenho de caprinos da raça Anglo-Nubiana no estado do Rio de Janeiro. Revista Universidade Rural, v.24, n.2, p.103-118, 2004.

MEDEIROS, L.F.D. et al. Estudo do crescimento de cabritos das raças Saanen, Parda Alemã e mestiços ½ Saanen + ½ Parda Alemã. Boletim da Indústria Animal, v.62, n.1, p.55-62, 2005.

MEDEIROS, L.F.D. et al. Desempenho de um rebanho caprino Anglo-Nubiano, no município do Rio de Janeiro. II – Fatores que afetam o peso ao nascer e a mortalidade. Boletim da Indústria Animal, v.63, n.2, p.71-81, 2006.

NOGUEIRA, D.M. et al. Manejo reprodutivo. Cap. 16, p.385-420, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2020.

OLIVEIRA, C.A. et al. Efeitos Genéticos e de meio sobre o peso ao nascimento de caprinos de raças leiteiras. In: ZOOTEC, 18., 2009. Águas de Lindóia. Anais. Brasilia: ABZ, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2011.

OLIVEIRA, D.F. Desenvolvimento ponderal e biometria corporal de caprinos da Raça Anglo-nubiana criados em sistema semi-intensivo. 2007. 52p. (Dissertação). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Itapetinga. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2011.

RIBEIRO, S.D.A. Caprinocultura: Criação Racional de Caprinos. São Paulo: Nobel, 1997. 318p.

SEAPA - Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio. Mapa de pesos por categoria. 33ª EXPOINTER, 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2011.

VALENTE, P.C. et al. Estudo dos Efeitos Ambientais sobre o Peso ao Nascimento de Caprinos Alpinos. In: ZOOTEC, 17., 2007, Londrina. Anais. Brasília: ABZ, 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2011.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n2-057

Apontamentos

  • Não há apontamentos.