A percepção dos moradores sobre a maracanã-de-cara-amarela (Orthopsittaca manilatus, Aves: Psittacidae), em área urbana de Campo Grande –MS / The perception of the residents about the red-bellied macaw (Orthopsittaca manilatus, Aves: Psittacidae), in an urban area of Campo Grande –MS

Aline Calderan, Larissa Tinoco, Sabrina Appel, Neiva Guedes

Resumo


A degradação ambiental pode ocasionar a recolonização das espécies do meio rural para os grandes centros urbanos, por isso, é importante que as cidades tenham áreas verdes conservadas que sirvam de suporte para as espécies que ali chegam. Além disso, os moradores de uma cidade também são responsáveis pela manutenção e conservação dos ecossistemas e da fauna presente nesse ambiente, portanto entender como os moradores percebem uma espécie é fundamental para sua conservação e para criar ações de educação ambiental. O objetivo deste trabalho foi avaliar a percepção dos moradores em relação a ocorrência da maracanã-de-cara-amarela (Orthopsittaca manilatus) em área urbana.  A coleta de dados foi realizada em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, para uma amostra de 30 moradores que tem ninhos ocupados pela O. manilatus em suas residências ou nas proximidades. Foi aplicado um questionário, contendo perguntas abertas e fechadas, a primeira parte com perguntas relacionadas ao perfil do entrevistado e a segunda parte sobre questões da percepção dos moradores em relação a ocorrência da O. manilatus na área urbana de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. O levantamento nos mostrou que 76,7% dos entrevistados, tem notado o aumento da espécie na área urbana de Campo Grande e 93,3 % acreditam que o fato delas estarem fazendo ninhos em vários locais da área urbana, seja decorrente da falta de áreas preservadas no entorno. Através dos resultados obtidos nesta pesquisa pode-se estimular o manejo para conservar as áreas verdes urbanas que estão sendo degradadas e criar atividades de educação e sensibilização para comunidade, visando o bem-estar da população e a conservação da biodiversidade como um todo


Palavras-chave


conservação, reprodução, educação ambiental, áreas verdes urbanas.

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, M. A. 1993. A vida das aves: introdução à biologia e conservação. Editora líttera Maciel, Belo Horizonte.

BARBOSA, L. T. Avaliação do sucesso reprodutivo da arara-canindé (Ara ararauna – Psittacidae) e o desenvolvimento urbano de campo Grande, Mato Grosso do Sul. 2015. 60f. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional) - Universidade Anhanguera Uniderp. Campo Grande.

Barbosa, L. T. Fatores que influenciam o sucesso reprodutivo da arara-canindé (Ara ararauna) em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. 2018. 121f. Tese (Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional) - Universidade Anhanguera Uniderp. Campo Grande.

Benites, M.; Mamede, S.; Neto, F. S.; Pivatto, M. A. C.; Fontoura, F.; Hattori, H.; Ilha, L. M. N. 2014. Guia de aves de campo grande - áreas verdes. 1 ed. Abf, Campo Grande. 108p.

Berman, M. G.; Jonides, J.; Kaplan, S. Os benefícios cognitivos da interação com a natureza. Ciência Psicológica, Montevidéu, Uruguai, v. 19, n. 12, p.1207-1212, 2008.

Bonadie, W. A.; Bacon, P. R. 2000. Year-round utilisation of fragmented palm swamp forest by red-bellied macaws (Ara manilata) and orange-winged parrots (Amazona amazonica) in the nariva swamp (Trinidad). Biological conservation, Boston, v. 95, p. 1-5.

Brun, F. G. K.; Link, D.; Brun, e. J. 2007. O emprego da arborização na manutenção da biodiversidade de fauna em áreas urbanas. Revista da sociedade brasileira de arborização urbana, Piracicaba, v. 2, n. 1, p. 117- 27.

Calderan, A., Tinoco, L. Souza, C. C., Guedes, N. M. R. Percepção dos moradores sobre as araras-canindé (Ara ararauna), na área urbana de Campo Grande (MS). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), v. 14, n. 2, p. 277-294, 2019.

Donnelly, R.; Marzluff, J. M. 2006. Relative importance of habitat quantity, structure, and spatial pattern to birds in urbanizing environments. Urban. ecosystems.

Duarte, T. E. P., Angeoletto, F. H. S., Santos, J. W. M. C., da Silva Leandro, D., Bohrer, J. F. C., Vacchiano, M. C., & Leite, L. B. O papel da cobertura vegetal nos ambientes urbanos e sua influência na qualidade de vida nas cidades. Desenvolvimento em Questão, v. 15, n. 40, p. 175-203, 2017.

Farias, G. B; Alves, A. G. C. 2007. Aspectos históricos e conceituais da etno-ornitologia. Biotemas, Santa Catarina, v. 20, n.1, p. 91-100.

Franchin, A. G. 2009. Avifauna em áreas urbanas brasileiras com ênfase em cidades do triângulo mineiro alto Paranaíba. Tese (Doutorado em ecologia e conservação dos recursos naturais) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

González, J. A. 2003. Harvesting, local trade, and conservation of parrots in the northeastern Peru an amazon. Biological conservation, Elsevier, v. 114, n. 3, p. 437-446.

Gonçalves, S. F.; Toledo, M. C. B., Aves em quintais e a relação com os proprietários de residências em área urbana dacidade de Jacareí, São Paulo, Brasil. Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science, vol. 11, 2016, pp. 1149-1162. Universidade de Taubaté. Taubaté, Brasil

Guedes, N. M. R. Araras da cidade. 2012. In: Quevedo, T. L. Araras da cidade – músicas do mato. Campo Grande: Editora Alvorada, p. 45-140.

Gwynne, J. A.; Ridgely, R. S.; Tudor, G.; Argel, M. 2010. Aves do brasil – pantanal & cerrado. São Paulo: Editora Horizonte, 322p.

Hermy, M. Cornelis, J. 2000. Towards a monitoring method and a number of multifaceted and hierarchical biodiversity indicatiors for urban and suburban parks. Landscape and Urban Planning, 49: 149-162.

Mahecha, J. V. R.; Suárez, F. R.; Azuza, D. E.; Hérnandez, A. G. 2005. Loros, pericos & guacamayas neotropicales. 1 ed. Bogotá: Panamericana Formas e Impresos s.a, 148p.

Melo, M. R. S.; Guedes, N. M. R.; Souza, C. C. 2016. Percepção e valoração ambiental do parque estadual matas do segredo em campo grande, mato grosso do sul. (perception and valuation environmental of parque estadual matas do segredo in Campo Grande, Mato Grosso do Sul). Revista brasileira de geografia física, recife, v. 9, n. 5, p. 1513-1528.

Okamoto, J. 1996. Percepção ambiental e comportamento. Plêiade, São Paulo. 200 p.

Palazzo jr, J. T.; Carbogim, J. B. P. 2012. Conservação da natureza: e eu com isso? 1ed. Fortaleza: Editora Fundação Brasil Cidadão, 91p.

Piacentini, VDQ, Aleixo, A., Agne, CE, Maurício, GN, Pacheco, JF, Bravo, GA, ... e Silveira, LF (2015). Lista de verificação anotada das aves do Brasil pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. Revista Brasileira de Ornitologia, 23 (2), 91-298.

Planurb- Instituto municipal de planejamento urbano. 2011. Perfil socioeconômico de campo grande. Campo grande, MS: Prefeitura municipal de Campo Grande. Disponível em: http://www.pmcg.ms.gov.br/egov/imti/perfil-pageflip/pages2011/perfil-economico-cg-2011.pdf>. Acesso em: 13 mar. 2018.

PMCG- Prefeitura Municipal de Campo Grande. 2020. Disponível em: http://www.campogrande.ms.gov.br/. Acesso em: 04 de agosto de 2020.

Primack, R. B.; Rodrigues, E. 2001. Biologia da conservação. 1ed. Londrina: e. Rodrigues, 100p.

Schuch, M. I. S. Arborização Urbana: uma contribuição à qualidade de vida com uso de geotecnologias. 2006. 102f. Dissertação (Mestrado em Geométrica) – Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

Secretariat of the convencion on biological diversity. Cities and Biodiversity Outlook. Montreal. 2012. Disponível em: .

Sick, H. 1997. Ornitologia brasileira. 3ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 912p.

Silva, P. A. 2009. Orthopsittaca manilata (boddaert, 1783) (aves: psittacidade): abundância e atividade alimentar em relação à frutificação de mauritia flexuosa l. F. (Arecaceae) numa vereda do triângulo mineiro. Dissertação (mestrado em ecologia e conservação de recursos naturais) – universidade federal de Uberlândia, Instituto de Biologia, Uberlândia.

Toledo, M. C. B. 2007. Análise das áreas verdes urbanas em diferentes escalas visando a conservação da avifauna. Tese (doutorado) – Instituto de Biociências de Botucatu, Universidade Estadual Paulista.

Toledo, F.S; Santos, D.G. 2008. Espaços livres de construção. Revista da sociedade brasileira de arborização urbana, Piracicaba, SP, v.3, n.1, p. 73-91.

Tubelis, D. P. 2009. "Veredas and their use by birds in the Cerrado, south America: a review." Biota Neotropica, Campinas, v. 9, n.3, p. 363-374.

Wilson, E. O. 1997. Biodiversidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, v. 2.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n2-046

Apontamentos

  • Não há apontamentos.