Relato de caso - fibrilação atrial em cão da raça pastor alemão / Case report – atrial fibrillation in a german shpered

Matheus Bruno Spaller Klaumann, Gustavo Dittrich, Vínicius Ferreira Caron

Resumo


A fibrilação atrial é uma taquiarritmia supraventricular comumente diagnosticada em cães de porte grande e gigante que apresentam remodelamento cardíaco, assumindo classificação de secundária. É caracterizada por uma alta frequência cardíaca com intervalos R-R irregulares e ausência de onda P no traçado eletrocardiográfico. A fibrilação atrial é comumente diagnosticada em cães que apresentam insuficiência cardíaca congestiva, contudo tanto a insuficiência cardíaca congestiva quanto a fibrilação possuem mecanismos capazes de desencadear uma à outra. O diagnóstico é realizado através da eletrocardiografia e o tratamento visa o controle da ritmicidade cardíaca e a manutenção da insuficiência cardíaca. O animal do presente trabalho era um cão de 11 anos, macho da raça pastor alemão, com histórico de letargia, emagrecimento progressivo e anorexia. Durante a avaliação física, detectou-se através da auscultação taquicardia associada a um ritmo irregular e sopros em ambos os focos das valvas atrioventriculares. Ainda, balotamento positivo e desidratação leve foram observados. A ecocardiografia realizada evidenciou remodelamento de ambas as câmaras atriais, hipertrofia excêntrica disfunção sistólica do ventrículo esquerdo, dilatação do ventrículo direito e veias pulmonares, insuficiência importante na valva mitral e moderada na tricúspide. No eletrocardiograma, foram detectadas anormalidades características da fibrilação atrial. Dentre os distúrbios observados incluem taquicardia, ausência de onda P, intervalos R-R irregulares e diminuídos, complexos QRS estreitos e configuração normal. Baseando-se nas anormalidades cardíacas evidenciadas, o diagnóstico de fibrilação atrial e insuficiência cardíaca congestiva foram definidos. O tratamento abrangeu a administração de diltiazem e digoxina, para controle do ritmo cardíaco, e pimobendam, furosemida, benazepril e espironolactona para manutenção da insuficiência cardíaca congestiva. Apesar da etiologia primária da fibrilação atrial ser descrita em literatura, esta possui casuística inferior à etiologia secundária. Portanto sugere-se que a doença mixomatosa valvar mitral possui associação direta com a taquiarritmia detectada no paciente, contudo, não foi possível definir se o quadro de insuficiência cardíaca congestiva antecedeu a fibrilação atrial ou vice versa. 


Palavras-chave


taquiarritmia., eletrocardiograma., remodelamento

Texto completo:

PDF

Referências


BRUNDEL, B. J. J. M.; MELNYK, P.; RIVARD, L. et al. The pathology of atrial fibrillation in dogs. Journal of Veterinary Cardiology, p. 121 – 129, 2005.

CÔTÉ, E.; ETTINGER, S.J. Cardiac Arrhythmias. In: ETTINGER, S.J.; FELDMAN, E.C.; CÔTÉ, E. Textbook of Veterinary Internal Medicine eight edition.

GOODWIN, K. J. Eletrocardiografia. In: TILLEY, P. L.; GOODWIN, K. J. Manual de Cardiologia para Cães e Gatos. 3 ed. São Paulo: Roca, 2002, Cap. 3, p. 55.

HAÏSSAGUERRE, M.; JAÏS, P.; SHAH, D.C. et al. Spontaneous initiation of atrial fibrillation by ectopic beats originating in the pulmonary veins. The New England Journal of Medicine, v. 339, n. 10, p 659 – 666, 1998.

MEIRELLES, S. L. Fibrilação atrial em cães. 2013. Porto Alegre. Monografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

PEDRO, B.; SOUSA, A.P.F.; GELZER, A.R. Canine atrial fibrillation: Pathophysiology, epidemiology and classification. The Veterinary Journal. 2020.

MENAUT, P.; BE´LANGER, M.C.; BEAUCHAMP, G.; PONZIO, N.M .; MOI¨SE, N.S. Atrial fibrillation in dogs with and without structural or functional cardiac disease: A retrospective study of 109 cases. Journal of Veterinary Cardiology (2005) 7, 75-83.

SAUNDERS, B. A.; GORDON, G. S.; MILLER, W. M. Canine atrial fribillation. Compendium: Countinuing Education for Veterinarians, p. E1 – E8, 2009.

SCHOTTEN, U.; HAAN, S.; NEUBERGER, R. H. et al. Loss of atrial contractility is primary cause of atrial dilatation during first days of atrial fibrillation. The American Physiological Society, v. 287, 2004.

SHARIFOV, F.O.; FEDOROVO, V.V.; BELOSHAPKO, G.G. et al. Roles of Adrenergic and Cholinergic Stimulation in Spontaneous Atrial Fibrillation in Dogs. Journal of the American College of Cardiology, v. 43, n. 3, p. 483 – 490, 2004.

WARD, J.; WARE, VIALL, A. Association between atrial fibrillation and right-sided manifestations of congestive heart failure in dogs with degenerative mitral valve disease or dilated cardiomyopathy. Journal of Veterinary Cardiology, p. 18 – 27, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n2-038

Apontamentos

  • Não há apontamentos.