Interferência dos metais sódio, magnésio e cálcio na determinação de urânio em amostras de águas tratadas pela técnica de espectrometria óptica por plasma indutivamente acoplado / Interference of sodium, magnesium and calcium metals in the determination of uranium in treated water samples by the optical spectrometry inductively coupled plasma technique

Jorge Tadeu de Freitas, Joseina Moutinho Tavares, Sandra Regina Novaes de Oliveira Luz, Antônio Jorge R. Baptista

Resumo


Diante dos riscos que o Urânio apresenta à saúde dos seres humanos e ao Meio Ambiente, o Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Meio Ambiente do Brasil estabeleceram limites normativos para a concentração de Urânio em águas tratadas, subterrâneas e mananciais nas seguintes legislações: Portaria MS Nº 2914/2011, Resolução CONAMA 396/2008 e Resolução CONAMA 357/2005, respectivamente. Internacionalmente, já existe a preocupação com Urânio, por diversos órgãos reguladores e agências de saúde, como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA).

 Com o objetivo de se atender aos baixos limites analíticos preconizados na Legislação, é necessário o desenvolvimento de metodologias analíticas sensíveis e confiáveis para a determinação de Urânio. A técnica da Espectrometria Óptica por Plasma Indutivamente Acoplado (ICP OES) tem sido muito empregada na análise de amostras de águas, por apresentar maior sensibilidade do que a técnica por Absorção Atômica por Chama (FAAS), boa relação custo benefício em relação à Espectrometria de Massa com Plasma Indutivamente Acoplado (ICP-MS) e dispensar o tratamento prévio no caso das amostras de água potável.

Neste trabalho foi desenvolvido um método analítico para a determinação de Urânio em amostras de águas tratadas pela técnica de ICP OES, com um equipamento com tocha de vista axial e sistema de cone para eliminação da zona fria do plasma. Também foi investigada a interferência dos metais Sódio, Magnésio e Cálcio, conhecidos como Elementos Facilmente Ionizáveis (EIE). Estes metais estão presentes em concentrações elevadas em regiões de clima seco e semi-árido ou de áreas de captação de água de mananciais que sofrem influência de águas marinhas.  Para este estudo foram empregados mais dois equipamentos: um ICP OES com tocha de vista axial e sistemas Shear Gas para a eliminação da zona fria do plasma e um ICP-MS. Os resultados obtidos mostram que as presenças destes interferentes (Ca, Mg, Na) em concentrações elevadas podem causar erros na determinação de Urânio com resultados falsos positivos, em equipamentos de ICP OES que empregam o sistema de cone para eliminação da zona fria do plasma.


Palavras-chave


urânio, legislação, interferência

Texto completo:

PDF

Referências


Guidelines for Canadian Drinking Water Quality: Supporting Documentation, 2004, Vol 1, 3ª Ed,

J.S. Santos , Estratégias Analíticas para Determinação de Urânio em Amostras de Águas e Efluentes Industriais, Tese de Doutorado, UFBA, 2011.

- http://www.inb.gov.br, acessado em 27-09-2015

BRASIL. Portaria nº 2914 de 12 de dezembro de 2011 do Ministério da Saúde.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente-(CONAMA). Resolução nº. 357, 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências.

J.S. Santos et al, Uranium determination using atomic spectrometric techniques: An overview, Analytica Chimica Acta 674 (2010) 143–156

J.T.de Freitas, Determinação de Platina e Paládio em Lama Anódica por Método Combinado de Fire Assay e Espectrometria de Emissão Óptica por Plasma Indutivamente Acoplado, Dissertação de Mestrado, UFBA, 2004.

J.T.de Freitas, Alternativas Analíticas para Determinação de Au e Ag em Amostras com Alto Teor de Cobre Empregando ICP OES , Tese de Doutorado, UFBA, 2010.

INMETRO- Orientações sobre validação de métodos analíticos- DQO-CGCRE-008, revisão 04-Jul/2011

D.W. Boomer and M.Powell, Determination of Uranium in Enviromental Samples Using Inductively Coupled Plasma Mass Spectometry, Anal. Chem. , 1987, 59 (23).

Singhal, R. K. / Basu, H. / Bassan, M. K. T. et al., Rapid and Interference Free Determination of Ultra Trace Level of Uranium In Potable Water Originating From Different Geochemical Environments by ICP-OES, Journal Of Radioanalytical And Nuclear Chemistry; 2012; 292, 2; 675-681.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n2-031

Apontamentos

  • Não há apontamentos.