Avaliação do pH do fluido ruminal de vacas leiteira e relação com produtividade em propriedades do distrito federal e entorno / Evaluation of pH of the ruminal fluid of dairy cows and relationship with productivity in property of the federal and surrounding district

Felipe da Silva Vieira, Mirna Ribeiro Porto, Rafael Silva Gomes

Resumo


A acidose ruminal possui relação direta com a diminuição da produção leiteira e, consequentemente, também com as alterações físico-químicas do produto final, resultando em uma desvalorização do produto e em perda econômica para o produtor. O pH ruminal relaciona-se com os produtos da fermentação e com a taxa de crescimento dos microrganismos do rúmen. O equilíbrio do pH está ligado diretamente com a produção de saliva e ingestão de matéria seca, que possui uma alta capacidade tamponante, além da mucosa da parede do rúmen, que absorve os ácidos graxos voláteis (produtos da fermentação ruminal). Foi efetuada a coleta do fluido ruminal de 40 animais em lactação com o auxílio de sonda esofágica e bomba à vácuo, sendo o fluido armazenado em coletor universal descartável. Foi aferido o pH na propriedade com fita Merck e após transporte do material até o laboratório do Centro Universitário Icesp, aferiu-se novamente com a fita Merck e com o pHmetro. Os dados obtidos monstram-se em consonância com outros estudos realizados.


Palavras-chave


PH do fluido ruminal, vacas leiteiras, produtividade leiteira.

Texto completo:

PDF

Referências


Afonso, J.A.B; Mendonça, C.L. 2007. Acidose Lática Ruminal. P. 313-319. In: Doenças de Ruminantes e Equideos. 3rd. ed. ed Pallotti, Santa Maria, Rio Grande do Sul.

BERCHIELLI, T.T.; PIRES, A.V; OLIVEIRA, S.G. Nutrição de ruminantes. Jaboticabal: Funep, p.461-474, 2006.

BEVANS, D.W.; BEAUCHEMIN, K.A.; SCHWARTZKOPF-GENSWEIN, K.S.; MCKINNON, J.J; MCALLISTER, T.A. Effect of rapid or gradual grain adaptation on subacute acidosis and feed intake by feedlot cattle. Journal of Animal Science, 2005. v.83, p.1116–1132.

Bramley, E.; Lean, I.J.; Fulkerson, W.J.; Stevenson, M.A.; Rabiee, A.R. and Costa, N.D. 2008. The definition of acidosis in dairy herds predominantly fed in pasture and concentrates. Journal of Dairy Science 91:308-321.

Calsamiglia, S.; Blanch, M.; Ferret, A. and Moya, D. 2012. Is subacute ruminal acidosis pH related a problem? Causes and tools for its control. Amimal Feed Science and Technology 172:42-50.

CAMPOS, W. E., BORGES, A. L. C. C., et al. Digestibilidade da proteína de alimentos utilizados na alimentação de ruminantes pelo método das três etapas. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v.8, n.4, p. 295 302. 2007.

HOOVER, W.H.; STOKES, S.R. Balancing carbohydrates and proteins for optimum rumen microbial yield. J. Dairy Sci., v.74, p.3630-3644, 1991.

JUNG, H.G.; ALLEN, M.S. Characteristics of plant cell walls affecting intake and digestibility of forage by ruminants. J. Anim. Sci., v.73, p.2774-2790, 1995.

LOPEZ, S. E.; LÓPEZ, J.; STUMPF JUNIOR, W. Parâmetros séricos de vacas leiteiras na fase inicial de lactação, suplementadas com diferentes fontes de gordura. Assoc. Latinoam. Prod. Anim., v.12, p.96- 102, 2004.

MÜHLBACH, P. R. F. Nutrição da vaca em lactação e a qualidade do leite. In: SIMPÓSIO DE BOVINOCULTURA DE LEITE, 2003, Chapecó. Sociedade Catarinense de Méd. Vet. - Núcleo Oeste. Disponível em: http://www.nucleovet.com.br/simposio.html

Oetzel, G.R. 2017. Diagnosis and Manegement of Subacute Ruminal Acidosis in Dairy Herds.Veterinary Clinics of North America: Food Animal Practice 33:463- 480.

OGILVIE, T.H. Medicina Interna de Grandes Animais. São Paulo: Artmed, p. 61-96, 2000.

ORTOLANI, E.L. 2003. Diagnóstico e tratamento de alterações acido- básicas em ruminantes. Pags.17-29 em: GONZALEZ, F.H.D.; CAMPOS, R (eds.), Simpósio de Patologia Clinica Veterinária da Região Sul do Brasil. 1. Anais... Grafica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Owens, F. N., D. S. Secrist, W. J. Hill, and D. R. Gill. 1998. Acidosisin cattle: A review. J. Anim. Sci. 76:275–286.

OWENS, F. N.; GOETSCH, A. L. Ruminal fermentation. In: CHURCH, D.C. THE RUMINANTANIMAL DIGESTIVE PHYSIOLOGYAND NUTRITION. Englewood Cliffs: O. & Books Inc. 1988. p.146-171.

Radostits, O.M.; Gay, C.C.; Hinchcliff, K.W.; and Constable, P.D., 2007. Veterinary Medicine: a Textbook of the Diseases of Cattle, Horses, Sheep, Pigs and Goats. 10th ed. Elsevier, Philadelphia, PA.

STELZER, F. S., LANA, R.P, et al. Desempenho de vacas leiteiras recebendo concentrado em diferentes níveis, associado ou não a própolis. Revista Brasileira de Zootecnia, v.38, n.7, p. 1381-1389. 2009.

STONE, W. C. Nutritional approaches to minimize sub-acute ruminal acidosis and laminitis in dairy cattle. Journal of dairy Science, v.87 (E. Suppl.): p. 13-26, 2004.

VAN SOEST, P.J. Nutritional ecology of the ruminant. 2.ed. Ithaca: Constock Publishing, 1994. 476p

VILELA, D.; ALVIM, M.J.; CAMPOS, O.F.; REZENDE, J.C. Produção de leite de vacas holandesas em confinamento ou em pastagem de coast-cross. Revista da Sociedade Brasileira de Zootecnia, v.25, p.1228-1244, 1996.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n2-012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.