A educação para o consumo sustentável como estratégia para redução de resíduos sólidos urbanos / Education for sustainable consumption as a strategy for reducing urban solid waste

Nathalia Machado Simão, Silvia Azucena Nebra, Paulo Henrique de Mello Santana

Resumo


A não-geração e a redução de resíduos sólidos urbanos (RSU) apresentam-se como prioridades na gestão integrada de resíduos (GIR). Uma das estratégias para atingir este objetivo é justamente a educação para o consumo sustentável. Tanto no Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) quanto no Plano de Ação para Produção e Consumo Sustentáveis (PPCS) são dadas diretrizes para este objetivo, porém recomendações mais específicas são encontradas na Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental para Produção e Consumo Sustentável (Educares). As indicações são no geral orientadas à conscientização ambiental acerca do ciclo dos resíduos e suas consequências. Propõe-se que tal orientação inclua, complementarmente a já estabelecida, mensagens de revalorização cultural da sociedade de consumo para princípios pautados na construção da sociedade sustentável, com vistas a não-geração e a redução de RSU. As mensagens são apresentadas como instrumentos de comunicação baseados nas perguntas e teste da matriz de comunicação social da Educares.


Palavras-chave


Educação para o Consumo Sustentável, Redução de Resíduos Sólidos Urbanos, Instrumentos de comunicação.

Texto completo:

PDF

Referências


AKATU CONSUMO CONSCIENTE PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL. 2012. Rumo à Sociedade do Bem-Estar. São Paulo: Instituto Akatu, 2013.

BRASIL. Lei Federal nº 12.305/2010 - Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Publicado no Diário Oficial da União - DOU de 03/08/2010

DALY, Herman, and Joshua FARLEY. Economia ecológica: princípios e aplicações. Trad. Instituto Piaget (2004).

HAMILTON, C. Consumerism, self-creation and prospects for a new ecological consciousness. Journal of Cleaner Production, v.18, v. 6, p. 571-575, 2010.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Diagnóstico de Educação Ambiental em Resíduos Sólidos: Relatório de Pesquisa. Brasília: 2012, 74p. Disponível em http://www.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/121002_relatorio_educacao_ambiental.pdf. Acesso em 22/04/2016.

LUSTOSA et al. Política Ambiental. In: May et al. (org.). Economia do Meio Ambiente: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010, 2ª edição. p.163-179

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Plano de Ação para Produção e Consumo Sustentáveis – PPCS. Brasília: 2011a, 73p.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Subsídios para elaboração do PPCS. Brasília: 2011b, 141p.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Estratégia de educação Ambiental e Comunicação Social para Gestão de Resíduos Sólidos – Produto 1. Brasília: 2013a, 129p.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Estratégia de educação Ambiental e Comunicação Social para Gestão de Resíduos Sólidos – Produto 2. Brasília: 2013b, 129p.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. PPCS: Relatório do primeiro ciclo de implementação. Brasília: 2014, 164 p.

NAIME, Roberto Harb; GODECKE, Marcos Vinicius; FIQUEIREDO, João Alcione Sganderla. O consumismo e a geração de Resíduos Sólidos Urbanos no Brasil. Rev. Elet. em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental v(8), nº 8, p. 1700-1712, Set-Dez, 2012.

OURIQUES, Evandro Vieira. Gestão da mente sustentável: o quarto bottom line: a questão da comunicação e da consciência na responsabilidade socioambiental. IV Congresso Nacional de excelência em Gestão. 2008. Disponível em http://www.inovarse.org/filebrowser/download/8819. Acesso em 23/04/2016.

PAEK, Hye-Jin; NELSON, Michelle R.; RADEMACHER, Mark A. Downshifting Consumer =Upshifting Citizen? Na Examination of a Local Freecycle Community. ANNALS, AAPSS, 611, May 2007, p.141 – 156.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n1-082

Apontamentos

  • Não há apontamentos.