A importância do uso de trilhas ecológicas no ensino de biologia: uma revisão de literatura / The importance of the use of ecological trails in teaching biology a literature review

João Henrique Barros Martins, Diogo Augusto Frota de Carvalho

Resumo


No campo das Ciências Biológicas é de fundamental importância a relação entre a teoria e a prática, sendo que muitas vezes os aspectos teóricos prevalecem como referência na escolha da metodologia de ensino. Assim sendo, torna-se fundamental repensar a metodologia aplicada nas aulas de Biologia no intuito de favorecer a aprendizagem dos estudantes. As Trilhas Ecológicas, um dos diversos recursos didáticos práticos existentes, possibilita, para além do conhecimento científico teórico, a sensibilização para com os cuidados relacionados ao meio ambiente. Este artigo teve por objetivo verificar se as trilhas ecológicas auxiliam na relação ensino-aprendizagem em Biologia, propondo uma trilha ecológica como ferramenta pedagógica no município de Uruçuí – PI, para complementar o ensino de Biologia no Instituto Federal do Piauí (IFPI). A metodologia consistiu numa revisão de literatura do tipo integrativa com o tema “Trilhas Ecológicas”, selecionando-se 20 artigos nas plataformas Google Acadêmico e Periódicos da CAPES, publicados entre janeiro de 2000 a junho de 2020, mediante critérios pré-determinados. As análises dos artigos permitiram concluir que todos eles aprovam as trilhas ecológicas como ferramenta pedagógica de ensino, podendo ser utilizadas como recurso metodológico prático e campal no ensino de Biologia, auxiliando na relação ensino aprendizagem e na melhora do índice acadêmico dos discentes. Para tal, é preciso principalmente que o docente faça o devido planejamento das Trilhas, com o intuito de promover a interdisciplinaridade, a educação científica e ambiental.


Palavras-chave


Trilhas interpretativas. Educação ambiental. Metodologia de Ensino. Aula Prática.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, A. G; MUNHOZ, C. B. R. Planejamento do Traçado de uma Trilha Interpretativa Através da Caracterização da Flora do Parque Ecológico e de Uso Múltiplo Águas Claras, DF. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 1, p. 1, jul. 2007. Disponível em: http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/view/653. Acesso em: 01 jun. 2020.

BRASIL. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Panorama de Uruçuí. 2019. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pi/urucui/panorama. Acesso em: 27 de julho de 2020.

BUZATTO, L.; KUHNEN, C. F. C. Trilhas Interpretativas uma Prática para a Educação Ambiental. Vivências. V. 16, p. 219-231, jan./jun. 2020. Disponível em: http://revistas.uri.br/index.php/vivencias/article/view/151. Acesso em: 22 de junho de 2020.

CÁRIAS, L. R. B. et al. Biologia na escola: uma nova estratégia de ensino. Analecta, Minas Gerais, v. 4, n. 4, nov./2018. Disponível em: https://seer.cesjf.br/index.php/ANL/article/download/1763/1109. Acesso em: 10/06/2020. Acesso em: 15 jun. 2020.

CARVALHO, D.C.M. Agricultura familiar em Uruçuí – PI: multifuncionalidades e impactos ambientais. Tese (Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente). Universidade Federal do Piauí. 2011. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/54614/1/AGRICULTURA-FAMILIAR-EM-URUCUI-CARVALHO-D-C-M-C.pdf. Acesso em 04 de agosto de 2020.

COSTA, V.C. Proposta de manejo e planejamento ambiental de trilhas ecoturísticas: um estudo no Maciço da Pedra Branca - município do Rio de Janeiro (RJ). Doutorado em Programa de Pós Graduação em Geografia (Tese) Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro. 2006. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/aigeo/article/view/6627. Acesso em 15 de junho de 2020.

GUIMARÃES, S. T. L. Trilhas Interpretativas e Vivências na Natureza: reconhecendo e reencontrando nossos elos com a paisagem. Caderno de Geografia, v.20, n.33, 2010. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/geografia/article/view/1940/2117. Acesso em: 15 de julho de 2020.

LIMA, R. A.; BRAGA, A. G. S. A relação da educação ambiental com as aulas de campo e o conteúdo de biologia no ensino médio. REGET/UFSM. Santa Maria, V. 18, n. 4, dez 2014. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/231164728.pdf. Acesso em: 15 de julho de 2020.

LIMA D.B; GARCIA R.N. Uma investigação sobre a importância das aulas práticas de Biologia no Ensino Médio. Cadernos de Aplicação. Porto Alegre, v. 24, n. 1, jan./jun. 2011. DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.22262.

LOPES, A. T. R. A importância do Planejamento Para o Sucesso Escolar. Redenção-CE, 2014. 60 p. Tese. Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Disponível em: http://www.repositorio.unilab.edu.br/jspui/bitstream/123456789/429/1/%c3%82ngela%20Tenilly%20Ribeiro%20Lopes.pdf. Acesso em: 29/10/2020.

MACHADO, M.K. A Interdisciplinaridade na Educação Ambiental em duas Escolas Rurais no município de Cachoeira do Sul, RS. 2013. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Educação Ambiental - EAD) - Universidade Federal de Santa Maria. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/493/Machado_Marcia_Kaipers.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em 19 de agosto de 2020.

MACIEL, A. B. C.; LIMA, Z.M. C.; MORAIS, A. C. S. Utilização da Trilha Ecológica como Instrumento de Educação Ambiental: Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, Natal/RN. Revista de Geociências do Nordeste, v. 3, n. 2, pp. 1-22, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revistadoregne/article/view/11296/9044. Acesso em: 01 de julho de 2020.

MEDEIROS A.B.; et al. A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, set. 2011. Disponível em: http://www.terrabrasilis.org.br/ecotecadigital/pdf/a-importancia-da-educacao-ambiental-na-escola-nas-series-iniciais.pdf. Acesso em 12 de agosto de 2020.

NICOLA, G.A; PANIZ, C.M. A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de ciências e biologia. Infor, Inov. Form., Rev. NEaD-Unesp, São Paulo, v. 2, n. 1, pp.355-381, 2016. Disponível em: https://ojs.ead.unesp.br/index.php/nead/article/view/InFor2120167/pdf. Acesso em: 10 jun. 2020.

PLIESSNIG, A. F.; KOVALICZN, R. O uso de metodologias alternativas como forma de superação da abordagem pedagógica tradicional na disciplina de Biologia. Programa de Desenvolvimento Educacional–PDE do Estado do Paraná, p. 1-4, 2009. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1-4.pdf. Acesso em: 28 jun. 2020.

SANTOS, R. L. F.; ALMEIDA, R. C. Educação Ambiental e Trilhas Ecológicas: o caminhar para um futuro consciente e sustentável. Revista Científica do Unisalesiano. Lins–SP, ano, v. 2, p. 265-276, 2011. Disponível em: http://www.salesianolins.br/universitaria/artigos/no4/artigo47.pdf. Acesso em: 28 jun. 2020.

SENICIATO, T.; CAVASSAN, O. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências – um estudo com alunos do ensino fundamental. Ciência & Educação, v. 10, n. 1, p. 133-147. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132004000100010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 06 de julho de 2020.

SILVA, A. J.; MONTEIRO, M. S. L.; BARBOSA, E. L. Nova dinâmica produtiva e velhas questões territoriais nos cerrados setentrionais do Brasil. Revista Espacios, Caracas, v. 36, n. 21, p.14, 2015. Disponível em: https://www.revistaespacios.com/a15v36n21/15362115. Acesso em: 18 mai. 2020.

TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C.; GASCON, C. Fragmentação florestal, sinergismos e empobrecimento das florestas neotropicais. Biodiversity and Conservation. 2004. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1023%2FB%3ABIOC.0000019398.36045.1b#citeas. Acesso em: 16 de agosto de 2020.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n1-078

Apontamentos

  • Não há apontamentos.