Challenges in urban afforestation of the Amazon: exotic species and management / Desafios da arborização urbana na Amazônia: espécies exóticas e gestão

Railma Pereira Moraes, José Aldo Alves Pereira, Rossi Allan Silva, Mirna de Souza Lopes, Fernanda Antônia de Xisto, Rute Aparecida Santos Silva

Resumo


This study was developed to evaluate the relationship among arboreal vegetation, physical structure, and the residents of Tabatinga, AM, Brazil, thus, providing additional information for future afforestation projects. To evaluate the physical structure of tree insertion, a census with the residents of Avenida da Amizade was conducted, in which morphometric data of the trees and dimensions of sidewalks were collected; to assess the relationship with the population, 70 residents of different neighborhoods, age groups, and occupations were interviewed. Results indicated that the population recognizes that there are advantages in having tree-lined streets, but does not know exactly which advantages are these and does not act or feel responsible for the vegetation. The inventory showed that improvements in the parameters evaluated can make the relationship between the population and afforestation more harmonious and pleasant. For the implementation of an afforestation project, it is necessary to consider the tree and physical adaptations, and mainly, to involve the population.


Palavras-chave


Dendrometry, Forest Inventory, Afforestation, Forest Policy and Law.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, D. N., & Rondon Neto, R. M. (2010). Análise da Arborização Urbana de Três Cidades da Região Norte do Estado de Mato Grosso. Acta Amazônica, 40(4), 647-656. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672010000400003

Andersson-Sköld, Y., Thorsson, S., Rayner, D., Lindberg, F., Janhäll, S., Jonsson, A. & et al. (2015). An integrated method for assessing climate-related risks and adaptation alternatives in urban areas. Climate Risk Management, v.7, 31–50. DOI: https://doi.org/10.1016/j.crm.2015.01.003

Araújo, J. L. O., Araújo, A. C., & Araújo, A. C. (2010). Percepção ambiental dos residentes do bairro Presidente Médici em Campina Grande-PB, no tocante à arborização local. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 5(2), 67-81. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v44i0.49540

Biondi, D., & Lima Neto, E. M. (2011). Pesquisa em arborização de ruas. Curitiba: FUPEF. 150p.

Bobrowski, R., & Biondi, D. (2017). Morfometria de espécies florestais plantadas nas calçadas. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 12(1), 1-16.

Coletto, E. P., Müller, N. G., & Wolski, S. S. (2008). Diagnóstico da arborização das vias públicas do município de Sete de Setembro. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v.3, n.2, p.110-122.

Euzébio, E. F. (2014). A porosidade territorial na fronteira da Amazônia: as cidades gêmeas Tabatinga (Brasil) e Leticia (Colômbia). Cadernos de Geografia - Revista Colombiana de Geografia, 23(1), 109-124. DOI: https://doi.org/10.15446/rcdg.v23n1.34851

Fini, A., Frangi, P., Faoro, M., Piatti, R., & Amoroso, G. (2015). Effects of different pruning methods on an urban tree species: A four-year-experiment scaling down from the whole tree to the chloroplasts. Urban Forestry & Urban Greening, 14(3), 664–674. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ufug.2015.06.011

Gerhardt, M. C., Muller, N. G., & Wolski, S. R. S. (2011). Diagnóstico da arborização da área central da cidade de Santo Cristo – RS. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 6(1), 69-84.

Hoppen, M. I., Divensi, H. F., Ribeiro, R. F., & Caxanbú, M. G. (2014). Espécies exóticas na arborização de vias públicas no município de Farol, PR, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 9(3), 173-186.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Manual técnico da vegetação brasileira. Censos demográficos. Acesso em 15 abril 2019. Disponível em: www.ibge.gov.br

Lacerda, N. P., Souto, P. C., Dias, R. S., Souto, L. S., & Souto, J. S. (2010). Percepção dos residentes sobre a arborização da cidade de São José de Piranhas – PB. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 5(4), 81-95.

Melo, R. R., Lira-Filho, J. A., & Rodolfo-Júnior, F. (2007). Diagnóstico qualitativo e quantitativo da arborização urbana no bairro Bivar Olinto, Patos, Paraíba. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 2(1), 64-80.

Morita, I. M., Abessa, D. M. S., Romero, A. F. (2020). Mapeamento da Cobertura Arbóreo-Arbustiva do Município de Santos, SP, Brasil. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, 3(3), 2035-2053.

Moser, A., Rötzer, T., Pauleit, S., & Pretzsch, H. (2016). The Urban Environment Can Modify Drought Stress of Small-Leaved Lime (Tilia cordata Mill.) and Black Locust (Robinia pseudoacacia L.). Forests, 7(3), 71-91. DOI: http://dx.doi.org/10.3390/f7030071

Nascimento, J. F., & Guedes, J. A. (2015). Arborização urbana do espaço público de Major Sales. Caderno de Estudos Geoambientais, 6, (1), 17-31.

Oliveira, A. F., Pereira, J. A. A., Coelho, S. J., Pereira, G. A., & Assunção, L. N. (2016). Diagnóstico parcial da arborização viária sob rede elétrica na Regional Oeste de Minas Gerais. Pesquisa Florestal Brasileira, 36(85), 31-40. DOI: https://doi.org/10.4336/2016.pfb.36.85.749

Oliveira, G. S., & Tavares, A. A. (2012). Levantamento e caracterização das variáveis utilizadas em estudos sobre arborização urbana. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 7(3), 75‐87.

Roppa, C., Falkenberg, Jr., Stangerlin, D. M., Brun, F. G. K., & Brun, E. J. (2007). Diagnóstico da percepção dos moradores sobre a arborização urbana na Vila Estação Colônia – Bairro Camobi, Santa Maria – RS. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 2(2), 11-30.

Santamour-Júnior, F. S. (1990). Trees for urban planting: diversity uniformity, and common sense. In: Proceedings of the 7th METRIA Conference, Washington: U.S. National Arboretum, Agriculture Research Service, 1986. pp.57-76.

Serret, H., Raymond, R., Foltête, J. C., Clergeau, P., & Simon, L. (2014). Potential contributions of green spaces at business sites to the ecological network in an urban agglomeration: The case of the Ile-de-France region, France. Landscape and Urban Planning, 131, 27–35. DOI: https://doi.org/10.1016/j.landurbplan.2014.07.003

Shanahan, D. F., Lin, B. B., Gaston, K. J., Bush, R., & Fuller, R. A. (2015). What is the role of trees and remnant vegetation in attracting people to urban parks?. Landscape Ecology, 30, 153–165. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s10980-015-0162-z

Silva, L. M., Rodighiero, D. A., Hasse, I., & Cadorin, D. A. (2008). Arborização dos Bairros Pinheiros, Brasília e Bancários em Pato Branco-PR. Scientia Agraria, 3(1), 36-53. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rsa.v9i3.11542

Silva, R. A., Moraes, R. P., & Pereira, J. A. A. (2016). Avaliação da qualidade da arborização urbana viária, Tabatinga, Amazonas, Brasil. In: Seabra G (Org.). Terra - paisagens, solos, biodiversidade e os desafios para um bom viver. 1ed. Ituiutaba: Barlavento, pp.192-202.

Silva Filho, D. F., Pizetta, P. U. C., Almeida, J. B. S. A., Pivetta, K. F. L., & Ferraudo, A. S. (2002). Banco de dados relacional para cadastro, avaliação e manejo da arborização em vias públicas. Revista Árvore, 26(5), 629-642. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622002000500014




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n1-075

Apontamentos

  • Não há apontamentos.