Ficoflórula bentônica da Fortaleza do Itaipu, Praia Grande, SP / Bentonic phycoflorula of Fortaleza do Itaipu, Praia Grande, SP

Marcelo Rodrigues Paiva Coelho, Sidney Fernandes

Resumo


A Fortaleza do Itaipu está localizada no bairro Canto do Forte, Praia Grande, SP, possui uma área de 2,4 milhões de m2, situada no Parque Estadual Xixová-Japuí, localizada a 2 km do centro da cidade. Com coordenadas geográficas 23º58’20”S e 46º22’68”W, com clima subtropical úmido (Cfa), com temperatura anual média de 22ºC e pluviosidade de 2000-2500 mm/ano. Fazendo parte da Mata Atlântica, podem ser encontrados alguns tipos de coqueiros, embaúbas, figueiras, goiabeiras, jerivás, musgos, samambaias e pitangueiras, além de algas e fungos. Quanto à fauna, encontramos briozoários, enteroproctos, esponjas, esquilos, moluscos, quero-quero, anêmonas, ouriços-do-mar, tartarugas, crustáceos, mergulhões, urubus, biguás, atobás, garças e gaivotas. O estudo visa um levantamento taxonômico das algas marinhas bentônicas da Fortaleza do Itaipu. O processo de amostragem deu-se raspando o substrato no sentido de coletar a alga como um todo, sem danificar nenhuma parte do material, através de espátulas metálicas, o armazenamento foi realizado em sacos plásticos e acondicionado em freezer até o momento da identificação, posterior a isso, as amostras foram colocadas em frascos de polipropileno em formol a 4-5%. Foram identificados 28 gêneros e 45 espécies de macroalgas.


Palavras-chave


Algas Marinhas, Fortaleza Do Itaipu, Taxonomia.

Texto completo:

PDF

Referências


Afonso, C.M. 2006. A paisagem da Baixada Santista: urbanização, transformação e conservação. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. FAPESP.

Avanzo Neto, J.; Fujii, M.T. 2016. Algas marinhas bentônicas do Estado de São Paulo. São Carlos: RiMa Editora.

Coto, A.C.S.P. 2007. Biodiversidade de clorófitas marinhas bentônicas do litoral do Estado de São Paulo. 2007. Dissertação de mestrado. Instituto de Botânica: São Paulo. 166 p.

Joly, A.B. 1957. Contribuição ao conhecimento da flora ficológica da Baía de Santos e arredores. Boletim da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, 14: 1-257.

Luderwaldt, H. 1919. Os manguezais de Santos. Revista Museu Paulista, 11: 309-408.

Oliveira Fo, E.C.; Berchez, F.A.S. 1978. Algas marinhas bentônicas da baía de Santos – alterações da flora no período de 1957-1978. Boletim de Botânica da Universidade de São Paulo, 6: 49-59.

Nassar, C. 2012. Macroalgas marinhas do Brasil: guia de campo das principais espécies. Rio de Janeiro: Technical Books Editora.

Teixeira, P. R. R. 2014. Fortaleza de Itaipu. Da Cultura, ano XIII, n0 23.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n1-061

Apontamentos

  • Não há apontamentos.