Toxicidade aguda e risco ambiental do malathion aplicado em nebulização contra Aedes aegytpi para organismos aquáticos / Acute toxicity and environmental risk of malathion applied in nebulization against Aedes aegytpi for aquatic organisms

Nicoli Paganoti de Mello, Ana Carla Coleone de Carvalho, Maria Amália da Silva Santarossa, Angela Aparecida Machado, Joaquim Gonçalves Machado Neto

Resumo


O procedimento de nebulização do inseticida organofosforado malathion para o controle do mosquito Aedes aegypti transmissor da dengue, Febre Chikungunya e Zika vírus pode acarretar em contaminação da rede hídrica e resultar na intoxicação e morte de organismos aquáticos não-alvos. Objetivou-se avaliar a toxicidade aguda e classificar o malathion quanto à toxicidade aguda e ao risco de intoxicação ambiental para tilápia Oreochromis niloticus, para o microcrustáceo Daphnia magna e para a macrófita Lemna minor. Foram realizados ensaios de toxicidade aguda para determinar o intervalo de concentrações que causam mortalidade entre 0 e 100% e determinou-se a Concentração Letal (CL) e Concentração de Efeito (CE) para os três organismos. De acordo com os resultados, a CE50(48h) calculada do malathion para a daphnia foi de 0,054 mg.L-1, a CL50(24h) para a tilápia foi 5,15 mg.L-1, e a CE50 (7d) para lemna,10,57 mg.L-1. Pelos valores de CL50 e CE50, o malathion se classifica como extremamente tóxico para D. magna, moderadamente tóxico para a O. niloticus e ligeiramente tóxico para a L. minor.  De acordo com o quociente de risco, o malathion se classifica nas classes de alto risco e médio risco para o microcrustáceo e baixo risco de intoxicação para a macrófita e para o peixe.


Palavras-chave


toxicidade aguda, risco ambiental, malathion.

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Ecotoxicologia Aquática - Toxicidade Aguda – Método de ensaio com peixes (Cyprinidae). 2016.

AMÉRICO-PINHEIRO, J. H.; MACHADO-NETO, J. G. M. Toxicidade de imidacloprid e carbofuran para organismos aquáticos de diferentes npiveis tróficos. 2015. 106f. Tese (Doutorado)- Programa de Pós-graduação em Aquicultura, Centro de Aquicultura da Unesp (CAUNESP), Jaboticabal.

BARATA, C.; SOLAYAN, A.; PORTE, C. Role of B-esterases in assessing toxicity of organophosphorous (chlorpyrifos, malathion) and carbamate (carbofuran) pesticides to Daphnia magna. Aquatic Toxicology, v. 66, p. 125-139, 2004.

COLEONE, A. C.; MACHADO, A.A., MACHADO-NETO, J. G. PAGANINI, W. da S. Validação de método analítico e de extração do malation em água e solo após nebulização de combate ao Aedes aegypti. Rev. Ambient. Água, v. 12, n. 3, 2017. https://doi.org/10.4136/ambi-agua.1993

DI GIULIO, R. T..; NEWMAN, M. C. Ecotoxicologia. In: KLAASSEN, C. D.; WATKINS III, J. B. Fundamentos em toxicologia de Casarett e Doull. New York: Artmed, 2012. cap. 29, p. 392-399.

GOKTEPE, I.; PORTIER, R.; AHMEDNA, M. Ecological risk assessment of Neem-based pesticides. Journal of Environmental Science Health, part B. Pestic. food contam. Agric. Wastes, v. 39, P. 311-320, 2004.

GUILLARD, R. R. L. Division rates. In: Handbook of phycological methods, culture methods and growth measurements. STEIM, J. R. (ed). Cambridge University Press, Cambridge, v. 1, p. 345-358, 1979.

HAMILTON, M. A.; RUSSO, R. C.; THURSTON, V. Trimed Sperman-Karber method for estimating medial lethal concentrations in toxicology bioassays. Environmental Science and Technology. v. 7, p. 714-719, 1977.

HERRICKS, E. Princípios gerais de toxicologia. In: MATSUI, S.; BARRET, B. F. D.; BANDERJEE, J. Gerenciamento de substâncias tóxicas em lagos e reservatórios. São Carlos: ILEC- IIE, v. 4, p. 9-30, 2002.

MADDRELL, S. H. P. The insect neuroendocrine system as a target for insecticides. Insect neurobiology and pesticide action. Society of Chemical Industry, London, p. 329-334, 1980.

MOURA, E. E. S. de. Determinação da toxicidade aguda e caracterização de risco ambiental do herbicida Roundup® (glifosato) sobre as três espécies de peixes. 2009. 45f. Dissertação (Mestrado em Bioecologia Aquática)- Departamento de Oceanografia e Limnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Norte.

OECD. Organization for Economic Cooperation and Development. Lemna sp. Growth inhibition test. In: Guidelines 221 for the Testing of Chemicals, jul., 2002.

PAVÃO, A. C.; LEÃO, M. B. C. Riscos de carcinogênese química no controle do Aedes. In: AUGUSTO, L. G. S.; CARNEIRO, R. M.; MARTINS, P. H. (Org). Abordagem Ecossistêmica Ensaios para o Controle da Dengue. 1ª ed. Recife: Editora Universitária da UFPE, v. 1, p. 213-226, 2005.

RAND, G. M.; PETROCELLI, S. R. Fundamentals of aquatic toxicology: methods and aplications. Ney York: Hemisphere, 1985. P. 1-28.

RIZZI, C. B.; RIZZI, R. G.; PRAMIU, P. V.; HOFFMAN, E.; CODEÇO, C. T. Considerações sobre a dengue e variáveis de importância à infestação por Aedes aegypti. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, HYGEIA, v. 13, n. 24, p. 24-40, jun. 2017.

SOLOMON, K. R. Ecotoxicological risk assessment of pesticides. Guelph: University of Guelph, 1996. 76 p.

SUCEN – Superintendência de Controle de Endemias. Segurança em controle químico de vetores. Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Disponível em . Acesso em: 05 de julho de 2017.

UH. University of Hertfordshire. PPDB: pesticide properties database. 2016. Disponível em: . Acesso em 13 jan. 2017.

URBAN, D. J.; COOK, N. J. Hazard Evaluation Division Standard Evaluation Procedure: Ecological Risk Assessment, U. S. EPA Publication 540/9-86-001, jun., 1986.

VARO, I.; NAVARRO, J. C.; AMAT, F.; GUILHERMINO, L. Effect of dichlorvos on cholinesterase activity of the European sea bass (Dicentrarchus labrax). Pest. Biochem. And Physiol., n. 75, p. 61-72, 2003.

ZUCKER, E. Hazard Evaluation Division–Standard Evaluation Procedure Acute toxicity test for freshwater fish, (1985).




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n1-049

Apontamentos

  • Não há apontamentos.