Elementos para reflexão e análise das condições de produção do guaraná no Amazonas / Elements for reflection and analysis of conditions of guaraná production in Amazonas

Gilmar Antonio Meneghetti, Lindomar de Jesus de Sousa Silva, Marcio Antônio Couto Ferreira, Alessandro Carvalho dos Santos

Resumo


O artigo traz um breve histórico da cultura do guaraná, produto tipicamente amazônico, que passou de um produto de uso doméstico consumido pelos indígenas e ribeirinhos para uma cultura comercial. Apresenta, por meio de informações e dados, uma análise da área colhida, produção e produtividade da cultura a partir de séries históricas, comparando essas variáveis nos estados do Amazonas e Bahia, utilizando para isso a análise estatística. O objetivo desta análise é identificar o cenário dos principais estados produtores de guaraná no Brasil. O artigo tem como base os dados secundários, informações obtidas a partir de conversas com pesquisadores, agricultores e extensionistas rurais, além das bibliografias consultadas. Os dados foram tratados com testes estatísticos empregados na análise de dados experimentais, baseados em modelos teóricos, que pressupõem a distribuição normal, como teste t de Student para comparação de médias. A análise estatística mostra alguns resultados: o primeiro deles é que a produção do guaraná na Bahia, a partir de 1989, passa a ser estatisticamente maior que a produção do Amazonas. Mostra uma oscilação da área colhida no Estado do Amazonas, sendo que na Bahia a área colhida tem uma trajetória mais estável. A análise aponta para uma produtividade significativa da Bahia é maior a do Amazonas. Também é possível observar que o Amazonas mesmo sendo um polo de concentrados e ter uma indústria de bebidas que usam a fruta, que há uma demanda mundial pelo produto, não consegue elevar de forma sustentável a área plantada com a cultura, nem aumentar significativamente a produção e produtividade da cultura, mesmo tendo tecnologia disponível e possibilidade de inovar. Mais do que respostas, a pesquisa remete a questionamentos, hipóteses para serem respondidas por meio estudo específico e aprofundado.


Palavras-chave


guaraná, análise comparativa, tecnologia, inovação, produção.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. Memória dos brasileiros: saberes e fazeres: o guaraná de Maués. São Paulo: Museu da Pessoa, 2007.

BUSSAB, W.O.; MORETTIN, P.A. Estatística Básica. 8. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

CARDOSO, F. B. ASPECTOS DA PRODUÇÃO DA GUARANICULTURA NOS MUNICÍPIOS DE APUÍ E URUCARÁ NO PERÍODO DE 1990 A 2007: A PRODUTIVIDADE DA TERRA. 2010. 81 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) -Universidade Federal do Amazonas, MANAUS, 2010. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/2479/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20-%20Fernanda%20Benaion%20Cardoso.pdf. Acesso em: 12 abr. 2020.

CEPLAC. Guaraná. 2011. Disponível em:https://www.ceplac.gov.br/radar/guarana.htm. acesso em: 13 de abr. 2020.

COSTA, L. F. B. da. Cultivadores de guaraná: um estudo do processo de monopolização do território pelo capital no município de Maués-AM. 2017. 111 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2017. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/5899. Acesso em: 15 de abr. 2020

DAMODAR N. GUJARATI, DAWN C. PORTER. Econometria Básica - 5.Ed. Elsevier Brasil, 2006.

HOMMA, A. K. O. Extrativismo vegetal na Amazônia: história, ecologia, economia e domesticação, DF: Embrapa, 2014.

IBGE. Sistema IBGE de Recuperação Automática – Sidra. Pesquisa agrícola Municipal. Produto da lavoura permanente, por tipo de produto. IBGE: 2020. Disponível em:https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1613#resultado. Acesso em: 12 de abr. 2020.

JARQUE, C. M.; BERA, A. K. A test for normality of observations and regression residuals. Int. Stat. Rev., Woodbury, v.55, p.163-172, 1987.

POSTEN, H. O. The robustness of the two-sample t-test over the Pearson system. Journal of Statistical Computation and Simulation, 6, 195–311, 1978.

SEAGRI-BA. BAHIA É O MAIOR PRODUTOR DE GUARANÁ DO BRASIL. http://ruralcentro.uol.com.br/noticias/bahia-e-o-maior-produtor-de-guarana-do-brasil-50687 de 30/11/2011. Acesso em: 17 abr. 2020.

SILVA, Ana Carolina Bastida da. A cadeia de valor do guaraná de Maués. Manaus: IDESAM, 2018

SOUZA, Walter Maia de. Fertilidade do solo e estado nutricional do guaranazeiro (Paullinia cupana var. sobilis (Mart.) Ducke) cultivado em sistema orgânico. 2010. 41f. Dissertação (Mestrado em Agronomia Tropical) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2010. Disponível em: http://tede.ufam.edu.br/handle/tede/4348. Acesso em: 14 de abr. 2020

TRICAUD, S., PINTON, F., PEREIRA, H. d. S. Saberes e práticas locais dos produtores de guaraná (paullinia cupana kunth var. sorbilis) do médio amazonas: duas organizações locais frente a inovação.Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v11n1/1981-8122-bgoeldi-11-1-0033.pdf. Acesso em: 12 de abr. 2020

VASCONCELOS, A.; NASCIMENTO, J.C. & MAlA, A.L. A cultura do guaraná. s.l., s.ed., SIMPÓSIO INTERNACIONAL sobre plantas de interesse econômico de Ia Flora amazônica, Belém, 1972. Disponível em: file:///C:/Users/Alessandro%20Santos/Downloads/Id9320Guarana%20(3).pdf. Acesso em 13 de abr. 2020




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n1-037

Apontamentos

  • Não há apontamentos.