A importância do diagnóstico de Toxoplasma gondii em gestantes utilizando a polymerase chain reaction (PCR) / The importance of Toxoplasma gondii diagnosis in pregnant women using a polymerase chain reaction (PCR)

Jhetro Soares da Silva, Joshua Simon Soares Holanda Araújo, Antonio Fialho da Silva Neto, Herison Victor Lima Muniz, Luiz Alfredo Torres Sales, Wellyson da Cunha Araújo Firmo, Matheus Silva Alves

Resumo


A toxoplasmose é uma zoonose cosmopolita, causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, sendo a única espécie capaz de produzir a doença em todos os hospedeiros. É caracterizada como uma doença parasitária de mamíferos, aves e répteis que afeta principalmente o sistema nervoso central, e ocasionalmente o sistema reprodutor, músculos esqueléticos e órgãos viscerais. A maioria das infecções é inaparente ou latente. Segundo estudos realizados no Brasil, a soroprevalência da toxoplasmose na população varia aproximadamente entre 40% e 80%. Apesar desses valores elevados, as maiores preocupações são voltadas às gestantes, devido a possibilidade de infecção congênita, que pode muitas vezes ser grave ou letal. Portanto o objetivo deste trabalho é relatar da utilização da PCR no diagnóstico da toxoplasmose em gestantes. A amostra frequentemente utilizada é a líquido amniótico, que será utilizado para identificação e amplificado do gene B1 de T.gondii, diferentes pares de iniciadores para replicação in vitro são utilizados. O primeiro a ser testado e frequentemente usado é o gene B1 que se encontra repetido em 35 cópias no genoma do protozoário, e é uma região conservada em todas as cepas testadas. Estudos de amplificação deste gene demonstraram alta sensibilidade e especificidade de aproximadamente 100%, em contraste com a inoculação de sangue fetal em camundongos e culturas, pois usando este gene como alvo de amplificação, junto a 100 mil células humanas, conseguiram detectar até um único parasita. Entretanto o diagnóstico da toxoplasmose ainda é baseado na sorologia, e as técnicas moleculares estão em etapas recentes de avaliação, é muito cedo para se determinar uma técnica padrão-ouro. Porém esse método da PCR tem auxiliado grandemente no diagnóstico sendo sempre associado aos resultados dos outros exames realizados, situação clínica – história do paciente e sintomatologia. Muito pouco ainda se sabe dessa parasitemia produzida pelo Toxoplasma gondii.


Palavras-chave


Diagnóstico, PCR, Toxoplasmose, Gene B1.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIA MERCADO, Y.M. Evaluación de la técnica PCR en tiempo real en el diagnóstico de la toxoplasmosis en gestantes del departamento de sucre. Trabajo de grado para optar al título de Magíster en Biología, Universidade de Sucre Faculdad de Educación y Ciencias. Sincelejo, 2016. Disponível em: https://repositorio.unisucre.edu.co/handle/001/977. Acesso em: 20.set.2020.

AVELAR, M.V. Infecção por Toxoplasma gondii em gestantes da maternidade Climério de Oliveira, Salvador-Bahia, 2014: associação da soroprevalência para anticorpos IgG específicos com fatores de risco. Dissertação (Programa de Pós-graduação em Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas, Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015. Disponível em: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20191. Acesso em: 20.set.2020.

BÁRTHOLO, B.G.R. et al. Toxoplasmose na Gestação. Revista HUPE, UERJ, v. 14, n. 2, p. 65-70. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.12957/rhupe.2015.18441. Acesso em: 21.set.2020.

BATISTA, G.L.L.R. Diagnostico sorológico e molecular da toxoplasmose. Artigo Cientifico (Graduação em Biomedicina) – Centro Universitário São Lucas, Porto Velho, 2018. Disponível em: http://hdl.handle.net/123456789/2726. Acesso em: 20.set.2020.

CAMILO, L.M. Diagnostico Molecular da Toxoplasmose Sintomática: um estudo retrospectivo e prospectivo de 9 anos num laboratório de referência no Estado de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Doenças Tropicais Saúde Internacional – Instituto de medicina de São Paulo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: doi:10.11606/D.99.2017.tde-06122017-140621. Acesso em: 20.set.2020.

CARRAL, L. et al. Toxoplasmosis congénita: diagnóstico serológico, RPC, aislamiento y caracterización molecular de Toxoplasma gondii. Revista Chilena infectol, Buenos Aires, v. 35, n. 1, p. 36-40, Janeiro/2018. Disponível em: https://dx.doi.org/10.4067/s0716-10182018000100036. Acesso em 18.set.2020.

CASTRO, F.C. et al. Comparação dos Métodos para Diagnostico da Toxoplasmose Congênitas. RBGO, v.23, n.5, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-72032001000500002. Acesso em: 21.set.2020.

COSTA, H.P. et al. A importância do diagnóstico, tratamento e profilaxia no combate a toxoplasmose gestacional. Revista Expressão Católica Saúde, Ceará, v. 1, n. 1, p. 8-10, Dezembro/2016. Disponível em: http://publicacoesacademicas.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/recsaude/article/view/1363 Acesso em: 19.set.2020.

DA COSTA, M.E.S.M. Novos alvos moleculares para detecção e genotipagem de Toxoplasma gondii. Dissertação (Mestrado em Biologia Parasitária) – Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/21369. Acesso em: 20.set.2020.

DIAS, V.A; LOPES-ORTIZ, M.A. Toxoplasmose na gestação – causas e consequências. Revista UNINGÁ Review, v. 29, n. 1, p. 127-131, Março/2017. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1920. Acesso em: 19.set.2020.

DIESEL, A.A. Acompanhamento da toxoplasmose durante a gravidez: uma década de experiência em um hospital universitário no Sul do Brasil. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., Rio de Janeiro, v. 41, n. 9, p. 539-547, Setembro, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1055/s-0039-1697034. Acesso em: 21.set.2020.

GARCIA, A.C.H. Métodos de identificação molecular de doenças infectocontagiosas. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) – Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília/2018. Disponível em: https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/prefix/13059. Acesso em: 19.set.2020.

GONÇALVES, F.T.O. Desafios e perspectivas da toxoplasmose gestacional e congênita: uma revisão da literatura. Trabalho de Conclusão de Curso (graduação de Biomedicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Novembro/2018. Disponível em: https://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/7899. Acesso em: 19.set.2020.

LA FUENTE VILLAR, B.B. Toxoplasmose na gestação: estudo clínico, diagnóstico e epidemiológico em um Centro de Referência do Rio de Janeiro. 2019. 65 f. Dissertação (Mestrado em Pesquisa Aplicada à Saúde da Criança e da Mulher) -Instituto Nacional de Saúde da Mulher da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/34710. Acesso em: 21.set.2020.

MURATA, F.H.A. Infecção por Toxoplasma gondii: Caracterização Sorológica e Molecular em Pacientes Atendidos pelo SUS. Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde), São José do Rio Preto, Abr/2016. Disponível em: http://bdtd.famerp.br/handle/tede/409. Acesso em: 20.set.2020.

NOVAES, G.B.O. Diagnósticos convencionais e baseados em PCR para identificação de cepas em pacientes co-infectados neurotoxoplasmose/HIV. Tese (Doutorado em Biologia Aplicada a Saúde) – Universidade Federal do Pernambuco, Recife, 2016. Disponível em: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23459. Acesso em: 21.set.2020.

SILVERA, M.B. et al. Soroprevalência e fatores de risco para toxoplasmose em gestantes na região metropolitana de Goiânia, Goiás, Brasil. Brazilian Journal of health Review, v. 3, n. 1, p. 729-746. Curitiba, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n1-057. Acesso em: 21.set.2020.

SIMÕES, L. et al. Toxoplasma gondii e gestação: características da toxoplasmose, sinais clínicos, diagnóstico e a importância da doença na saúde pública – revisão. Revista Cientifica de Medicina Veterinária, São Paulo, n. 25, p. 3-14, Julho/2015. Disponível em: http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/9fhGH5NmPvR3L4J_2015-11-27-12-17-35.pdf. Acesso em:18.set.2020.

SPALDING, S.M. et al. Otimização da reação de polimerase em cadeia para detecção de Toxoplasma gondii em sangue venoso e placenta de gestantes. J. Bras. Patol. Med. Lab., Rio de Janeiro, v. 38, n. 2, p. 105-110, 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1676-24442002000200006. Acesso em: 21.set.2020.

YAMAMOTO, L. Desenvolvimento de uma multiplex-PCR para detecção simultânea de sete patógenos com DNA no genoma em casos suspeitos de infecção congênita. Tese (Doutorado em Doenças Tropicais e Saúde Internacional – Instituto de Medicina de São Paulo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: doi:10.11606/T.99.2017.tde-23022017-111508. Acesso em: 20.set.2020.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv4n1-008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.