Caracterização e utilização de fibras de coco como biossorvente na recuperação de corpos hídricos contaminados por derramamento de derivados do petróleo / Characterization and use of coconut fibers as biosorbent in the recovery of water contaminated by spilling oil derivatives

Tatiana Martinez Moreira, Emília Satoshi Miyamaru Seo

Resumo


Com base no desenvolvimento sustentável, este trabalho, visou buscar materiais tecnológicos com enfoque na reciclagem, onde se destacam as fibras vegetais, como as do coco, que possuem baixo custo e impacto ao meio ambiente, com boa eficiência quando utilizadas para o processo de biossorção. Este método vem sendo utilizado como um recurso para redução de problemas ambientais causados por contaminação em corpos hídricos, como córregos e rios urbanos, por derramamento de substâncias tóxicas, minimizando assim os impactos dos ecossistemas aquáticos, bem como a contaminação do solo. As fibras do mesocarpo do Coco são lignocelulósicas obtidas a partir de frutos dos coqueiros (Cocos nucifera L.), os quais crescem abundantemente em países de clima tropical, como o Brasil. A preparação destas fibras foi feita por meio de tratamentos físicos e químicos, tais como: lavagem, secagem, secção, mercerização (tratamento químico com agente alcalino que ataca a superfície da fibra, melhorando suas características de sorção) e caracterização. Esses procedimentos geraram um material que pôde ser empregado como um biossorvente. Como contaminantes, foram utilizados derivados do petróleo, tais como a gasolina e o óleo diesel. Na caracterização foram utilizadas técnicas de: Picnometria, Termogravimetria, Análise Elementar, Microscopia Eletrônica, Fluorescência de Raios X, Teor de Umidade e Cinzas, Retenção de água, Hidrofobicidade e Flutuabilidade. Para os ensaios práticos foram mensuradas a sorção de contaminantes tanto em sistema seco, onde os contaminantes estão em contato direto com os biossorventes, quanto aquoso, simulando um derramamento de óleo diesel e gasolina em um corpo hídrico. Os resultados demonstraram que o biossorvente testado possui boa capacidade sortiva nos dois sistemas testados. Portanto, dada a sua origem renovável e de baixo custo, este material se mostrou eficiente para a finalidade proposta.


Palavras-chave


Biossorventes, fibras vegetais, recursos hídricos.

Texto completo:

PDF

Referências


ACHEER, A. P. Desenvolvimento de um sistema para simulação e otimização do processo de adsorção para avaliação da separação de misturas líquidas. 2002. Tese de doutorado apresentado à UNICAMP, Campinas, 2002.

ANNUNCIADO, T.R. Estudo da chorisia speciosa e outras fibras vegetais como sorventes para o setor de petróleo. 2005. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia. Área de Concentração: Engenharia e Ciência dos Materiais, Universidade Federal do Paraná. 2005.

BENELLI, P.; Agregação de valor ao bagaço de laranja (citrus sinensis l. Osbeck) mediante obtenção de extratos bioativos através de diferentes técnicas de extração. Dissertação (Mestrado em Engenharia de alimentos), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

FONTES, H. G. Utilização de resíduos culturais como bioadsorventes no tratamento de efluentes – estudo de casos. 2014. Dissertação (Mestrado em Engenharia Sanitária e Ambiental). Universidade Estadual da Paraíba. 2014.

GURGEL, L. V. A. Mercerização e modificação química da celulose e bagaço da cana-de-açúcar com anidrido succínico e trietilenotetramina: Preparação de novos materiais quelantes para adsorção de Pb(II), Cd(II), Cr (VI) e Cu (II). 2007. Dissertação em Engenharia Sanitária e Ambiental. Universidade Federal de Ouro Preto. 2007.

HORSFALL, M.J.; ABIA, A.A.; SPIFF, A.I.; Kinetic studies on the adsorption of Cd+2, Cu+2 and Zn+2 ions from aqueous solutions by cassava (Manihot sculenta cranz) tuber bark waste. Bioresour.Technol. v.97, 2006, p. 283 e 291.

HILL, C.A.S.; KHALIL, H.P.S.A.; HALE, M.D. A study of the potential of acetylation to improve the properties of plant fibres. Industrial Crops and Products v.8, p.53-63, 1998.

KELLEY, S.S., ROWELL, R.M., DAVIS, M., JURICH, C.K.; IBACH, R. Rapid analysis of the chemical composition of agricultural fibers using near infrared spectroscopy and pyrolysis molecular beam mass spectrometry. Biomass & Bioenergy, v.27, n.1, p.77-88. 2004.

KIM, Y. M.; LEE, H. W.; KIM, S.; WATANABE, C.; PARK, Y.K; Non-Isothermal Pyrolysis of Citrus Unshiu Peel. Bioenergy Research, n. 8, p. 431–439, 2015.

OLIVEIRA, A. F.; Avaliação de desempenho de fibras lignocelulósicas na sorção de óleo diesel e biodiesel. 2010. Tese (Doutorado em Agronomia). Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”. UNESP campus Botucatu, SP. 2010.

POLLARD, S.J.T.; FOWLER, G.D.; SOLLARS, C.J.; PERRY,R. Low cost adsorbents for waste and waste water treatment: a review. Sci.Tot. Environ.116, 1992, p. 31 e 52.

RIBEIRO, T. M. H.; Sorção de petróleos na biomassa seca do macrófito aquático. 2000. Tese (Doutorado em Engenharia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2000.

SÁNCHEZ, R. O., HERNÁNDEZ, P. B., MORALES, G. R., NÚÑEZ, F. U., VILLAFUERTE, J. O., LUGO, V. L., RAMÍREZ, N. F., DÍAZ, C. E. B., VÁSQUEZ, P. C.; Characterization of lignocellulosic fruit waste as an alternative feedstock for bioethanol production. BioResource, v. 9, p. 1873-1885, 2014.

SOUZA, J. V. T. M.; MASSOCATO, C. L.; DINIZ, K. M.; PASCOAL, E. C.; DRAGUNSKI, D. C. Uso da casca e do bagaço de laranja como bioadsorvente de chumbo. 33ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química.2010. Universidade Paranaense. 2010.

STRÖHER, A. P.; MENEZES, M. L.; FIORENTIN, L. D.; PEREIRA, N. C. Utilização do bagaço de laranja no tratamento de efluente proveniente da lavagem de jeans. 2012. e-xacta, Belo Horizonte, v. 5, n. 1, p. 27-37. (2012). Editora UniBH.

TIBOLLA, H.; Produção de nanofibras de celulose por hidrólise enzimática. 2014. Dissertação em Engenharia de Alimentos. Universidade Estadual de Campinas. UNICAMP, SP. 2014.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n4-078

Apontamentos

  • Não há apontamentos.