Setor terciário e a integração econômica laboral da mulher em Mato Grosso Do Sul: a equidade e a responsabilidade socioambiental de empresas (RSE) / Labor economic integration of women in Mato Grosso Do Sul: an analysis of the tertiary sector and socio-environment responsability of companies (CRS)

Daniel Massen Frainer, Ailene De Oliveira Figueiredo

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a evolução da integração da força de trabalho feminina em suas relações sociais, ambientais e econômicas, e a responsabilidade socioambiental das empresas como cidadania econômica na esfera regional. Analisa a ocupação no setor terciário do Estado de Mato Grosso do Sul, descrevendo as mudanças ocorridas em razão das mudanças tecnológicas, flexibilização produtiva e das relações de trabalho, redução na oferta de emprego no setor terciário, o qual reconhecidamente, é qualificado como setor de maior precarização das relações de trabalho. Nesta perspectiva, examina o conceito da igualdade nos empregos verdes, o qual possui formulação ampla, para todo e qualquer emprego, relacionando a todas as convenções internacionais que trata sobre o tema, a responsabilidade socioambiental das empresas (RSE) no acesso emprego, e seus reflexos no desenvolvimento regional. A metodologia utilizada é analítico descritiva quantitativa, utiliza para tanto, dados secundários obtidos por meio do RAIS-CAGED e IBGE-PNAD, no período 2002-2018. Os resultados evidenciaram um aumento populacional das mulheres, e estagnação da força feminina no mercado de trabalho regional, mesmo sendo o setor responsável pelo maior crescimento de ocupações.


Palavras-chave


Economia do Trabalho, Gênero, Empregos Verdes, Desenvolvimento Regional Sustentável, Responsabilidade Socioambiental das Empresas (RSE)

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, J. A. F. Diferenciais de produtividade do trabalho em atividades do setor terciário nas aglomerações urbanas do RS: 1985-2002. Disponível em http://www.fee.tche.br/sitefee/downloads/jornadas2/e8-02.pdf . Acesso em 15/03/2019.

BAKKER, L. B., YOUNG, C. E. F. Caracterização do Emprego Verde no Brasil. Revista Economia & Ecologia, UFRJ, Rio de Janeiro, 2012.

BASSO, Maristela; POLIDO, Fabrício B. Pasquot. A Convenção da OIT sobre liberdade Sindical de 1948: recomendações para adequação do Direitos Interno Brasileiro aos princípios e regras internacionais do trabalho. Revista do Tribunal do Trabalho. São Paulo, v. 21, jul/set. 2012.

BIROLI, Flávia, MIGUEL, Luis Felipe. Feminismo e Política.1ª Ed., São Paulo, Editora Boitempo, 2014.

BIROLI, Flávia. Gênero e Desigualdades: limites da democracia no Brasil.1ª Ed., São Paulo, Editora Boitempo, 2017.

BRASIL, Constituição Federal de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 12/08/2018.

BRASIL. CLT – Consolidação das Leis do Trabalho. Disponível em: http://planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Del5452.htm. Acesso em: 26/072017.

BRUSCHINI, Cristina. Trabalho Feminino no Brasil: novas conquistas ou persistência da discriminação? Disponível em http://biblioteca.clacso.edu.ar/ar/libros/lasa98/Bruschini.pdf, acesso em 15/04/2016.

CALIL, Léa Elisa. A História do Direito do Trabalho da Mulher: aspectos históricos-sociológicos do início da República ao final deste século. São Paulo, Ed. LTr, 2000.

CARDOSO, José C, ACIOLY, Luciana, MATIJASCIC, Milko. Trajetórias Recentes de Desenvolvimento: estudos de experiências internacionais selecionadas. Livro 2, IPEA, 2009.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação: economia, sociedade e cultura. 2. ed. São Paulo, Paz e Terra, 1999.

CEDAW, disponível em: http://www.convencao-sobre-a-eliminação-de-todas-as-formas-de-discriminacao-contra-a-mulher-cedaw-1979/, acesso em 31/07/2017.

Bársena, Alícia. La Ineficienza de la Desigualdad. Havana. CEPAL, 2018.

CERA, Denise M., Direitos Fundamentais. Disponível em: https://www.lfg.com.br/conteudos/artigos/direito-constitucional/quais-sao-os-direitos-de-primeira-segunda-terceira-e-quarta-geracao-denise-cristina-mantovani-cera, acesso em 15/04/2016.

DI PIETRO, Josilene H. Ortolan. Mecanismos de Implementação do Direito ao Meio Ambiente do Trabalho Equilibrado e a Responsabilidade Socioambiental das Empresas. São Paulo, Editora Mackenzie, 2018.

DRAY, Guilherme M. A Influência dos Estados Unidos da América na Afirmação do Princípio da Igualdade no Emprego nos Países da Lusofonia. Lisboa, Ed. Almedina, 2016.

ERBER, Fábio. As Convenções de Desenvolvimento no Brasil: um ensaio de economia política. Economia Aplicada, v. 14, n. 2, p. 147- 168, 2010. Disponível em

http://www.ie.ufrj.br/aparte/pdfs/fabio_erber_120908.pdf, acesso em 15/03/2019)

GIANNUZZO, Amélia Nancy. Los estúdios sobre el ambiente y la ciência ambiental. Revista Scientiae Studia. São Paulo, v.8, n.1, 2010.

HADDAD, P. R. Medidas de Localização e de Especialização. In HADDAD, P.R., Economia Regional: teorias e métodos de análise. Fortaleza: BNB, 1989.

HOLZER, Werter. Uma discussão fenomenólogica sobre os conceitos de paisagem e lugar, território e meio ambiente. Revista Território, ano II, n. 3, jul-dez, 1997.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em https://www.ibge.gov.br/apps/snig/v1/, acesso em 29/07/2018.

INSTITUTO ETHOS. Glossário. 2013. Disponível em: , acesso em 1/03/2017.

IPEA. Instituto de Pesquisa Aplicada. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/, Acesso em: 15/04/2018.

_____. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/. Acesso em: 15/04/2018.

KON, Anita. A Nova Economia Política dos Serviços. 1ª Edição, São Paulo: Perspectiva: CNPQ, 2015.

KON, Anita. A Nova Economia Política dos Serviços. 1ª Edição, São Paulo: Perspectiva: CNPQ, 2015.

KON, Anita. Economia do Trabalho. Qualificação e Segmentação no Brasil. São Paulo, Alta Books Editora. 2016.

KON, Anita. Economia do Trabalho. Qualificação e Segmentação no Brasil. São Paulo, Alta Books Editora. 2016.

KON, Anita. Economia do Trabalho. Qualificação e Segmentação no Brasil. São Paulo, Alta Books Editora. 2016.

LIMA, Firmino Alves. Teoria da Discriminação nas Relações de Trabalho. Rio de Janeiro, Ed. Elsevier, 2011.

MACHADO, A. F.; OLIVEIRA, A. M. H. C.; WAJNMAN S. Sexo Frágil? Evidências sobre a inserção da mulher no mercado de trabalho brasileiro. São Paulo, Organização Gelre, 2005.

MARANHÃO, Ney. Meio Ambiente do Trabalho: descrição jurídico conceitual. Disponível em: http://revista91.hospedagemdesites.ws/index.php/rdtps/article/view/40. Acesso em: 27/08/2017.

MARUANI, Margaret, HIRATA, Helena. As Novas Fronteiras da Desigualdade: homens e mulheres no mercado de trabalho. Trad. Clevi Rapkievics. São Paulo, Ed. Senac 2003.

MARX, Karl. Introdução à crítica da economia política. São Paulo, Ed. Abril Cultural, 1978. (Col. Os Pensadores)

MARX, Karl. Introdução à crítica da economia política. São Paulo, Ed. Abril Cultural, 1978. (Col. Os Pensadores)

Moraes, Maria Lygia Quartim de. Cidadania no Feminino, in História da Cidadania, Pinsky Jaime, Pinsky, Carla B., Campinas. Ed. Contexto, 2015.

OLIVEIRA, Ana M. H. C. A segregação ocupacional por Sexo no Brasil. Dissertação. Belo Horizonte. Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais, 1997.

OLIVEIRA, Carina, SAMPAIO, Rômulo S. A inclusão dos atores privados na busca do desenvolvimento sustentável. In A Economia Verde no Contexto do Desenvolvimento Sustentável: a governança dos atores públicos e privados

ONU-Organização das Nações Unidas. CEDAW, Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher de 1979. Disponível em: http://www.compromissoeatitude.org.br/convencao-sobre-a-eliminacao-de- todas-as-formas-de-discriminacao-contra-a-mulher-cedaw-1979/. Acesso em: 31/07/2017.

PEREIRA, R. M. Uma Metodologia para a construção de matrizes regionais compatíveis - o RAS modificado agregado: uma aplicação para as grandes regiões do Brasil em 2006. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Ciências Econômicas, 2006.

REIS, Elisa Pereira, Reis, Fábio W., VELHO, Gilberto. As Ciências Sociais nos últimos 20 anos: três perspectivas. Ver. Bras. Ci. So., vol. 12 n. 5, São Paulo, 1997. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S0102- 69091997000300002, acesso em 27/07/2018

SANTOS, António Marques dos. As relações entre Portugal, a Europa e o Mundo Lusófono e suas repercussões no plano jurídico. In Estudos de Direito Privado e de Direito Público, Coimbra, Ed. Almendina, 2004.

SERVAIS, Jean-Michel. International Labour Standarts and Corporate Social Responsibility. Bulletim of Comparative Labour Relations, Kluwer Law International, Netherlands, n. 55, 2005: 21s.

SILVA E MEIRELLES, D. Serviços: Características e Organização de Mercado. In X Política. Encontro Nacional de Economia Política, Campinas, 2005.

SILVA E MEIRELLES, D. o Conceito de Serviço. Revista de Economia Política. V.26, Política, n. 1, 2006.

SERVAIS, Jean-Michel. International Labour Standarts and Corporate Social Responsibility. Bulletim of Comparative Labour Relations, Kluwer Law International, Netherlands, n. 55, 2005: 21s.

STERN, N. The Economics of Climate Change. The Stern Review. Cambrige: Cambrige University Press, 2006.

SUCUPIRA, J. A responsabilidade Social. Boletim IBASE. 20 de maio de 2000.

THOME, Candy F. O princípio da igualdade de gênero e a participação das mulheres nas organizações sindicais de trabalhadores. São Paulo, Editora LTr, 2012.

VARGAS, Heliana Comin. Espaço Terciário: o lugar e a imagem do comércio. São Paulo, Ed. Senac, 2001.

ZAPATA, Sandor R. D. As Convenções da OIT no Ordenamento Jurídico Brasileiro. Jundiaí, Paco Editorial, 2016




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n4-071

Apontamentos

  • Não há apontamentos.