Desenvolvimento ontogenético do parasitoide Nasonia vitripennis (Hymenoptera: Pteromalidae) utilizando Chrysomya putoria (Diptera: Calliphoridae) como hospedeiro / Ontogenetic development of the parasitoid Nasonia vitripennis (Hymenoptera: Pteromalidae) using pupae of Chrysomya putoria (Diptera: Calliphoridae) as host

Barbara Proença, Antonia de Castro Ribeiro, Daniele Lourinho Dallavecchia, Márcia Souto Couri, Valéria Cid Maia, Valéria Magalhães Aguiar

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar o desenvolvimento ontogenético de Nasonia vitripennis (Hymenoptera) usando como hospedeiro pupas de Chrysomya putoria (Diptera). Foi estudada a relação de três hospedeiros para uma fêmea parasitoide com os tempos de 24, 48 e 72 horas de exposição ao parasitismo, totalizando 20 replicações por tempo de exposição. O desenvolvimento ontogenético do parasitoide foi prolongado quando o tempo de exposição ao parasitismo foi estendido. A menor média de desenvolvimento do parasitoide foi observada com 24 horas de exposição (13,65 dias) e a mais longa em 72 horas (14,15 dias). Foi observada uma variação entre o começo e o final de emergência de parasitoides adultos entre os tratamentos. O pico de emergência ocorreu 14 dias após o início da exposição após o tempo de exposição em todos os tratamentos. A produtividade de parasitoides por pupa foi influenciada pelo tempo de exposição, onde o maior rendimento ocorreu após 72 horas de exposição. A produção tendeu a uma queda com a redução do tempo de exposição. Foi observado um maior número de emergência de fêmeas parasitoides em todos os tratamentos. As maiores taxas de parasitismo ocorreram no tempo de 48 horas e as menores em 24 horas de exposição. O número de pupas viáveis sofreu um aumento conforme o tempo de exposição foi prolongado.


Palavras-chave


Controle biológico, interação parasitoide-hospedeiro, vespa parasitoide.

Texto completo:

PDF

Referências


Barbosa LS, Couri MS, Coelho VMA. 2008. Influência do aumento do número de pupas hospedeiras de Cochliomyia macellaria (Diptera, Calliphoridae) no desenvolvimento do parasitóide Nasonia vitripennis (Hymenoptera, Pteromalidae) em laboratório. Iheringia, Sér Zool. 98:339–344.

Barbosa LS, Couri MS, Coelho VMA. 2010. Desempenho do parasitóide Nasonia vitripennis (Walker) (Hymenoptera, Pteromalidae) utilizando como hospedeiro Cochliomyia macellaria (Fabricius) (Diptera, Calliphoridae), sob diferentes tempos de exposição. Rev Bras Entomol. 54:125–129.

Brisola-Marcondes C. 2001. Entomologia Médica e Veterinária. São Paulo: Atheneu. p. 432.

Cardoso D, Milward-De-Azevedo EMV. 1995. Influência da densidade de Chrysomya megacephala (Fabricius) (Diptera: Calliphoridae) sobre a capacidade reprodutiva de fêmeas nulíparas de Nasonia vitripennis (Walker) (Hymenoptera: Pteromalidae). Rev Bras Entomol. 39:779–786.

Cardoso D, Milward-de-Azevedo EMV. 1996. Aspectos da biologia de Nasonia vitripennis (Walker), (Hymenoptera: Pteromalidae) em pupas de Chrysomya megacephala (Fabricius) e C. albiceps (Wiedemann) (Diptera: Calliphoridae), sob condições de laboratório. Rev Bras Entomol. 40:143–146.

Gulias-Gomes CC, Soares CO, Milward-de-Azevedo EMV. 2003. Pupas de Chrysomya megacephala (Fabricius, 1794) (Diptera: Calliphoridae) crioconservadas em solução de glicerol e dimetil sulfóxido como substrato de crianção de Nasonia vitripennis (Walker, 1836) (Hymenoptera: Pteromalidae). Rev Bras Zoociências. 5:101–120.

Harvey JA, Gols GJZ. 1998. The influence of host quality on progeny and sex allocation in the pupal ectoparasitoid, Muscidifurax raptorellus (Hymenoptera: Pteromalidae). B Entomol Res. 88:299–304.

Magalhães, M.N. & Lima, A.C.P. 2001. Noções de Probabilidade e Estatística. São Paulo: IME USP. p. 392.

Mandeville JD, Mullens BA, Yu DS. 1990. Impact of selected pesticides on field population dynamics of parasitic Hymenoptera (Pteromalidae) in caged-layerpoultry manure in southern California, U.S.A. Med Vet Entomol. 4:261–268.

Mello RS, Borja GEM, Aguiar-Coelho VM. 2010. Effects on Microhymenopteran Progeny of Different Host Exposure Periods (Chrysomya megacephala, Calliphoridae) to the Parasitoid Wasp Nasonia vitripennis (Hymenoptera: Pteromalidae). Braz Arch Biol Technol. 53(1):77-85.

Morgan PB, Berti-Filho E, Costa VA. 1991. Life history of Spalangia gemina (Hymenoptera: Pteromalidae), a fast-breeding microhymenopteran pupal parasitoid of muscoid flies. Med Vet Entomol. 5:277–281.

Neves DP, Melo AL, Genaro O, Linard PM. 2005. Parasitologia Humana. São Paulo: Atheneu. p. 428.

Schmidt CD. 1986. Nasonia vitripennis (walker) a parasitoid contaminant in fly-rearing facilities. Southwest Entomol. 11:113–118.

Silveira-Neto S, Nakano O, Barbin D, Villa Nova NA. 1976. Manual de Ecologia dos insetos. São Paulo: Ceres. p. 419.

Slansky JRF, Scriber M. 1985. Food consumption and utilization. In: L. I. GILBERT. Comprehensive insect physiology, biochemistry and pharmacology. Nº 13. Oxford: Pergamon. p. 162.

Ullyett GC. 1950. Pupation Habits of Sheep Blowflies in Relation to Parasitism by Mormoniella vitripennis, Wlk. (Hym., Pteromalid.).

B Entomol Res. 40:533–537

Van Den Assem J, Putters FA, Prints TC. 1984. Host quality effects on sex ratio of the parasitic wasp Anisopteromalus calandrae (Chalcidoidea: Pteromalidae). Neth J Zool. 34:33–62.

Whiting AR. 1967. The biology of the parasitic wasp Mormoniella vitripennis (= Nasonia vitripennis) (Walker). Q Rev Biol. 42:333–406.

Wylie HG. 1964. Effect of host age on rate of development of Nasonia vitripennis (Walk.) (Hymenoptera, Pteromalidae). Can Entomol 96:1023–1027.

Wylie HG. 1965. Effects of superparasitism on Nasonia vitripennis (Walker) (Hymenoptera: Pteromalidae). Can Entomol 97:326–331.

Wylie HG. 1966. Some effects of female parasite size on reproduction of Nasonia vitripennis (Walk.) (Hymenoptera: Pteromalidae). Can Entomol 98:196–198.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n4-068

Apontamentos

  • Não há apontamentos.