O construto de sustentabilidade ambiental - Hipóteses e desafios / The environmental sustainability construction - Hypotheses and challenges

Adelcio Machado dos Santos, Gabriela Lopes Besen, Daniel Tenconi, Mário Luiz Cachinsky, Ivonete Moreira

Resumo


A preservação e manutenção das condições naturais do meio ambiente constituem-se “condicio sine qua” para a qualidade de vida das gerações futuras, bem como para a sua própria permanência no planeta. A destruição do meio ambiente, por meio de impactos constantes, pode tornar inviável a preservação da vida dos seres humanos. Destarte, é essencial que todas as atividades realizadas por meio da ação humana sejam realizadas de tal forma que possam ser ambientalmente sustentáveis. Nos dias atuais, a sustentabilidade ambiental, ademais de ser do interesse dos cientistas e dos ecologistas, também vem sendo analisada pela sociedade em geral. De outro lado, o princípio de sustentabilidade do novo paradigma configura chave para todas as versões do pensamento ambientalista. Não se apenas na área econômica, porquanto os métodos propostos para verificar o grau de sustentabilidade das sociedades se constituem em instrumental eficaz para identificar a evolução social. Por fim, cumpre formalizar construto acerca de sustentabilidade, posto que sem visar à precisão, e sim destacar as possibilidades.


Palavras-chave


ambientalismo, sustentabilidade, construto.

Texto completo:

PDF

Referências


BOTELHO, I. Dimensões da cultura e políticas públicas. São Paulo Perspec., São Paulo, v. 15, n. 2, p. 73-83, abr. 2001.

BRASIL. [Constituição 1988]. Constituição da República Federativa do Brasil. Rio de Janeiro: Roma Victor, 2002.

BRÜGGER, P. Visões estreitas na educação ambiental. Ciência hoje, São Paulo, v. 24, n. 141, p. 62-65, ago. 1998.

EMBRAPA. Agir: percepção da gestão ambiental. Edição técnica de Valéria Sucena Hammes. v. 5. São Paulo: EMBRAPA, 2004. (Educação ambiental para o desenvolvimento sustentável).

FREELAND, S. Direitos humanos, meio ambiente e conflitos: enfrentando os crimes ambientais. Sur, Rev. int. direitos humanos. , São Paulo, v. 2, n. 2, pág. 118-145, 2005.

GOUVEIA, N. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 6, p. 1503-1510, jun. 2012.

GRÜN, M. Ética e Educação Ambiental: a conexão necessária. Campinas: Papirus, 1996. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cafajeste. Pesqui., São Paulo, n. 118, pág. 189-206, mar. 2003.

LIMA, G. F. da C. A institucionalização das políticas e da gestão ambiental no Brasil: avanços, obstáculos e contradições. In: CUNHA, B. P. de; AUGUSTIM, S. Sustentabilidade ambiental: estudos jurídicos e sociais. Caxias do Sul: Educs, 2014. p. 470-485.

MATTOZO, V.; CAMARGO, C. C. de B. Energia, ambiente e mídia: qual é a questão? Florianópolis: UFSC, 2005.

MONTIBELLER FILHO, G. O mito do desenvolvimento sustentável: meio ambiente e custos sociais no moderno sistema produtor de mercadorias. 2. ed. Florianópolis: UFSC, 2004.

MOTTA, R. S. da. Economia ambiental. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

MOTTA, R. S. da. Valoração e precificação dos recursos ambientais para uma economia verde. In: GRAMKOW, C. L.; PRADO, P. G. (coord.) Economia Verde: desafios e oportunidades. Belo Horizonte: Conservação Internacional, 2011. p. 179-190.

NOVAES, Washington. A questão ambiental deve estar no centro de tudo.

Ecologia e Desenvolvimento, ano 12, n. 100, p. 12-14, 2002.

NOVAES, W. Meio ambiente hoje: problemas e desafios. Comum., Inf., Goiânia, v. 6, n. 2, p. 99-114, jul./dez. 2003.

ONU. A ONU e o meio ambiente. 2020. Disponível em: https://nacoesunidas.org/acao/meio-ambiente/. Disponível em: 17 set. 2020.

PELEGRINI, S. C. A. Cultura e natureza: os desafios das práticas preservacionistas na esfera do patrimônio cultural e ambiental. Rev. Bras. Hist. , São Paulo, v. 26, n. 51, p. 115-140, jun. 2006.

RAMOS, E. C. Educação ambiental: origem e perspectivas. Educar, Curitiba, n. 18, p. 201-218, 2001.

SHIKI, S. de F. N. Alguns elementos para o debate: desenvolvimento local sustentável. In: RUSCHEINSKY, A. Sustentabilidade: uma paixão em movimento. Porto Alegre: Sulina, 2004.

SONAGLIO, Kerlei Eniele. Ecoturismo na ilha de Santa Catarina: um estudo para o desenvolvimento sustentável. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

VEIGA, J. E. da. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

ZILBERMAN, I. Introdução à engenharia ambiental. Canoas: ULBRA, 1997.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n4-037

Apontamentos

  • Não há apontamentos.