Proposta De Ficha De Campo Para Caracterização De Voçorocas No Distrito De Cachoeira Do Campo, Ouro Preto – MG / Proposal of Field Sheet for Characterization of Gullies in the District of Cachoeira do Campo, Ouro Preto – MG

Amabiliane Gonzaga Queiroz, Cintia Cazassa de Oliveira, João Paulo Martins Pereira, Matheus Fanola Dolce, Victor Manuel Rocha Moreira, Ana Katiuscia Pastana de Souza Weber

Resumo


O Distrito de Cachoeira do Campo, município de Ouro Preto/MG, se destaca pela ocorrência de erosões significativas, principalmente voçorocas. E essas feições estão presentes devido à formação geológica suscetível, à geomorfologia da área e a uma vegetação pouco densa, o que dificulta a proteção dos solos, e aos solos intemperizados e pouco desenvolvidos. É sabido que as perdas de solos causadas por voçorocas trazem danos ao meio ambiente, gerando impactos sociais, ambientais e econômicos. Esse fenômeno geológico é proveniente da erosão por escoamento superficial e subsuperficial, gerando fissuras e desagregação dos solos, provocado por agentes intempéricos (físicas, químicas e biológicas) e antrópicos. Dentro deste contexto, se faz importante caracterizar as feições erosivas presentes no Distrito de Cachoeira do Campo para posterior monitoramento. Com isso, este trabalho teve como objetivo geral a elaboração de uma ficha de campo, com um check list, para auxiliar no cadastramento e monitoramento das voçorocas. A ficha foi elaborada para auxiliar o cadastrador no preenchimento de informações indispensáveis, como: localização, geomorfologia, dimensão da área erosiva, característica do solo, estabilidade, tipo de erosão e características gerais da área. Além de conceitos resumidos e figuras ilustrativas para facilitar o cadastramento. A utilização da ficha facilitou o cadastro em campo, onde foi possível cadastrar três feições erosivas em três litologias, sendo uma na Formação Cercadinho, uma na Unidade Catarina e outra no Complexo Bação. Em cada ponto foram preenchidas as informações extraídas para uma análise pontual e comparativa. Identificaram-se processos erosivos atuantes em todos os três pontos, que continham sulcos e ravinas causados pela erosão pluvial. Observou-se que a voçoroca de maior comprimento foi à localizada na Formação Cercadinho, já a de maior largura e profundidade foi encontrado no Complexo Bação. Quanto menor a largura comparada a profundidade, mais nova é a voçoroca. Com estes dados, espera-se que possam auxiliar na identificação da melhor abordagem para recuperação destas áreas, uma vez que essas feições erosivas anualmente causam a perda significativa de grandes massas de solos.


Palavras-chave


Quadrilátero Ferrífero, Cachoeira do Campo, Voçorocas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, F.F.M. 1977. O cráton do São Francisco. Revista Brasileira de Geociências, v. 7, n. 4, p. 349-364. Disponível em: . Acesso em 17 mai. 2017.

ALKIMIM, F.F. & MARSHAK, S. 1998. Transamazonian orogeny in the southern São Francisco Craton region. Minas Gerais, Brazil: evidence for paleoproterozoic collision and collapse in the Quadrilátero Ferrífero. Precambrian Research, 90 (1-2): 29-58. In: FIGUEIREDO, A.M.; VARAJÃO, A.F.D.C.; FABRIS, V.D, & LOUTFI, I.S. 2002. Aspectos Pedogeomorfológicos e Mineralógicos de uma Topossequencia de Solos Gnaissicos no Complexo Bação - Quadrilátero Ferrífero, MG. Brasil. 10 f.. Pesquisas em Geociências, 29 (1): 71-82.

ALKIMIM, F.F. 2004. O que faz de um cráton um cráton? O Cráton do São Francisco e as revelações almeidianas ao revelá-lo. In: V. Mantesso Neto, A. Bartorelli, C.D.R. Carneiro, B.B.de Brito-Neves. orgs. 2004. Geologia do Continente Sul-Americano: Evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo: Ed. Beca. p. 17-35. (Cap. 1).

ALKIMIM, F.F. & MARTINS-NETO, M.A. 2001. A Bacia intracratônica do São Francisco: Arcabouço estrutural e cenários evolutivos. In: C.P. Pinto, M. Martins-Neto. 2001. Bacia do São Francisco. Geologia e Recursos Naturais. Belo Horizonte, SGB-MG. p. 9-30..

BACELLAR, L.de.A.P. 2000. Condicionantes geológicos, geomorfológicos e geotécnicos dos mecanismos de voçorocamento na bacia do Rio Maracujá, Ouro Preto, MG. Rio de Janeiro. 226 p. Tese de Doutorado em Engenharia Civil, Coordenação dos Programas de Pós-graduação de Engenharia - COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

BACELLAR, L.A.P.; NETTO, A. L. C.; LACERDA, W. Fatores Condicionantes do Vocoracamento na Bacia Hidrografica do Rio Maracuja, Ouro Preto - MG. 8 f.

BARROS, L.F. DE P.B; JUNIOR, A.P.M & RAPOSO, A.A. 2010. Fatores condicionantes da produção e escoamento de sedimentos na bacia do Rio Maracujá – Quadrilátero Ferrífero/MG. Artigo Científico.

CETEC-MG – Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais. 1983. Diagnóstico ambiental do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte. CETEC. 158 p.

CARVALHO, T.E.; LIMA, S.V; CAMPOS, C.F. 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental. Reabilitação Territorial: Principal Demanda da Gestão. 10f.

CARVALHO, José Camapum de Phd. Considerações sobre prevenção e controle de voçorocas. VII Simpósio Nacional de Controle de Erosão Goiânia (GO), 03 a 06 de maio de 2001.

CASSETI, Valter. Geomorfologia. [S.l.]: 2005. Disponível em: . Acesso em 05 mai. 2017.

CHEMALE JR. F.; ROSIÈRE, C.A. & ENDO, I. 1991. Evolução Tectonica do Quadrilátero Ferrífero Minas Gerais: Um modelo. Pesquisas. 18(2):104-127.

CHEROBIN, S.F. 2012. Estimativa de erosão e sua relação com os diferentes mecanismos erosivos atuantes: estudo da voçoroca. Vila Alegre. 116 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais.

COSTA, F.M. & SOBREIRA, F.G. 2001. Estudo Preliminar das Voçorocas da Bacia do Rio Carioca, Quadrilátero Ferrífero, MG. 7 f. VII Simpósio Nacional de Controle de Erosão Goiânia (GO), 2001. Universidade Federal de Ouro Preto – Geologia.

COSTA, FM et al. 2004. Estudo preliminar das voçorocas da bacia do rio carioca, Quadrilátero Ferrífero, MG. VII Simpósio Nacional de Controle de Erosão Goiânia (GO).

CPRM – Serviço Geológico do Brasil. BRANCO, Pérsio de Morais. 2014. O intemperismo e a Erosão. Disponível em: . Acesso em 10 mai. 2017.

DORR II, J.V.N. 1969. Physiographic, stratigraphic, and structural development of the Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais, Brazil. Washington, US Geol. Surv. 110 p. (Prof. Pap. 641-A).

DRUMOND, F.N. 2006. Caracterização e Quantificação dos Processos Erosivos Atuantes na Evolução de uma Voçoroca na Bacia do Riacho Manoel Félix no Complexo Metamórfico do Bação, Quadrilátero Ferrífero – MG. Universidade Federal de Ouro Preto.123 f. Dissertação. Departamento de Geologia.

DRUMOND, F.N.; BACELLAR, L.A.. 2006. Caracterização Hidrossedimentológica e dos Processos Evolutivos de Voçoroca em Área de Rochas Gnáissicas do Alto Rio das Velhas (MG). Revista Brasileira de Geomorfologia - Ano 7, nº 2 . 10f. Universidade Federal de Ouro Preto.

FAO – Watershed management Field manual – Gully Control. FAO Conservation guide 13/2. Food and Agriculture Organization of the United Nations, Rome, 1986. In: CHEROBIN, S.F. 2012. Estimativa de erosão e sua relação com os diferentes mecanismos erosivos atuantes: estudo da voçoroca. Vila Alegre. 116 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais.

FIGUEIREDO, A.M.; VARAJÃO, A.F.D.C.; FABRIS, V.D, & LOUTFI, I.S. 2002. Aspectos Pedogeomorfológicos e Mineralógicos de uma Topossequencia de Solos Gnaissicos no Complexo Bação - Quadrilátero Ferrífero, MG. Brasil. 10 f.. Pesquisas em Geociências, 29 (1): 71-82.

FIGUEIREDO, M.A. 2001. Aspectos Mineralógicos, Micromorfológicos E Texturais Da Pedogênese No Sul Do Complexo Bação, Quadrilátero Ferrífero, MG. Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP. ISSN 1677-4132.

GUERRA, A.J.T. 2007. Processos Erosivos nas Encostas. In: GUERRA, A.J.T; CUNHA, S.B. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. 7ª Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. Acesso 03 mai. 2017.

GUERRA, A.J.T. & GUERRA, A.J. 2006. Novo dicionário geológico geomorfológico. 5ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

GUERRA, A.J.T.; SILVA, A.S. & BOTELHO, R.G.M. 1999. Erosão e Conservação dos Solos: Conceitos, Temas e Aplicações. Rio de Janeiro. Editora Art Line, 340 p.

GUIMARÃES, C. do N. 2008. Mapeamento geotécnico da bacia do córrego da Barra, aplicação do penetrômetro de impacto em estudos de processos erosivos São Pedro-SP - escala:10.000. Dissertação de mestrado em Geotecnia. Escola de engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

HERZ, N. 1970. Gneissic and igneous rocks of the Quadrilátero Ferrlfero, Minas Gerais, Brazil. GeoI. Surv. Prof. Paper 641-8, 58 p., Washington.

LADEIRA, E.A. 1989. Metallogenesis of gold at the Morro Velho Mine and in Nova Lima District, Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais, Brazil. London (Ontario(, 272 p. (PhD Thesis, University of Western Ontario). In: NOCE, C.M. 1995. Geocronologia dos eventos magmáticos, sedimentares e metamórficos na região do Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo – SP.

LANA, E.C. & CASTRO, A.PT. 2010. Variabilidade Morfológica em Níveis de Base do Rio Maracujá (Quadrilátero Ferríforo – MG): Influências Litológicas, Estruturais e de Reativações Cenozóicas. Revista Brasileira de Geomorfologia v.11,nº 1.Universidade Federal de Ouro Preto – Geologia, Universidade Federal do Espírito Santo.10f.

LOPES, L.C.F.L. 2014. Investigação dos depósitos fluviais e de encosta em bacias de cabeceira do alto Rio das Velhas (MG): subsídios para avaliação da suscetibilidade a fluxos de detritos.

MARSHAK, S. & ALKMIM, F.F. 1989. Proterozoic extension/contraction tectonies of the southern São Francisco craton and adjacent regions. Minas Gerias. Brazil: a kinematic model relating Quadrilatero Ferrifero, Saõ Francisco basin and Cordilheira do Espinhaço. Tectonics, 8:555-571. In: NOCE, C.M. 1995. Geocronologia dos eventos magmáticos, sedimentares e metamórficos na região do Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo – SP.

RMBH: Recursos minerais. Projeto APA Sul RMBH: Estudos do meio físico. Belo Horizonte, CEMAD/CPRM, p. 46-50, 2005. Acesso 22 mai. 2017.

NETO, P. L. M. Processos Erosivos Acelerados (voçorocas) do Complexo Bação em Cachoeira do Campo, Ouro Preto – MG (2016) UNI-BH- Centro Universitario de Belo Horizonte.

NOCE, C.M. 1995. Geocronologia dos eventos magmáticos, sedimentares e metamórficos na região do Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo – SP.

OLIVEIRA, M.A.T. de & MEIS, M.R.M. de. 1985. Relações entre Geometria do relevo e formas de erosão linear acelerada. (Bananal, SP) Geociências, 4:87-99.

PARZANESE, G.A.C. 1991. Gênese e desenvolvimento de voçorocas em solos originados de rochas granitóides na região de Cachoeira do Campo, Minas Gerais. Viçosa. 117 p. Dissertação de Mestrado em Agronomia, Departamento de Solos e Nutrição de Plantas, Universidade Federal de Viçosa.

RADAMBRASIL. 1983. Levantamento de recursos naturais. Folhas SF 23/24 – Rio de Janeiro/Vitória. Rio de Janeiro. IBGE. v. 32. 767 p.

RESENDE, M. 1985. Aplicações de conhecimentos pedológicos à conservação de solos. Inf. Agropec., 11:3-18.

REZENDE, S.B. & RESENDE, M. 1996. Solos dos mares de morros: ocupação e uso. In: FIGUEIREDO, A.M.; VARAJÃO, A.F.D.C.; FABRIS, V.D, & LOUTFI, I.S. 2002. Aspectos Pedogeomorfológicos e Mineralógicos de uma Topossequencia de Solos Gnaissicos no Complexo Bação - Quadrilátero Ferrífero, MG. Brasil. 10 f.. Pesquisas em Geociências, 29 (1): 71-82.

ROESER, P. M. H; ROESER, A. P. 2010. O Quadrilátero Ferrífero - MG, Brasil: Aspectos Sobre Sua História, Seus Recursos Minerais E Problemas Ambientais Relacionados. GEONOMOS 18(1): 33 - 37.

RUBIRA, F.G.; MELO, G. do V. de & OLIVEIRA, F.K.S. de. 2017. Proposta de Padronização dos Conceitos de Erosão em Ambientes Úmidos De Encosta. Revista de Geografia Recife, v 33. 193 p.

SALAROLI, I. S.. 1999. Mapeamento litoestrutural da região de Santo Antônio do Leite, Ouro Preto. Ouro Preto. 68 p. (Relatório do Trabalho Geológico de Graduação em Geologia, Departamento de Geologia, Universidade Federal de Ouro Preto)

SANTOS, C.A.; SOBREIRA, F.G. & NETO, A.L.C. 2002. Comportamento hidrológico superficial e erodibilidade dos solos da região de Santo Antônio do Leite, Distrito de Ouro Preto–MG. Disponível em:< http://dx.doi.org/10.1590/S0370- 44672002000400010>. Acesso em 20 abr. 2017.

SELBY, M. J. 1993. Hillslope materials and processes. Oxford : Oxford University. In: CHEROBIN, S.F. 2012. Estimativa de erosão e sua relação com os diferentes mecanismos erosivos atuantes: estudo da voçoroca. Vila Alegre. 116 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais.

SILVA, F.H.B.B. da.; SILVA, M.S.L. & CAVALCANTI, A.C. Descrição das principais classes dos solos. EMBRAPA Semiárido, Recife 2005, 15 f.

TEIXEIRA, W.; FAIRCHILD. T.R.; TOLEDO, M.C.M. & TAIOLI, F. 2009. Decifrando a Terra. 2ª Edição – São Paulo. Companhia Editora Nacional, 2009. 623 p. (Capítulo 8 – Da rocha ao solo: intemperismo e pedogênese).

VILELA, R.A. 1999. Geologia de um segmento do Complexo Matamórfico Bação: área entre Glaura e Cachoeira do Campo, Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais. Ouro Preto. 77 p. (Relatório do Trabalho Geológico de Graduação em Geologia, Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto).




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n4-033

Apontamentos

  • Não há apontamentos.