Influência da forma de processamento na qualidade final do café Conilon / The influence of the Conilon processing in final quality of the coffe

Fabiano Tristão Alixandre, Rodrigo da Silva Dias, César Abel Krohling, Maurício José Fornazier, Douglas Gonzaga de Souza, Pedro Paulo Teófilo, Ricardo Dias Alixandre

Resumo


A forma de processamento pode influenciar de forma decisiva nas características sensoriais de bebida do café, considerando as condições edafoclimáticas da região das Montanhas Capixabas. Este trabalho teve como objetivo avaliar as características sensoriais da cultivar Conilon Vitória, processados de forma natural e via úmida com sem adição das enzimas Pectinex® Ultra SP-L e LNF CNA/CNB. O estudo foi realizado no município de Afonso Cláudio/ES, em uma altitude de 745m, sendo o solo do tipo LVA. O experimento teve início em maio de 2018, em uma lavoura de café conilon do cultivar vitória, com 8 anos de idade plantada no espaçamento de 3,0 m entre linhas e 1,0 m entre plantas, o delineamento utilizado os blocos ao acaso com três repetições de 10 plantas/parcela. Foram realizadas avaliações dos atributos sensoriais seguindo a metodologia SCA. Os resultados mostraram que existem diferenças significativas entre os atributos sensoriais da bebida dos cafés processados de forma natural e via úmida. Podemos concluir que: i). Os cafés processados de forma natural foram estatisticamente superiores com relação a nota global em relação os cafés processados por via úmida; ii). Houve diferença no perfil sensorial dos cafés processados por via-úmida e natural; iii) As Enzimas Pectinex® Ultra SP-L e LNF CNA/CNB não influenciaram na nota final dos cafés, porém reduziu o tempo de processamento dos cafés processados por via-úmida.


Palavras-chave


A forma de processamento pode influenciar de forma decisiva nas características sensoriais de bebida do café, considerando as condições edafoclimáticas da região das Montanhas Capixabas. Este trabalho teve como objetivo avaliar as características sensoria

Texto completo:

PDF

Referências


BORÉM, F. M. Secagem de café. In: BORÉM, F. M. (Ed). Pós-colheita do café. Lavras, MG: UFLA, 2008. FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n.6, p. 1039-1042, Nov./dez. 2011.

SCAA- SPECIALTY COFFEE ASSOCIATION OF AMERICA. Protocolo para Análise Sensorial de Café:

Metodologia SCAA, 2008. Disponível: http://www.scaa.org. Acesso em: 06 ago. 2019.

SILVA, J. de S; SAMPAIO, C.P; MACHADO, M.C; MONACO, P.A.. Preparo, secagem e armazenagem, In: SILVA,

J. de S. (Ed). Secagem e armazenagem de café. Viçosa, MG: UFV, CBP&D – Café, 2001, Cap. 1-60.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n4-021

Apontamentos

  • Não há apontamentos.