A importância da preservação do meio ambiente: sensibilizando os visitantes do centro de ciências e planetário do Pará / The importance of environmental preservation: awarenessing visitors to the sciences center and planetarium of Pará

Isabelly Gatti Rocha Tourinho, Sara Morais Rodrigues, Guilherme Junior Leite da Piedade, Jhully Helen Soares da Silva, Ana Carolina Brito de Farias Hage Alves, Edilberto Leonardo Costa Rodrigues, Arthur Fellipp Furtado da Silva, Bianca Venturieri

Resumo


A relação do homem com a natureza há muito tempo vem sendo discutida por conta das grandes mudanças ambientais, como uma consequência do planeta em desequilíbrio. Neste sentido, percebe-se a importância da sensibilização do ser humano sobre as questões ambientais, como um dependente da natureza. Para isto, temos os espaços não formais de ensino aos quais contribuem de forma significativa no processo de ensino aprendizagem. A presente pesquisa visa analisar a influência no processo de aprendizagem de visitantes de um espaço não formal de ensino, observando resultados positivos em relação à sensibilização destes mediante aos temas ambientais e a importância de sua preservação, assim estimulando a criticidade da consequência de seus hábitos. Para este fim, em novembro de 2017, o Centro de Ciências e Planetário do Pará recebeu a visita de 25 alunos do 5º ano do ensino fundamental, aplicou-se um questionário para verificar os conhecimentos pré-existentes, e foi reaplicado após a visitação e exibição de um filme acerca desta temática. A metodologia utilizada foi a de Pereira (2006), do qual foi classificada a análise das respostas como Satisfatória, Parcialmente Satisfatória e Insatisfatória, desta forma foi possível perceber que a maioria dos estudantes tinha conhecimento satisfatório sobre o tema (até 76 %), embora possuíssem dificuldades em justificar suas respostas no primeiro momento devido ao seu conhecimento meramente tradicional, posterior à aplicação dos métodos não formais teve um aumento significativo na categoria Satisfatória (de 84% a 100%). Sendo assim concluímos que o trabalho foi eficaz, pois obteve um retorno positivo dos alunos, além de conseguir respostas mais críticas no que tange o assunto abordado, beneficiando o processo de ensino e aprendizagem.


Palavras-chave


Alterações ambientais, espaço não formal de ensino, educação ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BRANCO, S. M. O meio ambiente em debate. São Paulo: Moderna, p. 95 (Coleção Polêmica), 1997.

CAZELLI, S. Divulgação Científica em espaços não formais. In: Anais do XXIV Congresso da Sociedade de Zoológico do Brasil, p. 10-10, 2000.

DE ALBUQUERQUE, B. P. As relações entre o homem e a natureza e a crise sócio-ambiental. Rio de Janeiro, RJ. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 2007.

GOHN, M. G. M. Educação não-formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, p. 103, 2010.

GUIMARÃES, M. e VASCONCELLOS, M. M. N. Relações entre educação ambiental e educação em ciências na complementaridade dos espaços formais e não formais de educação. Educar em Revista, Curitiba, n. 27, p. 147-162, 2006.

HIGUCHI, M. I. G.; ZATTONI, M.; BUENO, F. P. Educação Ambiental em contextos não escolares: definindo, problematizando e exemplificando. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 7, n. 2, p. 119-132, 2012.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Em extensão, v. 7, n. 1, 2008.

NAPOLITANO, M. Como usar o cinema na sala de aula. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2005.

SABBATINI, M. Museus e centros de ciência virtuais: uma nova fronteira para a cultura científica. Com Ciência, 2003.

SONCINI, M. I e CASTILHO JR., M. Biologia. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 1990.

LOUREIRO, C. F. B. Sustentabilidade: Em defesa da educação ambiental no brasil. In: Silva, M.L. Org. Políticas e práticas de educação ambiental na Amazônia: Das unidades de conservação aos grandes empreendimentos econômicos. Belém: UFPA; GEAM, p.13-27, 2014.

PEREIRA, E. M; FARRAPEIRA, C. M. R; PINTO, S. L. Percepção e educação ambiental sobre manguezais em escolas públicas da região metropolitana do Recife. Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient. ISSN 1517-1256, v.17, 2006.

QUEIROZ, R. et al. A caracterização dos espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. Revista Areté| Revista Amazônica de Ensino de Ciências, v. 4, n. 7, p. 12-23, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n4-002

Apontamentos

  • Não há apontamentos.