Levantamento de aves (Ordem Passeriformes) da Trilha do Sol, Capitólio, Minas Gerais, Brasil / Survey of birds (Order Passeriformes) of Trilha do Sol, Capitólio, Minas Gerais, Brazil

Maria Clara Martins Campanaro, Juliano Fiorelini Nunes

Resumo


Os levantamentos de avifauna são essenciais para a identificação de espécies bioindicadoras de qualidade ambiental, endêmicas e ameaçadas de extinção, colaborando para conservação de vários ecossistemas brasileiros. A pesquisa foi realizada na Trilha do Sol, Capitólio, Minas Gerais, próxima à zona de amortecimento do Parque Nacional da Serra da Canastra, região responsável por uma das maiores riquezas de aves do país. No presente artigo realizamos o levantamento da Ordem Passeriforme, com o intuito de averiguar sua riqueza e frequência, bem como a existência de espécies endêmicas, ameaçadas de extinção e bioindicadoras de qualidade ambiental, verificando assim o potencial local para o turismo de observação de aves. Foram utilizados métodos de levantamento qualitativo e quantitativo, registros fotográficos, consulta a guias de identificação e especialistas. Foram realizadas dez visitas a campo e 62 horas de observação, que resultaram em 60 espécies registradas de Passerifomes, distribuídas em 17 famílias e 50 gêneros, das quais as famílias Thraupidae (20 espécies) e Tyrannidae (16) foram as mais ricas em espécies. Cinco espécies são reconhecidas como indicadoras de qualidade ambiental: Lepidocolaptes angustirostris, Saltator similis, Sporophila plumbea, Porphyrospiza caerulescens e Antilophia galeata; sendo as três últimas ameaçadas de extinção, assim como Elaenia cristata, Saltatricula atricollis, Gnorimopsar chopi e Cypsnagra hirundinacea. As endêmicas do Cerrado registradas foram: Cyanocorax cristatellus, L. angustirostris, P. caerulescens, A. galeata, Cypsnagra hirundinacea e S. Atricollis. O levantamento apresentou uma grande riqueza de aves Passeriformes e a presença de espécies endémicas, ameaçadas e bioindicadoras, revelaram também o potencial da Trilha do Sol para a observação desta fauna.

 


Palavras-chave


inventário faunístico, lista de espécies, observação de aves, ornitologia, turismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ATHIÊ, S. A observação de aves e o turismo ecológico. Biotemas, v. 20, n. 4, p. 127-129, dez. 2007.

ATHIÊ, S.; DIAS, M. M. Frugivoria e dispersão de sementes por aves em Casearia sylvestris Sw. (Salicaceae) na região centro-leste do Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Zoociências, Revista Brasileira de Zoociências, v. 13, ed. 1, 2, 3, p. 79-86, 2011. Disponível em: . Acesso em: 4 ago. 2020.

BIRDLIFE INTERNATIONAL. Brasil. 2020. Disponível em:

. Acesso em: 15 jul. 2020.

BIRDLIFE INTERNATIONAL. Data Zone. Online, 2020. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2020.

BRESSAN, M. P., KIERULFF M. C. M, SUGIEDA, A. M. Fauna Ameaçada de Extinção no Estado de São Paulo: Vertebrados. São Paulo: Fundação

Parque Zoológico de São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente, 2009.

COMITÊ BRASILEIRO DE REGISTROS ORNITOLÓGICOS (CBRO). Listas das

aves do Brasil. 11ª ed. CBRO, 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2020.

COSTA JUNIOR, D. P. et. al. Levantamento de avifauna na zona de amortecimento do Parque Nacional Serra da Canastra, local identificado popularmente como Vale do Céu. Ciência et Praxis. v. 7, n. 14, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2020.

DONATELLI, R. J. et. al. Dinâmica da avifauna em fragmento de mata na Fazenda Rio Claro, Lençois Paulista, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia. 21(I): p. 97-114, março 2004. Disponível em:

. Acesso em: 19 jul. 2020.

FIEKER, C. Z. et. al. Guia de bolso: 100 aves do Parque Nacional da Serra da Canastra – MG. São Roque de Minas: ICMBio. 2014. 126 p.

FIEKER, C. Z. Uso e Seleção de Habitat por Aves em Ambientes Campestres e Áreas Úmidas Na Região Sul do Cerrado. Orientador: Prof. Dr. Manoel Martins Dias Filho. 2016. 178 p. Tese (Doutorado em Ciências) - Universidade Federal de São Carlos, São Calos - SP, 2016. Disponível em: . Acesso em: 4 ago. 2020.

GOULART, E. D., NORONHA, C. R. S. Potencial de desenvolvimento do turismo de observação de aves na região do Parque Nacional da Serra da Canastra – MG. IV Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG: IV Jornada Científica, Bambuí, p. 1-5, 2011. Disponível em: . Acesso em: 5 ago. 2020

FRISCH, D. C., FRISCH. D. J. Aves Brasileiras e as Plantas que as atraem. 3° ed. São Paulo: Dalgas Ecotec – Ecologia Técnica Ltda., 2005. 480 p.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. 2018. Brasília: ICMBio. 4162 p.

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

(ICMBio). Unidades de Conservação – Parna: Parna da Serra da Canastra. 2020. Disponível em: .

Acesso em: 18 jul. 2020.

KLEIN A. L. (org). Eugen Warming e o cerrado brasileiro: um século depois. São Paulo: Editora UNESP; Imprensa Oficial do Estado, 2002. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2020.

LAGOS, A. R. et al. Guia de aves: da área de influência da Usina Hidrelétrica de Batalha. Rio de Janeiro: FURNAS, Janeiro 2018. 216 p.

LOPES, L. E. Notas sobre a campainha-azul Porphyrospiza caerulescens. Atualidades Ornitológicas On-line, Atualidades Ornitológicas On-line, n. 167, p. 57-68, Maio-Junho 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2020.

MACHADO, A. F., SOUSA, B. & KELMER, M. O TURISMO DE NATUREZA EM CAPITÓLIO – MG: PRÁTICAS E IMPACTOS, REVISTA AMERICANA DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO, v. 2, n.3, p 86-96, Nov. 2020. ISSN: 2674-7170. Disponível em: . Acesso em: 04 ago. 2020.

MATTER, S. V. et. al. Ornitologia e Conservação: Ciência Aplicada, Técnicas de Pesquisa e Levantamento. Rio de Janeiro: Technical Books Editora, 2010. 516 p.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). O Bioma Cerrado. 2020. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2020.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE E SECRETARIA DE BIODIVERSIDADE E

FLORESTAS (MMA/ SBF). Biodiversidade Brasileira: AVALIAÇÃO e identificação de áreas e ações prioritárias para a conservação, utilização sustentável e repartição dos benefícios da biodiversidade nos biomas brasileiros. Brasília: MMA/SBF, 2002. 404 p.

OPPLIGER, E. A. et. al. O potencial turístico para a observação da avifauna em três áreas verdes na cidade de Campo Grande, MS. São Paulo: Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. Mai/Ago. 2016, p. 274-292, v. 10(2). Disponível em:

. Acesso em: 16 jul. 2020.

PIACENTINI, V. Q. et. al. Annotated checklist of the birds of Brazil by the Brazilian Ornithological Records Committee. Revista Brasileira de Ornitologia. Jun. 2015. p. 91-298. v. 23(2). Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2020.

REIS, W. J.; SILVA, E. T. AVES PASSERIFORMES DO MUNICÍPIO DE CAPUTIRA, MINAS GERAIS. Revista de Ciências, [s. l.], v. 7, ed. 1, p. 111-129, 2016. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2020.

RIBON, R. Amostragem de aves pelo método de listas de Mackinnon. In: MATTER, S. V. et al. Ornitologia e Conservação: Ciência Aplicada, Técnicas de Pesquisa e Levantamento. Rio de Janeiro: Technical Books Editora, 2010. cap. 1, p. 33-44.

ROCHA, C. et. al. Caracterização da avifauna em áreas de cerrado no Brasil Central. Acta Biológica Catarinense, Joinville,SC, v. 2, n. 2, p. 49-53, 2015. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2020.

SAVE BRASIL. Aves Como Indicadores. 2020. Disponível em:

. Acesso em: 19 jul. 2020.

SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fonteira, 1997. 912 p.

SIGRIST T. Aves do Brasil Oriental – Guia de Bolso. São Paulo: Avis Brasilis, 2015. 336 p.

SILVEIRA, L.F., UEZU, A. Checklist of birds from São Paulo State, Brazil. São Paulo: Biota Neotropica, 2011. v. 11(1a). Disponível em:

. Acesso em: 19 jul. 2020.

SILVEIRA, L.F. The birds of Serra da Canastra National Park and adjacent areas, Minas Gerais, Brazil. Cotinga. 1998. 10:55-63.

SNOW, D. W. Tropical frugivorous birds and their food plants: a world survey. Biotropica, 1981. p. 1-14. v. 13 (1). Disponível em:

. Acesso em: 16 jul. 2020.

STRAUBE, F. C. Fontes para o conhecimento da riqueza da avifauna do estado do Paraná (Brasil). Atualidades Ornitológicas N. 126, Jul/Ago. 2005. 16 p.

Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2020.

VIELLIARD, J. M. E. et. al. Levantamento quantitativo por pontos de escuta e o Índice Pontual de Abundância (IPA). In: MATTER, S. V. et. al. Ornitologia e Conservação: Ciência Aplicada, Técnicas de Pesquisa e Levantamento. Rio de Janeiro: Technical Books Editora, 2010. cap. 1, p. 33-44.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-142

Apontamentos

  • Não há apontamentos.