Análise da diversidade genética do robalo peva (Centropomus parallelus) na resex de Canavieiras, Bahia / Analysis of the genetic diversity of robalo peva (Centropomus parallelus) in the resex of Canavieiras, Bahia

Vitória Lacerda Fonseca, Joemille Silva dos Santos, José Rodrigo Lírio Mascena, Nádira Naiane Cerqueira Rocha, Claudivane de Sá Teles Oliveira, Ricardo Franco Cunha Moreira, Marcelo Carneiro de Freitas, Soraia Barreto Aguiar Fonteles

Resumo


O robalo peva, Centropomus parallelus, é uma espécie de alto valor comercial e ampla distribuição geográfica nas Américas, sendo um dos pescados mais capturados e de grande importância econômica da Reserva Extrativista Marinha de Canavieiras, Bahia. O estudo genético em torno da estrutura de população é um aporte primordial para a implantação de programas de manejo e preservação dos estoques. Neste contexto, este trabalho objetivou caracterizar geneticamente o robalo peva da RESEX de Canavieiras, através de marcadores ISSR, para contribuir na conservação e no plano de manejo da espécie. No período do estudo foram capturados 115 indivíduos aleatoriamente em diferentes pesqueiros ao longo do estuário da RESEX de Canavieiras, possibilitando a formação de um banco genético “in vitro” para espécie. As extrações de DNA foram realizadas segundo o protocolo de fenol – clorofórmio e amplificados via a técnica de PCR (reação em cadeia polimerase) por meio de marcadores ISSR. O material genético foi submetido a eletroforese em gel de agarose a 2% e foto-documentado em transluminador de luz ultravioleta L-PIX Loccus Biotecnologia. Foram testados 15 primers do quais 5 foram selecionados por apresentarem boa amplificação. Os cinco primers utilizados se mostraram eficientes na detecção da variabilidade genética, gerando um total de 196 loci, cerca de 72,6% de apresentação das bandas polimórficas, os números de bandas por população variaram entre 36 a 44, com uma média de 39 por população. A partir da análise do dendrograma e de coordenadas principais (PCoA) foi possível observar as unidades genéticas distintas entre os pontos amostrados demonstrando que a maior parte da variabilidade genética se dá dentro das populações em suas localidades devido ao compartilhamento de alelos em comum, indicando um alto fluxo gênico entre as unidades amostrais. A alta variabilidade genética de C. parallelus encontrada na área estudada é de grande importância para a conservação da espécie, sendo fundamental a aplicação de medidas de manejo para a manutenção do estoque, garantindo assim sua produtividade pesqueira.


Palavras-chave


Ictiogenética, pesca, biodiversidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLENDORF, F.W.; ENGLAND, P.R.; LUIKART, G.; RITCHIE, P.A.; RYMAN, N. (2008). Genetic effects of harvest on wild animal populations. Trends in Ecology e Evolution. v.23, n.6, p. 327-337. 2008.

ASHIKAGA, F. Y. Estudo da estrutura genética de Leporinus friderici (charachiformes, anostomidae) das escadas para transposição de peixe do complexo canoas- Rio Paranapanema do Rio Paraná para fins de conservação. Dissertação Mestrado Genética e Biologia Molecular. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008.

BENDHACK, F.; PECZEK, V.; GONÇALVES, R.; BALDAN, A. P. Desempenho do robalo-peva em diferentes temperaturas de cultivo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.48, p.1128-1131. 2013.

BENEVIDES, E. A. Diversidade genética, conectividade populacional e a conservação do Mero (Epinephelusitajara; Perciformes: Epinephelidae) na Costa Atlântica da América do Sul. 2011. 93 f. Dissertação de Mestrado em Ciências Biológicas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife – Pernambuco. 2011.

CELINO, J. J.; HADLICH, G. M.; QUEIROZ, A. F. S.; OLIVEIRA, O. M. C. Avaliação de ambientes costeiros na região Sul da Bahia: Geoquímica, petróleo e sociedade. Organizadores; prefácio Julio Cesar Wasserman. - Salvador, BA: EDUFBA, 2014. 248 p.

CEMIG, 2019. Disponível em . Acesso em janeiro 2019 as 15:18.

CERQUEIRA, V.R.; CARVALHO, C.V.A.; SANCHES, E.G.; PASSINI, G.; BALOI, M.; RODRIGUES, R.V. Manejo de reprodutores e controle da reprodução de peixes marinhos da costa brasileira. Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.41, 57 n.1, p.94-102, jan./mar. 2017.

CORRÊA, C. F.; LEONARDO, A. F. G.; TACHIBANA, L.; CORRÊA-JUNIOR, L. Frequência alimentar para juvenis de robalo-peva criados em água doce. Rev. Acad., Ciênc. Agrár. Ambient., Curitiba, v. 8, n. 4, p. 429-436, out./dez. 2010.

DÍAZ-JAIMES, P.; SANDOVAL, E.; URIBE, M. Comparative population structure of three snook species (Teleostei: Centropomidae) from the eastern central Pacific. Ichthyological Research, v.54, n.4, p.380-387, November. 2007.

EXCOFFIER, L.; SMOUSE, P. E.; QUATTRO, J. M. Analysis of molecular variance inferred from metric distances among DNA haplotypes: application to human mitochondrial DNA restriction data. Genetics, v.131, n.2, p. 479-491. 1992.

FIGUEIREDO, J. L.; MENEZES, N. A. Manual de peixes marinhos do Sudeste do Brasil. III. Teleostei (2). São Paulo, Museu de Zoologia, Universidade de São Paulo. 90 p. 1980.

GILMORE, R. G.; DONAHOE, C. J.; e COOKE, D. W. Observations on the distribution and biology of the common snook, Centropomus undecimalis (Bloch). Florida Scientist. v. 46, p. 313–336. 1983.

GODINHO, H. M.; SERRALHEIRO, P. C. S.; FERRAZ, E. M.; PIMENTEL, C. M. M.; OLIVEIRA, I. R.; PAIVA, P. Reprodução induzida em robalo Centropomus parallelus POEY, 1860. Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci., São Paulo, v.37, n1, p.37-42. 2000.

HILSDORF, A.W.S. Marcadores moleculares e a caracterização dos recursos genéticos de peixes: Desenvolvimento sustentável da aquicultura e da pesca de espécies nativas de água doce no Brasil. 2013. 159 f. Tese (Livre Docência). Pirassununga. 2013.

HERNANDEZ-VIDAL, U.; CHIAPPA-CARRARA, X.; CONTRERAS-SÁNCHEZ W. Reproductive variability of the common snook, Centropomus undecimalis, in environments of contrasting salinities interconnected by the Grijalva–Usumacinta fluvial system. Ciencias Marinas, v.40, n.3, p.173–185. 2014.

ICMBIO. Atlas dos Manguezais do Brasil / Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. – Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, 2018.

JAMAGO, J.M. Morpho-agronomic and molecular diversity of the Philippine mungbean (Vigna radiata L.) germplasm. Philippine Journal of Crop Science, University of the Philippines Los Banos, The Philippines, p.174. 2003.

MANGUEZAIS: Educar para proteger / Organizado por Jorge Rogério Pereira Alves. - Rio de Janeiro: FEMAR: SEMADS. 2001.

MARSHALL, D.J., MONRO, K., BODE, M., KEOUGH, SWEARER, S. Phenotype environment is matches reduce connectivity in the sea. Ecology Letters. v. 13, p. 128-140. 2010.

NEI, M. Estimation of average heterozygosity and genetic distance from a small number of individuals. Genetics, Bethesda, v.89, p.583-590. 1978.

OSTINI, S.; OLIVEIRA, I. R.; SERRALHEIRO, P. C. S.; SANCHES, E. G. Criação do robalo-peva (Centropomus parallelus) submetido a diferentes densidades de estocagem. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v.8, n.3, p. 250-257, jul/set. 2007.

POWELL W., MORGANTE M., ANDRÉ C., HANAFEY M., J. VOGEL, TINGEY S., RAFALSKI A. A comparação de marcadores RFLP, RAPD, AFLP e SSR (microssatélites) para análise de germoplasma. Molecular Procriar, v.2. p. 225–238. 1996.

PRODOCIMO, V., TSCHA, M. K., PIE, M. R., OLIVEIRA-NETO, I. F., OSTRENSKY, A.; BOEGER, W.A. Lack of genetic differentiation in the fat snook Centropomus parallelus (Teleostei: Centropomidae) along the Brazilian coast. Journal of Fish Biology, v.73, p.2075–2082. 2008.

RABELO, L.B.; MUTO, E.Y; SOARES, L.S.H. Observações preliminares sobre o hábito alimentar do robalo-flecha Centropomus undecimalis (BLOCH, 1792) e robalo-peba Centropomus parallelus

POEY, 1860, no estuário de Caravelas (Bahia, Brasil). Boletim Técnico Científico do CEPENE, Tamandaré - PE - v. 17, n. 1, p. 89-96. 2009.

SAMBROOCK, J. F.; RITSCH, E. F.; MANIATIS, T. Molecular Cloning. A laborato-ry manual. 2° ed., Cold Spring Harbor: Cold Spring Harbor Laboratory Press. 1989.

SÁNCHEZ, C. F. B. (2008). Diversidade entre e dentro de populações simuladas sob deriva genética. 2008. 95 f. Dissertação (Genética e Melhoramento) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa – Minas Gerais.

SOLÉ-CAVA, A.M. Biodiversidade Molecular e Genética da Conservação. IN: MATIOLI, S.R. Biologia Molecular e Evolução, Ribeirão Preto. Holos Editora, 2001. P. 172-192.

SORIA, G.; MUNGUÍA-VEJA, A.; MARINONE, S.G.; MORENO-BÁEZM.; MARTÍNEZ-TOVAR, I.; CUDNEY-BUENO, R.(2012). Linking bio-oceanography and population genetics to assess larval connectivity. MARINE ECOLOGY PROGRESS SERIES Mar EcolProg Ser. Vol. 463: 159–175 doi: 10.3354/meps09866

TAMURA, K.; STECHER, G.; PETERSON, D.; FILIPSKI, A.; KUMAR, S. MEGA. Molecular evolutionary genetics analysis version 6.06. Molecular Biology and Evolution, v. 30, p. 2725-2729. 2013.

TAYLOR, R.G.; WHITTINGTON, J.A.; GRIER, H.J. & CRABTREE, R.E. Age, growth, maturation, and protandric sex reversal in the common snook, Centropomus undecimalis, from south Florida waters. Fish Bull., v.98, n.3, p. 612-624. 2000.

TONINI, W. C. T.; BRAGA, L. G. T.; VILA NOVA, D. L. D. Dieta de Juvenis do robalo Centropomus parallelus POEY, 1860 no sul da Bahia, Brasil. Boletim do Instituto de Pesca, São Paulo, v.33, n.1, p.85 – 91. 2007.

TRINGALI M.D., BERT T.M., SEYOUM S., BERMINHAM E., BARTOLACCI D., Molecular phylogenetics and ecological diversifi cation of the transisthmian fish genus Centropomus (Perciformes: Centropomidae). Mol. Phylogenet Evol., v.13, p.193–207. 1999.

TRINGALI, M. D.; BERT T. M. The genetic stock structure of common snook (Centropomus undecimalis). Can J Fish Aquat Sci., v.53, p.924–984. 1996.

TUCKER, J. W. Jr.; CAMPBELL, S. W. Spawning season of common snook along the east central Florida coast. Florida Scientist, v. 51. n.1, p.1-6. 1988.

WARD, R. D. Genetics in fisheries management. Hydrobiologia, v.420, p. 191-201. 2000.

WRIGHT, S. Evolution and genetics of population. Chicago: University of Chicago Press, 1978. 580p.

XIMENES-CARVALHO, M. O.; FONTELES-FILHO, A. A.; PAIVA, M. P. Idade e Crescimento do Robalo Flecha, Centropomus undecimalis (bloch, 1792) e Robalo-Peva, Centropomus parallelus (poey, 1860) (osteichthyes: centropomidae), no Sudeste do Brasil. Arquivos de Ciências do Mar, Fortaleza, v.40, n.1, p. 78 - 88. 2007.

YEH, F. C.; YANG, R.; BOYLE, T. POPGENE version 1.32: Microsoft Window-based freeware for population genetics analysis. Edmonton: University of Alberta, 1999.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-128

Apontamentos

  • Não há apontamentos.