Sondagens elétricas verticais aplicadas à interpretação de horizontes pedológicos de uma vertente em Campo Verde, MT / Sondagens elétricas verticais aplicadas à interpretação de horizontes pedológicos de uma vertente em Campo Verde, MT

Carlos Antonio Moraes Machado, Shozo Shiraiwa, Fernando Ximenes de Tavares Salomão, Erika Pereira Machado

Resumo


Foi utilizado o método da Eletrorresistividade com a técnica da Sondagem Elétrica Vertical – SEV - para determinar a espessura das camadas e as respectivas resistividades elétricas do solo e do substrato rochoso ao longo de uma vertente na microbacia do córrego da Ilha, no município de Campo Verde, MT. As rochas mapeadas são da Formação Cachoeirinha e cobertas por latossolos. Os modelos gerados indicam camadas com espessuras e respectivas resistividades elétricas que foram interpretadas comparando-se com as observações de trincheiras e sondagens a trado efetuadas ao longo da vertente. Por meio das variações de resistividade elétrica obtidas nas camadas das SEVs, foi possível distinguir uma camada de solo com espessura média de 4,7m com presença do aquífero freático nos níveis inferiores. Abaixo, encontra-se o substrato rochoso associado à Formação Cachoeirinha, atingindo a profundidade entre 26m e 35m. A seguir, uma zona saturada com a provável presença do aquífero na Formação Cambambe.


Palavras-chave


eletrorresistividade, água subterrânea, solos.

Texto completo:

PDF

Referências


BOBACHEV, A. A; MODIN, I. N; PERVAGO, E. V; SHEVIN, V.A; IPW2Win– Programs’ set

for 1D SEV data interpretation. Moscou State University -Geological Faculty– Departament of Geophysics 1999. acesso em: 13/02/2005.

GONÇALVES, K. C. O. Estudo morfopedológico aplicado à interpretação do funcionamento hídrico de vertente em micro-bacia representativa da Chapada dos Guimarães, no município de Primavera do Leste (MT), Cuiabá. Monografia de Conclusão de Curso de Geologia. Universidade Federal de Mato Grosso. 104p. 2003.

DORES, E. F. G. C.; WEBER, O. L. S.; VECCHIATO, A. B.; SHIRAIWA, S.; SALOMÃO, F. X.; CUTRIM, A. O.; GUIMARÃES, S. C.; PINTO, A. A.; PEREIRA, M. J. Estudo da contaminação

de biocidas no ambiente e seu monitoramento em águas superficiais, subterrâneas e pluviais em regiões cotonícolas do Estado de Mato Grosso, 2ª fase. Relatório técnico FACUAL, 2005. 112 p.

LACERDA FILHO, J. V, ABREU FILHO, W., VALENTE, C.R., OLIVEIRA, C.C, ALBUQUERQUE, M.C., Geologia e Recursos Minerais do Estado de Mato Grosso-Programa Integração, Atualização e difusão de dados da geologia do Brasil, subprograma mapas geológicos estadual- Esc. 1:1000.000. Goiânia: CPRM, 2004 (Convênio CPRM / SICME).200p. il.; +mapas.

ORELLANA, E. Prospeccion geoelétrica en corrente continua. Paraninfo. Madrid. 523 p. 1972.

PEREIRA, M. J. Geofísica aplicada para caracterização de cobertura pedológica de uma vertente na região de Dom Aquino – MT. Dissertação (Mestrado), 85p. Universidade Federal de Mato Grosso. Instituto de Ciências Exatas e da Terra. 2005.

ROY, A; APPARAO, A. Depth of investigartion in direct current methods. Geophysics, Vol 36(5), 943-959, 1971.

SEPLAN. Zoneamento Sócio Econômico Ecológico de Mato Grosso. Secretaria de Planejamento do Governo do Estado de Mato Grosso, 2002. acesso: 05/12/2007.

WESKA, R. K. Uma síntese do cretáceo superior mato-grossense. Revista Geociências, v. 25, n. 1, p. 71-81, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-119

Apontamentos

  • Não há apontamentos.