Mapeamento da Cobertura Arbóreo-Arbustiva do Município de Santos, SP, Brasil / Mapping tree and shrub coverage in the city of Santos, SP, Brazil

Isabela Miyahira Morita, Denis Moledo de Souza Abessa, Ágata Ferrnandes Romero

Resumo


A arborização urbana é um indicador da qualidade ambiental das cidades, sua presença traz benefícios ecológicos, sociais e estéticos que aumentam o bem-estar da população. As metrópoles brasileiras, que se desenvolveram sem estratégias de planejamento, geraram ambientes urbanos deficientes em infraestrutura associados à baixa qualidade de vida fornecida aos seus habitantes. Neste sentido cresceram os estudos referentes à qualidade ambiental dos centros urbanos e os fatores capazes de afetar o bem-estar de seus moradores. Este trabalho teve como objetivo realizar o mapeamento da cobertura vegetal de porte arbóreo-arbustivo do município de Santos (SP) com o uso do geoprocessamento.  Através de imagens aéreas georreferenciadas foram identificados e digitalizados os polígonos referentes às manchas arborizadas. Os dados obtidos foram analisados dentro dos limites de abairramento e, com ferramentas do software de geoprocessamento, foram calculadas as áreas de cada bairro e sua respectiva ocupação por cobertura arbóreo-arbustiva. Por fim, com base nos dados gerados, foi quantificada uma média de 7,9% de ocupação por cobertura arbóreo-arbustiva no município, que variou de 56,8% a 0,5%. Concluiu-se que a geotecnologia foi uma ferramenta eficiente para a classificação da cobertura vegetal do município que apontou níveis insuficientes de cobertura arbóreo-arbustiva para a manutenção da qualidade de vida da população, os resultados obtidos podem auxiliar futuros planos de arborização urbana.


Palavras-chave


cobertura vegetal, qualidade de vida, planejamento ambiental, Sistema de Informação Geográfica.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, C. M. A Paisagem da Baixada Santista: urbanização, transformação e conservação. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: FAPESP, 2006.

AMATO-LOURENÇO, L. F.; MOREIRA, T. C. L.; ARANTES, B. L., SILVA-FILHO, D. F.; MAUAD, T. Metrópoles, cobertura vegetal, áreas verdes e saúde. Estudos Avançados, v. 30, n. 86, p. 113-130, 2016.https://doi.org/10.1590/S0103-40142016.00100008

ARANTES, B.L. Arborização urbana e qualidade do ar na cidade de São Paulo.87p. Thesis presented to obtain a master’s degree in Forest Resources, in Universidade de São Paulo. Piracicaba. 2017.

ARANTES, B. L..; MAUAD, T.; SILVA-FILHO, D.F. Urban forests, air quality and health: a systematic review. International Forestry Review, v. 21, n. 21, p. 167-181, 2019.

ATTWELL, K. Urban land resources and urban planting – case studies from Denmark. Landscape and Urban Planning 52. 2000. 145-163. Disponível em: Acesso em: 20.08.2012.

BERTACCHI, M. L.; FARIA, J. R. G. Ilhas de calor na cidade de Bauru (SP): as diferenças de temperatura e a configuração do solo local. In.: Encontro Nacional de Conforto no Ambiente Construído, VIII; Encontro Latino-Americano sobre Conforto no Ambiente Construído, IV. 2005. Maceió. Anais... Maceió: ANTAC, 2005. p. 646-652.

BOLUND, P.; HUNHAMMAR, S. Ecossystem services in urban áreas. Ecological Economics 29 (1999) 293-301. Landscape and Urban Planning 63 (2003) 1-14.

CÂNDIDO JÚNIOR, J. F. Alterações ambientais antrópicas sobre a avifauna na Amazônia: o caso de Rondônia. In: ALBUQUERQUE, J. L. B et al. Ornitologia e Conservação: da ciência às estratégias. Tubarão: Editora Unisul, 2001. P. 159-160.

CAVALHEIRO, F.; NUCCI, J.C; GUZZO, P.; ROCHA, Y.T. Proposição de terminologia para o verde urbano. Boletim Informativo da SBAU (Sociedade Brasileira de Arborização Urbana), ano VII, n. 3 - Jul/ago/set de 1999, Rio de Janeiro, p. 7. 2007.

FERRARI JÚNIOR, R. Viagem ao SIG: planejamento estratégico, viabilização, implantação e gerenciamento de sistemas de informação geográfica. Curitiba: Sagres, 1997, 178p.

GOMES, M. A. S. As praças de Ribeirão Preto-SP: uma contribuição geográfica ao planejamento e à gestão dos espaços públicos. 204 f. 2005. Dissertação (Mestrado em Geografia) Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2005.

GOMES, M. A. S.; SOARES, B. R. A vegetação nos centros urbanos: considerações sobre os espaços verdes em cidade médias brasileiras. Estudos Geográficos, Rio Claro, 1(1): 19-29, Junho, 2003 (ISSN 1678—698X) disponível em: www.rc.unesp.br/igce/grad/geografia/revista.htm. Acesso em: 12 set. 2012.

IBGE, (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sp/santos.html. Acesso em: 21jul. 2020.

JAKOB, A. A. E. A dinâmica intra-urbana do Município de Santos vista sob o prisma dos Censos Demográficos de 1991 e 2000. R. bras. Est. Pop., Campinas, v. 21, n. 1, p. 117-136, jan./jun. 2004. Disponível em:. Acesso em: 15 set. 2012.

JUNG, M. ONG acusa empresa de não descontaminar Lixão da Alemoa. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2012.

KUCHPIL, E. Cidade Vertical – morfologia, densidade e qualidade de vida urbana. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

KURIHARA, D. L.; ENCINAS, J. I. Análise da arborização do Campus da Universidade de Brasília através de imagens Ikonos. Brasil Florestal, NOTA TÉCNICA, nº 78, 2003.

LIMA NETO, E. M de; BIONDI, D; ARAKI, H. Aplicação do SIG na arborização viária – unidade amostral em Curitiba - PR. In: III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação. Anais... Recife/PE, 2010.

LOMBARDO, M. A. Ilha de calor nas metrópoles - O exemplo de São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1985, 244p.

LOMBARDO, M. A.; LEITE, D. A. N. O; MOURA, S. Mapeamento de áreas verdes urbanas: o exemplo da cidade de Rio Claro - SP. In: Congresso Brasileiro de Cartografia, 21, 2003, Belo Horionte. Anais... Rio Claro: 2003.

MILANO, M. S. Arborização urbana no Brasil: mitos e realidade. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ARBORIZAÇÂO URBANA, 3., Salvador, 1996. Anais. Salvador, 1996, p.1-6.

MILANO, M. S.; DALCIN, E. C. Arborização de vias públicas. Rio de Janeiro, RJ: Light, 2000. 131p

MILLER, R.W. Urban Forestry: planning and managing urban greenspaces. New Jersey: Prentice-Hall, 1997, 502p.

NOWAK, D. J; ROWNTREE, R. A.; MCPHERSON, E. G; SISINNI, S. M.; KERKMANN, E. R.; STEVENS, J. C. Measuring and analyzing urban tree cover. Landscape and Urban Planning, v.36, p. 49-57, 1996.

NUCCI, J. C. Qualidade Ambiental e Adensamento Urbano: um Estudo de Ecologia e Planejamento da Paisagem aplicado ao distrito de Santa Cecília (MSP). São Paulo, Humanitas/FFLCH/USP, 2001.

NUCCI, João Carlos. Qualidade Ambiental e Adensamento Urbano. Curitiba, 2008. 2 ed. Edição do Autor. Disponível em: www.geografia.ufpr.br/laboratorios/labs

PIVELLI, S. R. P. O potencial das aves como espécies bioindicadoras em Santos-SP: possibilidades na gestão integrada do município. 2009. 139p. Monografia (Pós-graduação “Lato Sensu” em Gestão Ambiental) – Universidade Estadual Paulista. São Vicente. 2009.

SANTANA, A. M. S.; LOMBARDO, M. A. O desenho urbano e a climatologia em Fortaleza. In.: Encontro Nacional de Conforto no Ambiente Construído, IV, 1997. Salvador. Anais... Salvador: ENCAC, 1997. p. 143-148.

SANTOS (Cidade). Lei Complementar nº 731 de 11 de julho de 2011. Institui o Plano Diretor de Desenvolvimento e Expansão Urbana do Município de Santos. Diário Oficial de Santos, Santos, 12 de julho de 2011.

SANTOS (Cidade). Diário Oficial do Município de Santos, Santos, 19 de dezembro de 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-116

Apontamentos

  • Não há apontamentos.