Modelagem matemática da secagem de resíduo de acerola em forno de micro-ondas / Mathematical modeling of acerola residence in microwave

Ana Paula Moisés de Sousa, Ana Regina Nascimento Campos, Antonio Daniel Buriti de Macedo, Danilo Lima Dantas, Aline Priscila de França Silva, Jaciara Dantas Costa, Renato Alexandre Costa de Santana

Resumo


A acerola (Malpighia emarginata D. C.) é uma fruta amplamente cultivada no nordeste brasileiro, bastante apreciada por sua polpa ácida, sendo a parte mais aproveitada na forma in natura ou processada. Assim, há uma produção significativa de resíduos que não são explorados e, portanto, é de interesse científico e tecnológico o desenvolvimento de estratégias para agregar valor econômico a esses resíduos. A secagem por forno de micro-ondas (FMO) tem sido estudada ao longo dos últimos anos e tem se mostrado uma tecnologia promissora. A cinética de secagem em FMO e o ajuste de modelos matemáticos já foram estudados para diversos produtos agrícolas, no entanto, poucos estudos exploraram a acerola e seu resíduo. Desta forma, a obtenção de um modelo matemático que represente satisfatoriamente os dados experimentais, é de suma importância para minimizar as alterações promovidas pela secagem em FMO, obtendo-se, produtos de qualidade. Portanto, objetivou-se com o presente trabalho, descrever a cinética de secagem do resíduo de acerola em FMO, e ajustar diferentes modelos matemáticos aos dados experimentais. As equações de Newton, Page, Henderson e Pabis, Logarítimo e Midilli foram ajustadas aos dados experimentais e avaliadas segundo o coeficiente de determinação (R2) e o desvio quadrático médio (DQM). Os modelos propostos se ajustaram bem aos dados experimentais, porém o melhor foi o de Midilli, por apresentar maior R² e menor DQM, indicando que este modelo representa satisfatoriamente o fenômeno de secagem de resíduo de acerola em FMO. O processo de desidratação em FMO tanto reduziu o tempo de secagem quando comparado a outros métodos convencionais, como também reduziu o teor de água final  apresentado pelo  resíduo. Portanto, o estudo da cinética de secagem e o ajuste de modelos matemáticos podem ser aplicados para o resíduo de acerola, contribuindo para a otimização do processo em FMO.


Palavras-chave


Acerola, resíduo, cinética de secagem, forno de micro-ondas, modelos matemáticos

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA – ANVISA. Resolução da Diretoria Colegiada - RDC nº 272, de 22 de setembro de 2005. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para produtos de vegetais, produtos de frutas e cogumelos comestíveis. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 set. 2005.

ALVES, J. A.; VALÉRIO, E.; VILAS, D. B.; MONTEIRO, B.; BOAS, V.; SOUZA, É. C. Qualidade de produto minimamente processado à base de abóbora, cenoura, chuchu e mandioquinha-salsa. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 30, n. 3, p. 625-634, 2010.

ANDREOLA, K.; COSTA, R. G.; MARSAIOLI JÚNIOR, A.; TARANTO, O. P. Secagem de cubos de cenoura assistida por micro-ondas e análise da influência das condições operacionais no encolhimento. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS PARTICULADOS, 36., 2013, Maceió. Anais... Maceió, 2013.

ARAÚJO, I. M. C. Caracterização bioativa de resíduos de frutas tropicais. 2017. 45f. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

ARAÚJO, C. S.; MACEDO, L. L.; VIMERCATI, W. C. SARAIVA, S. H.; OLIVEIRA, A. N. TEIXEIRA, L. J. Q. Cinética de secagem de acerola em leito de espuma e ajuste de modelos matemáticos. Brazilian Journal of Food Technology, v. 20, e2016152, 2017.

BRAGA, A. C. D.; LIMA, M. S.; AZEVEDO, L. C.; RAMOS, M. E. C. Caracterização e obtenção de farinha do resíduo gerado no processo industrial de clarificação do suco de acerola. Revista Semiárido de Visu, v. 1, n. 2, p.126-133, 2011.

COSTA, J. D.; MACEDO, A. D. B.; SOUSA, A. P. M.; CAMPOS, A. R. N. Cinética de secagem em forno de micro-ondas da vagem de algaroba (prosopis juliflora). In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISA E ENSINO EM CIÊNCIAS, 1., 2016, Campina Grande. Anais... I Campina Grande, 2016.

FREITAS, C. A. S.; MAIA, G. A.; COSTA, J. M. C.; FIGUEIREDO, R. W.; SOUSA, P. H. M. Acerola: produção, composição, aspectos nutricionais e produtos. Revista Brasileira de Agrociência, v. 12, n. 4, p. 395-400, 2006.

HENDERSON, S. M.; PABIS, S. Grain drying theory I: temperature effect on drying coefficient. Journal of Agricultural Research Engineering, v. 12, p. 732-736, 1962.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ (IAL). Métodos Físico-Químicos para Análise de Alimentos. 4ª Ed., 1ª Ed. digital, São Paulo, 2008.

KADAM, D. M.; BALASUBRAMANIAN, S. Foam mat drying of tomato juice. Journal of Food Processing and Preservation, v. 35, n. 4, p. 488-495, 2011.

MATA, A. L. M. L.; COSTA, S. E. D.; CAPISTRANO, D. P. MORAES FILHO, F. C. Cinética da secagem do feijão verde (Vigna unguiculata L. Walp) em micro-ondas com e sem pré-tratamento osmótico. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA QUÍMICA, 20., 2014, Florianópolis. Anais... Florianópolis, 2014.

MENDONÇA, A. P.; SAMPAIO, P. T. B.; ALMEIDA, F. A. C.; FERREIRA, R. F.; NOVAIS, J. M. Determinação das curvas de secagem das sementes de andiroba em secador solar. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.19, n.4, p.382–387, 2015.

MEZIANE, S. Drying kinetics of olive pomace in a fluidized bed dryer. Energy Conversion and Management, v. 52, n. 3, p. 1644-1649, 2011.

MIDILLI, A.; KUCUK, H.; YAPAR, Z. A. New model for single-layer drying. Drying Technology, v. 20, p. 1503-1513, 2002.

MOURA, B. D. Estudo da dinâmica de secagem em um secador rotatório com alimentação intermitente. 2016. 100f. Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

O’CALLAGHAN, J. R.; MENZIES, D. J.; BAILEY, P. H. Digital simulation of agricultural dryer performance. Journal of Agricultural Engineering Research, v. 16, n. 3, p. 223-244. 1971.

PAGE, G. E. Factors influencing the maximum rates of air drying shelled corn in thin layers. 1949. Dissertação de Mestrado, Purdue University, West Lafayette, 1949.

ROSA, J. G. Secagem de cenoura (Daucus carota L.) em micro-ondas. 2010. 78f. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de São Carlos, 2010.

RIBEIRO, R. C. Tomates semi desidratados obtidos por secagem micro-ondas convectiva precedida por desidratação osmótica. 2013. 87f. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Lavras, 2013.

SANTOS, A. E.; MARTINS, G. M. V.; CANUTO, M. F. C. S.; SEGUNDO, J. V.; ALMEIDA, R. D. Modelagem matemática para a descrição da cinética de secagem do fruto da palma (Opuntia fícus indica). Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 11, n. 1, p. 01-06, 2016.

SEGTOWICK, E. C. S.; BRUNELLI, L. T.; VENTURINI FILHO, W. G. Avaliação físico-química e sensorial de fermentado de acerola. Brazilian Journal of Food Technology, v. 16, n. 2, p. 147-154, 2013.

SOUSA, K. A.; RESENDE, O.; CHAVES, T. H.; COSTA, L. M. The drying kinetics of forage turnips (Raphanus sativus L.). Revista Ciência Agronômica, v. 42, n. 4, p. 883-892, 2011.

SOUSA, A. P. M.; MACEDO, A. D. B.; SILVA, A. P. F.; COSTA, J. D.; DANTAS, D. L.; SANTANA, R. A. C.; CAMPOS, A. R. N. Processamento de farináceo a partir da casca de jaca submetida à secagem em forno de micro-ondas. In: JORNADA DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO DA UFRPE, 16., 2016, Recife. Anais... Recife, 2016.

TELÖKEN, F. T. Análise da viabilidade tecnológica da desidratação de maçã em aparelho de micro-ondas doméstico. 2016. 78f. Trabalho de conclusão de curso, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 2016.

YAGCIOGLU, A.; DEGIRMENCIOGLU, A.; CAGATY, F. Drying characteristics of laurel leaves under different condition. In: BAS CETINCELIK A, (ed.) Procedings of the seventh internationalcongress on agricultural mechanization and energy, Adana, 1999.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-095

Apontamentos

  • Não há apontamentos.