Produção e caracterização de diferentes produtos obtidos a partir de silagem ácida de resíduos de tilápia nilótica, salmão do atlântico e camarão sete barbas / Production and characterization of different products obtained from acid silage of nilotic tilapia, atlantic salmon and shrimp seven barbas waste

Thaís da Silva Oliveira, Petr Zahotei Neto, Dariane Beatriz Schoffen Enke

Resumo


Os resíduos de processamento de pescado vêm sendo considerados uma fonte proteica de alto valor biológico, como ingrediente substituto na alimentação de peixes, na forma de silagem. Diante disso, o presente trabalho teve como objetivo produzir e caracterizar diferentes produtos obtidos a partir de silagem ácida de pescado utilizando como matéria prima resíduos do beneficiamento de tilápia nilótica (Oreochromis niloticus), salmão do Atlântico (Salmo salar) e camarão Sete Barbas (Xiphopenaeus kroyeri) da região do Vale do Ribeira/SP. O processo de ensilado teve duração de 14 dias, com acompanhamento do grau de hidrólise. Os resíduos foram moídos e separados em três baldes para cada espécie, adicionou-se ácido acético comercial em proporção de 10% volume/peso. Foi avaliada a composição proximal das matérias primas, e ao final do período as silagens passaram por um processo de separação por peneiras para obtenção de diferentes frações, denominadas inicialmente como fração líquida, fração mineral e fração proteica, avaliou-se a composição proximal destas frações separadamente. A média da temperatura ambiente foi 27°C e a média dos pHs para os ensilados de tilápia, salmão e camarão foram, 4,01±0,06; 3,98±0,06 e 4,52±0,11, respectivamente. O grau de hidrólise proteico foi de 2,07±0,04%, para tilápia, 2,15±0,05%, para salmão e 0,67±0,04%, para camarão. A partir dos resultados obtidos para composição proximal das frações, pode-se observar a produção de produtos diferentes. Para a tilápia não foi possível obter as frações, devido a emulsificação, contudo, observou-se um potencial ingrediente proteico para alimentação de peixes, devido ao alto teor de proteína (48,28±1,64%) e baixo de matéria mineral (14,74±0,91%). Para as frações obtidas para o camarão (líquida e mineral), observou-se que seus usos como ingredientes proteicos são limitados devido ao alto de teor de matéria mineral (43,37±2,20% para líquida e 34,71±2,92% para mineral). A silagem de salmão permitiu a obtenção das três frações (líquida, mineral e proteica), a partir disso, foi obtido dois ingredientes proteicos (fração mineral e proteica), e pode-se afirmar também, que foi obtido um ingrediente energético, o óleo de salmão, devido seu alto teor de extrato etéreo (96,29±0,40%) e energia bruta (9345,91±153,45kcal/kg), num total de 98,98±0,10%de matéria seca, sendo este muito utilizado pelas fábricas de rações, e um dos ingredientes energéticos mais caros. Portanto, a utilização da silagem como ingrediente nas formulações de dietas aquícolas é um grande atrativo quando se pensa na substituição da farinha de pescado, ainda mais, conseguindo obter o óleo de salmão. Apresentando vantagem em relação aos processos tradicionais de obtenção de farinha e óleo de pescado, principalmente devido ao baixo custo de produção da silagem.


Palavras-chave


Aproveitamento Hidrólise, Farinha de peixe, Ingredientes substitutos, Alimentação animal.

Texto completo:

PDF

Referências


AOAC. Official methods of analysis. Association of Official Analytical Chemists International. °16th ed. 5th. Revision.Washinton, DC. 1999.

ARRUDA, L. F.; MARTINS, P. E.; SILVA, A. F.; MORAES, J. E. R.; VAZ-PIRES, P.; OZORIO, R. O. D.; OETTERER, M. The fishery sector in Portugal – report study. Boletim do Instituto de Pesca, v. 37, n. 2, p. 199-207, 2011.

BENITES, C. I; SOUZA-SOARES, L.A. Farinhas de silagem de resíduo de pescado co-secascom farelo de arroz: uma alternativa viável. Córdoba: Archivos de Zootecnia. v. 59, n. 227, p. 447-450, 2010.

BERENZ, Z. Utilización del ensilado de residuos de pescado en pollos. 1994, 11p.

BLIGH, E. G.; DYER, W. J. Arapid method of total lipid extraction and purification. Canadian Journalof Biochemistry and Physiology, v. 37, p. 911-917, 1959. doi: 10.1139/o59-099.

BORGHESI, R.; FERRAZ DE ARRUDA, L.; OETTERER, M. A silagem na alimentação de organismos aquáticos. Curitiba: Boletim CEPPA, v. 25, n. 2, 2007.

BOSCOLO, W. R.; HAYASHI, C.; FEIDEN, A.; MEURER, F.; SIGNOR, A. A. Composição química e digestibilidade aparente da energia e nutrientes da farinha de resíduos da indústria de filetagem de tilápias, para a tilápiado nilo (Oreochromis niloticus). Santa Maria: Ciência Rural Online, 2008. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/cr/v38n9/a27v38n9.pdf. Acesso em 30 de agosto de 2018.

DUARTE, F. O. S. Caracterização da carne da tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) submetida a dietas suplementadas com óleo de peixe. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Goiás, programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Goiânia, 2017.

ENKE, D. B. S.; LOPES, P. S.; KICH, H. A.; BRITTO, A. P.; SOQUETTA, M.; POUEY, J. L. O. F. Utilização de farinha de silagem de pescado em dietas para o jundiá na fase juvenil. Santa Maria: Ciência Rural, v. 39, n. 3, p. 871-877, 2008.

FAMINO, A. O.; ODUGUWA, O. O.; ONIFADE, A. O.; OLUTUNDE, T. O. Proteinqualityofshrimp-wastemeal. Bioresource Technology, v. 72, p. 185-188, 2000. doi: 10.1016/S0960-8524(99)00108-X

GUIMARÃES, I. G.; MIRANDA, E. C.; MARTINS, G. P.; LOURO, R. V.; MIRANDA, C. C. Farinha de camarão em dietas para tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). Revista Brasileira de Saúde de Produção Animal, v. 9, n. 1, p. 140-149, 2008.

HAARD, N. F.; KARIEL, N.; HERZBERG, G.; FELTHAM, L. A. W.; WINTER, K. Stabilisation of protein and oil in fish silage for use as a ruminant feed supplement. Journal of the Science of Food and Agriculture, v. 36, n. 4, p. 229-241, 1985. doi: 10.1002/jsfa.2740360402.

LEITE, S. B. P.; SUCASAS, L. F. A.; OETTERER, M. Resíduos da comercialização de pescado marinho – volume de descarte e aspectos microbiológicos. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, v. 10, n. 1, p. 2112-2125, 2016. doi: 10.3895/rbta.v10n1.2692.

MAIA JUNIOR, W, M.; SALES, R. O. Propriedades funcionais da obtenção da silagem ácida e biológica de resíduos de pescado. Uma revisão. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 7, n. 2, p. 126-156, 2013. doi: 10.5935/1981-2965.20130014.

MORALES-ULLOA, D. F.; OETTERER, M. Composição em aminoácidos de silagens químicas, biológicas e enzimáticas preparadas com resíduos de sardinha. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 17, n. 3, p.252-258, 1997.

NUNES, J. A. R. Estudo Preliminar do Aproveitamento de Resíduos e Descarte da Industrialização de Pescado a Partir de Silagem Ácida. Dissertação (Mestrado) – Fundação Universidade Federal do Rio Grande, programa de Pós-graduação em Engenharia de Alimentos. Rio Grande. 121p. 2001.

OETTERER, M. Produção de silagem a partir da biomassa residual de pescado. Alimentos e Nutrição, v. 5, p. 119–134, 1994

OETTERER, M. Industrialização do pescado cultivado. Guaíba: Agropecuária, 2002.

PIRES, D.R.; MORAIS, A.C.N.; COSTA, J.F.; GÓES, L.C.D.S.A. Aproveitamento do resíduo comestível do pescado: Aplicação e viabilidade. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 9, n. 5, p. 34 – 46, 2014.

RISTIC, M. D., FILIPOVIC, S. S., SAKAC, M. L. J. Liquid protein feedstuffs from freshwater fish by-products as a component of animal feed. Romanian Biotechnological Letters, v. 7, n. 3, p.729-736, 2002.

SEIBEL N. F.; SOUZA-SOARES L. A. Produção de silagem química com resíduos de pescado marinho. Brazilian Journal of Food Technology, v. 6, n. 2, p. 333-337,2003.

SOUZA, J. M. L.; SALES, R. O.; AZEVEDO, A. R. Avaliação do ganho de biomassa de alevinos de tilápia (Oreochromis niloticus) alimentados com silagem biológica de resíduos de pescado. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 3, n. 1, p. 1-14, 2016. doi:10.5935/1981-2965.20090001.

VIDOTTI, R. M. Produção e utilização de silagens de peixe na nutrição do pacu (Piaractus mesopotamicus). Tese (Doutorado) – Centro de Aquicultura, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, programa de Pós-Graduação em Aquicultura. Jaboticabal, 65p, 2001.

VIDOTTI, R. M., VIEGAS, E. M. M., CARNEIRO, D. J. Amino acid composition of processed fish silage using different raw materials. Animal Feed Science and Technology, v. 105, p. 199-204, 2003. doi: 10.1016/S0377-8401(03)00056-7.

VIDOTTI, R. M.; GONÇALVES, G. S. Produção e caracterização de silagem, farinha e óleo de tilápia e sua utilização na alimentação animal. Instituto de Pesca, 2006. Disponível em www.pesca.sp.gov.br

WHELAN J, RUST C. Innovative dietary sources of n-3 fatty acids. Annual Review of Nutrition, v. 26, p. 75-103, 20




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-049

Apontamentos

  • Não há apontamentos.