Resíduo de efluente de frigorífico bovino como fertilizante alternativo para a produção de girassol / Waste effluent bovine fridge as alternative for fertilizer production of sunflower

Bruna Amorim Gusmão, Joseane Oliveira da Silva, Samara Teixeira Pereira, Adenilde Souza dos Passos, Felizardo Adenilson Rocha, Sara Moreno Pereira Lacerda

Resumo


A busca por alternativas para utilização de dejetos provindo de abatedouros é relevante, já que permitiria o uso dos nutrientes contidos na matéria orgânica e possibilitaria a reciclagem de um produto que seria descartado ou que iria poluir fontes hídricas (MATOS et al., 2005). O objetivo do trabalho é avaliar o efeito de diferentes doses de resíduo produzido em lagoa de tratamento de efluentes gerados com o abate de bovinos sobre o crescimento do girassol. O solo utilizado foi o Latossolo Vermelho Amarelo distrófico. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com doses crescentes do resíduo de efluente de frigorífico bovino, constituindo os seguintes tratamentos, com quatro repetições em vasos contendo 3 kg de solo: T1= 0 Mg ha-1; T2= 2 Mg ha-1; T3= 4 Mg ha-1; T4= 8 Mg ha-1; T5= 16 Mg ha-1. Noventa dias após o transplante - DAT foi analisada a produção de biomassa fresca e seca da planta. De acordo com os resultados observou-se que os tratamentos que continham 4 e 8Mg ha-1, foram os melhores em termos de produção de biomassa e, a utilização do composto orgânico favoreceu aumento no teor de matéria orgânica no solo. 


Palavras-chave


resíduos, matéria orgânica, nutrientes.

Texto completo:

PDF

Referências


APHA – American Public Health Association. Standard methods for the examination of water and wastewater. 19.ed. Washington: APHA, AWWA, WPCR, 1997. 1134p.

EMPRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Manual de Métodos Empregados em Estudos de Microbiologia de Solos. Brasília, 1997.

FAGUNDES, J. D.; SANTIAGO, G.; MELLO, A. M.; BELLÉ, R. A. & STRECK, N. A. Crescimento, desenvolvimento e retardamento da senescência foliar em girassol de vaso (Helianthusannuus L.): fontes e doses de nitrogênio. Ciência Rural, Santa Maria, v. 37, n. 4. p. 987 – 993, 2007.

FERREIRA, I. V. L.; WIECHETECK, G.; DELUQUI, K. K.; ADRIANI, M. S. Impactos ambientais de abatedouros e medidas mitigadoras. In: Anais do XXVIII Congresso Interamericano de Ingenieríasanitaria y ambiental. Cancún, México, 2002.

FREITAS, G. A.; SANTOS, L. B.; SIEBENEICHLER, S. C.; NASCIMENTO, I. R.; SILVA, R. R.; CAPONE, A. Resíduo de efluente de frigorífico bovino como fertilizante alternativo para a produção de rúcula. Pesquisa Aplicada &Agrotecnologia, v. 3, n. 2, p. 39 – 44, 2010.

GOMES, J. M. SAEG 5.0: Sistema de análises estatísticas e genéticas, SAEG. Imprensa Universitária, UFV, Viçosa, 100p, 1992.

LOBO, T. F.; GRASSI FILHO, H. Níveis de lodo de esgoto na produtividade do girassol. J. Soil. Sc. Plant Nutrition. v. 7. n. 3. p. 16 - 25, 2007.

MATOS, A. T. Curso sobre tratamento de resíduos agroindustriais. Fundação Estadual do Meio Ambiente. 2005. 34p.

SOMMERS, L. E. Chemical Composition of sewage sludge and analysis of their potential use as fertilizer. Jornal Evironmental Quality, v. 6, 225-232, 1977.

UNGARO, M. R. G.; NOGUEIRA, S. S. S.; NAGAI, V. Parâmetros fisiológicos, produção de aquênios e fitomassa de girassol em diferentes épocas de cultivo. Bragantia, Campinas, v. 59, n. 2. p.205 – 211, 2000.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-024

Apontamentos

  • Não há apontamentos.