Caracterização de quatro espécies florestais comercializadas nas serrarias de Itacoatiara – AM / Characterization of four forest species commercialized in the sawmills Itacoatiara – AM

Antônio Thiago Soares de Almeida, Josemar da Silva Xavier, Juliana Ferreira Calfas, Noeme da Costa Santos, Stefanny Diniz Tavares, Susane Almeida de Carvalho

Resumo


A pesquisa teve como objetivo realizar a identificação científica e analisar as propriedades físicas de resíduos madeireiros de quatro espécies comercializadas nas serrarias de Itacoatiara – AM. Foram confeccionados um corpo de prova para identificação anatômica e seis para os ensaios das propriedades físicas com dimensões de 2,0 x 2,0 x 5,0 cm. As espécies foram identificadas cientificamente em Cedrela odorata (Cedro), Pithecellobium racemosum (Angelim rajado), Endopleura uchi (Uxi-curuá) e Hymenaea courbaril (Jatobá). A madeira da espécie H. courbaril apresentou uma densidade pesada (0,78 g/cm³) diferindo-se das demais espécies. Os coeficientes anisotrópicos variam entre 1,04 e 1,83. As espécies C. odorata e P. racemosum apresentaram uma ótima estabilidade dimensional, enquanto que E. uchi e H. courbaril apresentaram desempenho normal. Todas as espécies estudadas dispõem de madeira de baixa propensão a defeitos ao longo do processo de secagem, podendo ser utilizadas principalmente para produção de mobiliário, construção civil e esquadrias.


Palavras-chave


Resíduos, Espécies tropicais, Propriedades físicas.

Texto completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR-7190: Projeto de Estruturas de Madeiras. São Paulo: 1997.

Almeida TH. Estudo da estabilidade dimensional de madeiras tropicais brasileiras [dissertação]. São Carlos: Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Materiais, Universidade de São Paulo, 2015.

Almeida VC. Avaliação do potencial de uso de resíduos de madeira tropical para produção de painéis colados lateralmente – EGP [tese]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2013.

Bezerra TG, Santos LE, Lima AOS, Gomes KMA, Moutinho V, Moraes GC. Propriedades físicas de resíduos de Hymenaea courbaril L. proveniente da Floresta Nacional do Tapajós. In: Anais do III Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia da Madeira. Universidade do Estado de Santa Catarina, 2017.

Botelho MN. Caracterização das propriedades físicas e mecânicas da madeira de Piptadenia gonoacantha (Mart.) J. F. Macbr [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2011.

Carvalho SA. Resíduos de espécies madeireiras de manejo florestal para produção de móveis [dissertação]. Manaus: Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais, Universidade Federal do Amazonas, 2018.

Comissão Panamericana de Normas Técnicas. COPANT-459: métodos de ensayos físicos y mecânicos. [S.l], 1972.

Fernandes NCL, Valle MLA, Calderon CMA. Características Físicas e Anatômicas de Cedrela odorata L. e Cedrelinga cateniformis Ducke. Floresta e Ambiente, 25(1): n.1, 2018.

IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. Catálogo de Madeiras Brasileiras para a Construção Civil. Publicação IPT, São Paulo, 2013.

Jankowsky IP; Galina, ICM. Secagem de madeira. Curso Técnico. Associação Nacional dos Produtores de Pisos de Madeira, 2013.

Melo JE, Coradin VTR, Mendes J. Classes de densidade para madeiras da Amazônia brasileira. In: Anais do VI Congresso Florestal Brasileiro. Campos do Jordão, São Paulo, 1990.

Moreschi JC. Propriedades da madeira. Setor de Ciências Agrárias. Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal. Universidade Federal do Paraná, 4° edição, 2014.

Santos T, Mota S, Souza H, Monteiro TC, Baraúna, EEP, Moraes C et al. Avaliação da densidade básica da madeira de três espécies nativas do cerrado do Estado de Tocantins. In: Anais do III Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia da Madeira. Universidade do Estado de Santa Catarina, 2017.

Silva LN. Correlações entre propriedades tecnológicas da madeira de cedro (Cedrela odorata L.) determinadas por metodologias destrutivas e não destrutivas [monografia]. Universidade de Brasília, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.