Influência do volume da recria na produção de geleia real e no peso inicial de larvas de Apis mellifera / Influence of recreation volume in the production of royal jelly and initial weight of larvae of Apis mellifera

Antonio Abreu da Silveira Neto, Luciene Xavier de Mesquita-Carvalho, Ivan de Oliveira Lima Junior, Francisco Robevanio Borges

Resumo


A geleia real de abelhas Apis mellifera se destaca por suas propriedades terapêuticas como: a inibição de células cancerígenas, fatores antioxidantes, arteriosclerose, combate à anemia. A quantidade de geleia real depositada nas realeiras aumentará o peso das larvas e consequentemente ajudará no desenvolvimento de estruturas reprodutivas da rainha. Estruturas reprodutivas maiores produzirão mais gametas, adiando o esgotamento e a substituição da rainha. A geleia real é produzida comercialmente em colmeias especiais chamadas de recrias. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi testar a influência do volume das recrias na produção de geleia real e peso inicial das larvas. O experimento foi conduzido no apiário do IFRN campus Pau dos Ferros – RN, nos meses de maio a agosto de 2014. O método para produção de geleia real utilizado foi o de Recrias sem rainhas ou Orfanadas, para comparar a influência do volume utilizou-se dois tipos de ninho: um Langstroth com dez quadros (aproximadamente 42 dm³) e um núcleo de fecundação com cinco quadros (aproximadamente 21 dm³). Para coleta da geleia real utilizou-se o método da colheita precoce, com a retirada das realeiras 48 horas após a transferência das larvas. As realeiras com larva e geleia real foram pesadas em balança de precisão (0,001g), depois retirava-se a larva e fazia-se uma nova pesagem, pela diferença de peso tinha-se o peso da larva, retirava-se a geleia real e repetia-se o procedimento e pela diferença obtinha-se a produção de geleia. A análise estatística mostrou que não houve diferença significativa (p > 0,05) entre a produção de geleia real e o peso inicial das larvas para as recria utilizadas. As médias e os desvios-padrões em gramas para produção de geleia real no ninho Langstroth e no núcleo de fecundação, foram respectivamente 0,1325±0,0522 e 0,1487±0,0613. Já para o peso das larvas em gramas foi 0,0304±0,0311 e 0,0279±0,0263, respectivamente para o ninho Langstroth e para o núcleo de fecundação. Observou-se que o volume da recria não influencia na produção de geleia real ou no peso inicial das larvas. Portanto, deve-se optar pelo método de manejo mais fácil e de menores custos que são as recrias em núcleos de fecundação.


Palavras-chave


Rainha, Método Orfanado, Colheita Precoce.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBARRACÍN, V. N. et al. O. Aceitação de larvas de diferentes grupos genéticos de Apis mellifera na produção de abelhas rainhas. ArchivoLatinoamericano de Produção Animal, v. 14, n. 2, p.33 – 41, 2006.

ARAUJO, J.A.P. et al. A geleia real e sua importância, In: JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX, 9., 2009, Recife. Anais... Recife: UFRPE, 2009. p. 1-3. Disponível em: . Acesso em:Acesso em: 30 nov. 2014.

BALLESTEROS,H. H.; VÁSQUEZ R. E. Determinación de laproducción de jalea real encolmenas de recría de diferentes dimensiones. Revista Corpoica – Ciencia y TecnologíaAgropecuaria, v. 8, n. 1, p. 75-81, 2007.

BARBOSA, S. B. P.; MARTINHO, M. R.; FREIRE, J. A. H. Produção de geléia real em Apis mellifera L., In: CONGRESSO BRASILEIRO DE APICULTURA, 7., 1986, Salvador, BA.CD 4ª Edição. Congressos, Seminários e Encontros Brasileiros de Apicultura. Anais. 4. Ed.2006.

CORNEJO, L.G.; BARTOLOMÉ, R.; ITZCOVICH, B. Costo de produccion de jalea real, enArgentina. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE APICULTURA, 1.; Florianópolis, 1970.Anais. Florianópolis 1970. CD 4ª Edição.

FAQUINELLO, P. Heterogeneidade de variâncias e interação genótipo - ambiente na avaliação genética em abelhas Apis mellifera africanizadas para produção de geléia real.Tese de Doutorado em Zootecnia. Paraná: Universidade Estadual de Maringá, Centro de Ciências Agrárias, 2010.

FUNARI, S. R. C. et al.Efeitos da coleta de pólen no desenvolvimento de colônias e na composição bromatológica de pupas de Apis mellifera L. Arch. Latinoam. Prod. Anim, Botucatu, v. 2, n. 11, p.80-86, 2003.

GARCIA-AMOEDO, L. H.; ALMEIDA-MURADIAN, L. B. Comparação de metodologias para a determinação de umidade em geleia real. Química Nova, São Paulo, v. 25, n. 4, p.676-679, 21 nov. 2002.

LAIDLAW JR. H. H. Criação Contemporânea de Rainhas. Canoas: La Salle, 1998.

MOURO, G. F.; TOLEDO, V. A. A. Evaluation of Apis mellifera Carniolan and Africanized Honey Bees in Royal Jelly Production. Brazilian Archives Of Biology And Technology, Maringá, v. 3, n. 47, p.469-476, 2004.

MUNIEWEG, F. R. et al. CAPACITAÇÃO DE APICULTORES DO MUNICÍPIO DE ITAQUI PARA PRODUÇÃO DE HIDROMEL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 8, n. 3, 2017.

QUEIROZ, M. L.; BARBOSA, S. B. P.; AZEVEDO, M. Produção de geléia real e desenvolvimento da larva de abelha Apis mellifera, na região semi-árida de Pernambuco. Revista Brasileira de Zootecnia, v.30, n.2, p. 449-453, 2001.

SILVA, E. C. A. et al. Cúpulas de diferentes materiais e cores para a produção de geléia real usando abelhas africanizadas (Apis mellifera L.). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE APICULTURA, 11., 1996, Teresina, PI Anais... Teresina, PI: Congressos, Seminários e Encontros Brasileiros de Apicultura, 2006.

SILVEIRA NETO, A. A. Avaliação de quatro métodos de produção de geléia real e rainhas de Apis mellifera no Estado do Ceará.2011. 77 f. Dissertação (Mestrado de Zootecnia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

TOLEDO, V. A. A; MOURO, G. F. Produção de Geléia Real com Abelhas Africanizadas Selecionadas e Cárnicas Híbridas. R. Bras. Zootec., Viçosa, v. 6, n. 34, p.2085-2092, 2005.

WINSTON, M. L. A Biologia da Abelha. Porto Alegre: Magister, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-009

Apontamentos

  • Não há apontamentos.