Germinação de sementes clonais de seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg.) para produção de porta-enxertos / Germination of clonal seeds rubber tree (Hevea brasiliensis Muell. Arg.) for rootstocks production

Adriana Novais Martins, Eduardo Suguino, Eduardo Gazola, Paulo de Souza Gonçalves, Erivaldo José Scaloppi Júnior, Juliano Quarteroli Silva, Bárbara Tamires Lucas da Silva Sales

Resumo


A seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg) apresenta grande importância dentro do cenário atual do agronegócio brasileiro. O estado de São Paulo é o principal produtor de borracha natural do país. Essa espécie nativa produz sementes conhecidas como recalcitrantes, com período de viabilidade pequeno. O objetivo deste trabalho foi avaliar a germinação e a viabilidade das sementes clonais de seringueira. Foram coletadas sementes clonais de GT1, RRIM 600, PB 235, IAN 873 e sementes não selecionadas (SNS), em dois anos agrícolas 2012/2013 (Fase I) e 2013/2014 (Fase II), entre os meses de março e abril. Imediatamente após a coleta a campo, foram realizados os testes de germinação padrão em areia, teste de tetrazólio, teor de água e massa de 100 sementes. Os resultados mostraram que o teste de germinação em areia é mais efetivo para a avaliação de viabilidade de sementes de seringueira quando comparado ao teste de tetrazólio e as sementes com teores de água maiores apesentaram maior porcentagem de germinação.

Palavras-chave


borracha natural, propagação, sementes recalcitrantes, viabilidade

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análises de sementes. Brasília: DNPV-DISEM. 2009. 398p.

CANTERI, M.G.; ALTHAUS, R.A.; VIRGENS FILHO, J.S.; GIGLIOTI, E.A.; GODOY, C.V. SASM-Agri – Sistema para análise e separação de médias em experimentos agrícolas pelos métodos Scott-Knott, Tukey e Duncan. Revista Brasileira de Agrocomputação, Ponta Grossa, v.1, n. 2, p. 18-24. 2001.

CARDINAL, A.B.B. Influência da relação enxerto vs. porta-enxerto no aumento do vigor e produção de clones superiores de seringueira. 2006. 70p. Dissertação (Mestrado em Tecnologia da Produção Agrícola) – Instituto Agronômico de Campinas, Campinas, 2006.

DAUD, N.W.; MOKHATAR, S.J.; ISHAK, C.F. Assessment of selected Hevea brasiliensis (RRIM 2000 Series) seeds for rootstocks production. African Journal of Agricultural Research, v. 7, n. 21, p. 3209-3216. 2012 (doi: 10.5897/AJAR12.272)

FONSECA, S.C.L.; FREIRE, H.B. Sementes recalcitrantes: problemas na pós-colheita. Bragantia, Campinas, v. 62, n. 2, p. 297-303. 2003. (https://doi.org/10.1590/S0006-87052003000200016)

GARCIA, A.; VIEIRA, R.D. Germinação, armazenamento e tratamento fungicida de sementes de seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg.). Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 16, n. 2, p. 128-133. 1994.

GASPAR-OLIVEIRA, C.M.; MARTINS, C.C.; NAKAGAWA, J. Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de mamoneira (Ricinus communis L.) pelo teste de tetrazólio. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 32, n. 1, p. 186-196. 2010. (https://doi.org/10.1590/S0101-31222010000100021)

GONÇALVES, P. de S.; BATAGLIA, O.C.; ORTOLANI, A. A.; FONSECA, F. da S. Manual de Heveicultura para o Estado de São Paulo. Campinas: Instituto Agronômico, 2001. 78p.

OLIVEIRA, A.P. Determinação da viabilidade e do vigor em sementes de seringueira. 2012. 63p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2012.

PAULA, N.F.; BORGES, E.E.L.; BORGES, R.C.G.; PAULA, R.C. Alterações fisiológicas em sementes de seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg.) durante o armazenamento. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 19, n. 2, p. 326-333. 1997.

SILVIO, M. C.; JULIO, M.F. Rubber tree seed production.. 2005. Disponível em: http://seedbiology.osu.edu/HCS630_files/May%2031/Rubber%20seed%20production%20-%20text.pdf. (Acesso em: 22/05/2020)




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n3-008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.