Contribuições do geoprocessamento na implantação e gestão de meliponários no município de São Vicente de Férrer – MA / Contributions of geoprocesing in the creation and management of meliponaries in the municipality of São Vicente Ferrer- MA

Cintia de Cássia Melonio Pacheco, Willinielsen Jackeline Santos Lago

Resumo


O georreferenciamento da meliponicultura se faz necessário a fim de propiciar a avaliação espacial de áreas onde estão localizados os meliponários, definindo as melhores distâncias entre eles para o favorável desenvolvimento da atividade. Dessa forma, nosso objetivo foi utilizar o geoprocessamento como subsídio do planejamento, implantação e gerenciamento dos novos meliponários assim como dos já existentes nos povoados do município de São Vicente Férrer- MA. Foi criado um banco de dados para a área de estudo e os pontos de localização geográfica dos meliponários existentes foram coletados com o auxílio de GPS a partir de visita na propriedade rural. No programa QGIS v. 2.14 foi feita a associação entre as coordenadas de localização e as informações de cada unidade encontrada. O presente estudo constatou que possuir um grande número de caixas produtoras não é sinônimo de maior produção, no caso do município, os melhores resultados de produção advêm da associação entre localização e condições ambientais favoráveis. Dessa forma, este trabalho oferece grande base técnica aos produtores de mel deste município, possibilitando aos mesmos conseguir melhores resultados na meliponicultura, tanto em termos de produção quanto em lucratividade e acima de tudo na conservação da espécie e consequentemente polinização da flora nativa.


Palavras-chave


abelha, mapa, meliponicultor, planejamento.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, P. M. C., GOSTINSKI, L. F., RÊGO, M. M. C., & CARREIRA, L. M. M. Flores e abelhas: a interação da tiúba (Melipona fasciculata, Meliponini) com suas fontes florais na Baixada Maranhense. São Luís: Edufma, 163p.,2013.

BACHA JÚNIOR, G.L. FELIPE-SILVA, A.S. PEREIRA, P. L. L. Taxa de infestação por ácaro Varroa destructor em apiários sob georreferenciamento. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinaria e Zootecnia,61(6)(1981), 1471–1473.2009.DOI: 10.1590/S0102-09352009000600034

BAILEY, K. Methods of social research. 4nd ed., New York: The Free Press: 588 p., 1994.

BRITO, R. L. Importância do georreferenciamento na exploração da apicultura e meliponicultura.10ºCongresso Ibero latino americano de Apicultura. Anais. Natal, RN, Brasil, 11 a 10 de Outubro de 2010.

CÂMARA, G., MONTEIRO, ANTÔNIO MIGUEL FUCKS, S. D., & CARVALHO, M. S. 2002. Análise espacial e geoprocessamento. In: Druck, S.; Câmara, G.; Carvalho, M. S.; Monteiro, A. M. V. (Orgs.). Análise espacial de dados geográficos. Brasília: Embrapa Cerrados. Disponível em: http://www.dpi.inpe.br/gilberto/livro/analise/. Acessado em 26 jun2018.

CAMARGO, R. C. R. DE, PEREIRA, F. DE M., & LOPES, M. T. DO R. 2006. Meliponário: Localização e Instalação. p. 8. Teresina. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/69421/meliponario-localizacao-e-instalacao.Acessado em 27 jun2019.

DEMETERCO, C. A. Identificação de mel de Melipona seminigra e características da meliponicultura em Maraã e Boa vista do Ramos , Amazonas.Manaus, 2016. 82 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA.

FERNANDES, R. T. Características de qualidade do mel de abelha Tiúba (Melipona fasciculata Smith , 1854 , Hymenoptera , Apidae ), como contribuição para sua regulamentação. São José do Rio Preto, 2017. 133 p. Tese (Doutorado em Engenharia e Ciências de Alimentos)- Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista“Júlio de Mesquita Filho”.

GOSTINSKI, L. F.. Recursos alimentares e forrageamento de duas espécies de abelhas sem ferrão - Melipona (Melikerria) Fasciculata Smith, 1985 e Melipona (Michmelia) Flavolineata Friese, 1900 (Apidae, Meliponini) na região da Baixada Maranhense, Brasil. São Luís, 2018. 125p. Tese (Doutorado em Biodiversidade e Tecnologia), Universidade Federal do Maranhão.

GOSTINSKI, L. F., OLIVEIRA, F. F., CONTRERA, F. A. L., & ALBUQUERQUE, P. M. C. de. Nicho trófico e partição de fontes polínicas por duas espécies de Melipona (Hymenoptera, Apidae) na Amazônia Oriental. Oecologia Australis, 22(04), 449–462. 2018.DOI: 10.4257/oeco.2018.2204.08

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA- IBGE. Limites Municipais com data de referência em 1º de julho de 2017. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao/Estimativas_2017/estimativa_TCU_2017_20180824.pdf. Acessado em 20 maio2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Censo 2010. Disponível em:https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/saovicenteferrer/pesquisa/23/25124?tipo=ranking&indicador=29509. Acessado em 20maio2019.

INSTITUTO MARANHENSE DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS E CARTOGRÁFICOS.2018. Regiões de desenvolvimento do estado do Maranhão. Proposta Avançada.São Luís: IMESC. p. 84. Disponível em:http://www.seplan.ma.gov.br/files/2013/02/Proposta-IMESC_22-Regi%C3%B5es-de Desenvolvimento-do-Estado-do-Maranh%C3%A3o-2018.pdfAcessado em 20 maio2019.

PACHECO, C. C. M. Influência do adensamento de ninhos de Apis mellifera Linnaeus, 1758 sobre a produtividade de Melipona ( Melikerria ) fasciculata Smith, 1854 (Hymenoptera, Apidae) em uma região da Baixada Maranhense. São Luís, 2017.83p. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade e Conservação), Universidade Federal Do Maranhão

PADILHA, V. J. C.. Diagnóstico de modelos de criação e comportamento de forrageamento de Melipona scutellaris e M . quadrifasciata em área de Mata Atlântica de Sergipe , nordeste do Brasil. João Pessoa, 2017. 91 p. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente), Universidade Federal da Paraíba.

PEREIRA, F. DE M., SOUZA, B. DE A., & LOPES, M. T. DO R. 2017. Criação de abelhas sem ferrão. p. 1–32. Teresina. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1079116/criacao-de-abelhas-sem-ferrao.Acessado em 11out2018.

PEREIRA, R. C. DE C. 2012. Uma Análise Geossistêmica da Alta Bacia Do Rio Pericumã / Ma . Revista Geonorte, 1(4), 284–296.

QUANTUM GIS. A Free and Open Source Geographic Information System. 2016. Disponível em: https://www.qgis.org/en/site/. Acesso em 03jan2019.

RAMALHO, M., SILVA, M. D. E, & CARVALHO, C. A. L. 2007. Dinâmica de uso de fontes de pólen por Melipona scutellaris Latreille (Hymenoptera: Apidae): uma análise comparativa com Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae), no Domínio Tropical Atlântico. Neotropical Entomology, 36(1), 38–45. DOI: 10.1590/S1519-566X2007000100005

ROSA, R. 2013. Introducao Ao Geoprocessamento. p. 142. Uberlândia. Disponível em:http://professor.ufabc.edu.br/~flavia.feitosa/cursos/geo2016/AULA5ELEMENTOSMAPA/Apostila_Geop_rrosa.pdf %3. Acesso em03 nov 2017.

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS–SEMA. 2017. Criação, manejo e conservação de meliponíneos e abelhas do gênero “Apis”, bem como o licenciamento de meliponários e apiários. Version 081., Pub. L. No. 081 BRASIL. Disponível em: http://www.ma.gov.br/agenciadenoticias/tag/portaria-no-081. Acesso em03out2017.

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS –SEMA. 2018. Cadastramento Estadual para Autorização Ambiental Provisória de Meliponários e Apiários e suas atividades correlatas, visando atender às finalidades de criação, reprodução e comercialização de produtos e subprodutos. Version 075., Pub. L. No. 075 BRASIL. Disponível em: http://www.sema.ma.gov.br/arquivos/1530811334.pdf. Acesso em12jul2018.

SILVA, J. M. Recursos alimentares utilizados por abelhas Apis mellifera L . e Melipona fasciculata Smith em São Bento - Baixada Maranhense.São Luís, 2007. 60p. Dissertação (Mestrado em Agroecologia),Universidade Estadual do Maranhão.

SOUSA, J. R. B. Caracterização da cadeia produtiva e da qualidade do mel de abelhas tiúba (Melipona (Melikerria) fasciculata, Smith, 1854) (Hymenoptera: Apidae: Meliponini), produzido nas microrregiões de Pindaré e Gurupi, no Estado do Maranhão. São Luís, 2018. 142 p. Dissertação (Mestrado em Defesa Sanitária Animal),Universidade Estadual do Maranhão.

TENÓRIO, E.G. Desenvolvimento e produção de mel de colônias de abelhas tiúba, Melipona fasciculata Smith, 1854 (Apidae: Meliponina), em diferentes modelos de colmeias e localidades do Maranhão. Jaboticabal, 2011.127 p. Tese (Dourado em Zootecnia), Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho.”.

TENÓRIO, E. G. 2016. A rica produção do mel maranhense. Disponível em: senar-ma.org.br/a-rica-producao-do-mel-maranhense/Acesso em29jun2019.

VENTURIERI, G. C., & COSTA, P. L. B. L. Formação de Minicolônias de Uruçu-Cinzenta [Melipona fasciculata Smith 1858 (Apidae, Meliponini)]. p. 28. Belém. Documentos(Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/119589/1/DOC-409.pdf ) 2015.

VENTURIERI, G. C., SOUZA, M. S., PEREIRA, C. A. B., & RODRIGUES, S. T. Potencial Nectarífero do Açaízeiro ( Euterpe oleracea Mart . -Arecaceae) na Amazônia Oriental.Belém. 154–158p. 2008.

VENTURIERI, G. C., RAIOL, V. DE F. O., & PEREIRA, C. A. B. Avaliação da introdução da criação racional de Melipona fasciculata (Apidae: Meliponina), entre os agricultores familiares de Bragança - PA, Brasil. Biota Neotropica, 3(2), 1–7. 2013.DOI: 10.1590/s1676-06032003000200003

VILLAS-BÔAS, J. Manual Tecnológico: Mel de Abelhas sem Ferrão. 1 ed. Brasilia: Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN): 96p., 2012.

VILLAS-BÔAS, J. Manual Tecnológico de Aproveitamento Integral dos Produtos das Nativas Sem Ferrão. 2 ed. Brasilia: Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN): 212p., 2018.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n2-035

Apontamentos

  • Não há apontamentos.