Adequabilidade das normas brasileiras de dimensionamento de sistemas de guarda-corpo e rodapé temporários de madeira / Suitability of Brazilian standards for the design of temporary wooden guardrails

João Miguel Santos Dias, Alberto Ygor Ferreira de Araújo, Sandro Fábio César, Rita Dione Araújo Cunha, Jéssica Rafaele Castelo Branco Souza

Resumo


Apesar da prioridade em eliminar os riscos de queda em altura recorrendo a sistemas de guarda-corpo e rodapé temporários (GcR), é comum ocorrer acidentes relacionados com estas proteções. Comparando com a norma EN 13374:2013 – Temporary edge protection systems - Product specification - Test methods, a Norma Regulamentadora 18 (NR 18) e a Recomendação Técnica de Procedimentos 01 (RTP 01) apresentam problemasquanto aos requisitos de dimensionamento de GcR. O objetivo deste trabalho é verificar a adequabilidade das prescrições da NR 18 e RTP 01 para o dimensionamento de GcR de madeira. A segurança quanto aos requisitos da norma ABNT NBR 7190:1997 – Projeto de estruturas de madeira foi verificada via modelagem com o software RSTAB da Dlubal, com carregamentos prescritos pela EN 13374:2013. Os resultados mostraram que as definições da NR 18 e RTP 01 não são adequadas para garantir a segurança de GcR de madeira de qualquer classe de resistência.

 


Palavras-chave


guarda-corpo, madeira, dimensionamento, NR 18, EN 13374.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR 18 – Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção. Redação dada pela Portaria n° 4, Brasília: 1995.

Dias JMS, Plech CTCC, Carvalho RF. Certificação de Produtos de Proteção Coletiva em Canteiros - Contribuição do Modelo Europeu. In: V ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE GESTIÓN Y ECONOMÍA DE LA CONSTRUCCIÓN, 2013, Cancún. Anais... Cancún: Instituto Tecnológico y de Estudios Superiores de Monterrey, 2013.

Escamilla AC, García MNG. Study of Temporary Edge Protection Systems using different standards. In: XXXVII CONGRESO MUNDIAL DE EDIFICACIÓN DE LA INTERNATIONAL ASSOCIATION OF HOUSING SCIENCE, 2010, Santander. Anais… Santander: Universidad de Cantabria, 2010.

Fundacentro. Queda em altura está entre os principais acidentes fatais na indústria da construção. FUNDACENTRO – Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho, São Paulo, 12 abril 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2019.

Fundacentro. Recomendações Técnicas de Procedimentos Nº1 – Medidas contra quedas de altura. São Paulo, 2003).

Fontoura FS, Borges T, Catai RE. Irregularidades encontradas em um canteiro de obras brasileiro. Revista Espacios. v. 38, n. 59, 2017. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2019.

González MN, Cobo A, Fuente JV, Bresó S, Lozano C. Comportamiento bajo cargas estáticas de sistemas provisionales de protección de borde realizados con elementos de acero. Informes de la Construcción, Vol. 63, 521, enero-marzo 2011. 57-67.

Greene MV. Fall protection f or residential construction. Safety + Health, 1 July 2009.

Navon R, Kolton O. Model for Automated Monitoring of Fall Hazards in Building Construction. Journal of Construction Engineering and Management, v. 132, n. 7, p. 733- 740, July 2006.

Silva et al. Saúde e segurança do trabalho na construção civil brasileira. Aracaju, SE: J. Andrade, 2015.192p. ISBN: 978-85-8253-116-7.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n2-031

Apontamentos

  • Não há apontamentos.